8 de outubro de 2010

Aborto. Padre sai em defesa de Dilma

Primeiramente peço desculpas por estar enviando este email, sei que o tempo é precioso para vocês e, também, prá mim, mas o faço como dever de consciência diante de vários questionamentos que tenho recebido em vista de posições políticas de pessoas da RCC (Renovação Carismática Católica) e outras pessoas da igreja, inclusive da hierarquia, isto é, de padres e bispos. Estas pessoas tem enviado emails e feito pregações dizendo prá não votar no PT e Dilma porque são a favor do aborto.



Pois bem, estas pessoas pensando em fazer um bem estão provocando um mal estar muito grande dentro da Igreja e na sociedade, porque é uma visão parcial sobre a política e sobre as questões de bioética, além de serem instrumentos de outros partidos que não só são a favor do aborto, como o recomendaram, enquanto no exercício do poder, como foi o caso de José Serra quando era Ministro da Saúde (Para o eleitor votar consciente e não ser enganado, a primeira verdade que precisa saber é: o único candidato a presidente nestas eleições que já assinou medidas para fazer abortos foi José Serra (PSDB), quando foi Ministro da Saúde, em 1998. Ele assinou norma técnica para o SUS (Sistema Único de Saúde), ordenando regras para fazer abortos previstos em lei, até o 5º mês de gravidez. A íntegra da norma pode ser lida aqui: http://www.cfemea.org.br/pdf/normatecnicams.pdf Certamente as pessoas que são favoráveis à descriminalização do aborto aplaudem de pé essa atitude de Serra, quando foi Ministro, ao aparelhar o SUS para fazer abortos previstos em lei.
E certamente, Serra jamais pode receber o voto de quem milita incondicionalmente contra qualquer prática relacionada ao aborto). Votar em Serra já é uma derrota do bem e da moral.

. Padre Leomar, Arquidiocese de Maringá.
O texto me foi enviado pelo amigo Ari, do PT, que o havia recebido do Carlos Mariucci

Nenhum comentário: