14 de dezembro de 2010

Entre a emenda e o soneto

A cada dia que passa fica mais evidente os efeitos nefastos do instituto da emenda parlamentar, como correia de transmissão do fisiologismo, e por conseguinte, da corrupção eleitoral.
É graças a esse instrumento de oxigenação do "é dando que se recebe", que muitos deputados se renovam seus mandatos, indefinidamente, o que convenhamos, é um grande prejuízo para a sociedade. Tem parlamentar que de graça é caro.
Com perdão do trocadilho, geralmente essas emendas saem mais caras do que o soneto.

Nenhum comentário: