9 de janeiro de 2011

Rose, uma perda irreparável


Devido aos problemas no meu PC, só agora estou escrevendo sobre Rose Zanardo , que faleceu esta semana em Mandaguaçu, vítima de câncer. Ativista política, parecia radical de esqurda, mão nao era. Rose não passava de uma petista orgânica, uma sonhadora, socialista de quatro costados. Fez um brilhante trabalho de preservação ambiental em Sarandi, onde cuidou da Secretaria do Meio Ambiente no governo Cido Spada. Era de enfrentamento, não fugia do debate e nem do embate.
Participei de algumas reuniões da Coordenação da Região Metropolitana de Maqringá sobre a criação do Conselho Metropolitano do Meio Ambiente em que Rose, representando a administração municipal de Sarandi, deu contribuições importantissímas para o debate em torno da preservação dos fundos de vale, da distinação correta do lixo urbano e da recomposição das matas ciliares na bacia do Pirapó. Rose sabia do que estava falando, pois era uma estudiosa do assunto.
A morte dela foi uma grande perda, não só para o PT, mas para os movimentos sociais da região.

2 comentários:

pill disse...

compartilho de todas essas colocações sobre ela, e mais, amiga de verdade. nos fará muita falta, mais sua presença em nossos corações dara forças para nossas batalhas diarias

Anônimo disse...

Gente boníssima. Uma ótima companhia para um chopp gelado. Uma ótima pessoa para poder discutir assuntos políticos. Pena, que faz tempo que não tinha mais contato com ela, pessoas assim fazem muita falta.

David