23 de dezembro de 2010

Marly colocou o dedo na ferida


Da vereadora Marly Martyin, sobre a licitação do transporte coletivo urbano de Maringá:

"Desde 2001, queremos a licitação, brigamos pela licitação, fomos a justiça, conseguimos a sentença para que o prefeito fosse obrigado a licitar. Ele já está obrigado desde setembro de 2005, mas nada fez. Agora contratou uma empresa. Deu mais 8 meses. Agora está fazendo, mas fazendo o faz de conta.

Este projeto de licitação é uma farsa. Primeiro, porque não fixa em nenhum momento critérios que são imprescindíveis à concessão de um transporte coletivo, um serviço essencial a sociedade. E segundo, porque concede 20 anos prorrogáveis por mais 20.
Sairemos da boca do tigre e cairemos na boca do jacaré.

E agora vem num apressado a votação deste projeto para entregar este serviço tão importante de milhões de reais para uma licitação totalmente aberta. Os vereadores estão assinando um cheque em branco".

PS: Pois é, Marly, o dircurso da "administração cidadã" é um e a prática é outra. Estamos, pelo jeito, diante de mais uma grande farsa, que se a Câmara não acordar e o Ministério Público deixar passar batido, poderá trazer sérias consequências para a população de Maringá em futuro bem próximo.
A propósito, combativa vereadora, chame seus colegas da oposição aí na Câmara para este novo enfrentamento, e aproveite para cooptar (no bom sentido)o vereador Paulo Soni.Afinal, não foi ele quem disse que essa é a melhor Câmara da história de Maringá?

Nenhum comentário: