21 de fevereiro de 2011

CPI e a sociedade do espetáculo

"Diante das evidências de que os desvios de recursos da saúde são grandes, após a decisão de W. Andrade de assinar o requerimento para instalação da CPI, outros vereadores do amém estariam propensos a seguir o mesmo caminho. Dos 11, apenas Heine Macieira e o presidente Mário Hossokawa não assinariam. Os demais não estariam dispostos a passarem para história como omissos e coniventes com o crime que é desviar recursos de uma área tão sensível, como a saúde, o que na prática significa responsabilidade por muitas mortes. São informações de bastidores. Resta aguardarmos a confirmação".

.Akino Maringá, colaborador do site do Rigon

Meu comentário: Uma CPI só pode servir de insrumento de correção de rumos e punição de improbos, se conduzida com isenção e muita seriedade. Normalmente, serve de palco para batalhas politico-partidárias e se presta ao papel de promotora de pseudos defensores da moralidade pública. De qualquer forma, é sempre um instrumento de apuração que pode fugir do controle de seus proponentes e aí, sim, ter consequências benéficas para a sociedade. Melhor é tê-la, ainda mais diante de fatos escandalosos como parece ser este da saúde.Abstraído o lado do espetáculo, a Comissão Parlamentar de Inquérito pode, por exemplo, levar a uma cassação de mandato do gestor envolvido.
A rigor, a Câmara de Maringá nunca se empenhou verdadeiramente numa investigação profunda contra a administração municipal. Ququer administração. Nem na gestão Jairo, quando o Poder Legislativo se omitiu totalmente. Deu no que deu graças a atuação do Ministério Público, principalmente do promotor Cruz.No caso em questão, quero morder a língua, mas acho difícil isso acontecer. O time do Amém F.C. pode até morder e assoprar, mas conhecendo esse pessoal como conheço, acho que se sair a CPI, a turma do Amém será mesmo a turma do assopro. É esperar pra ver.

2 comentários:

Ednelson Cardoso disse...

A oposição em Maringá praticamente não existe, em nenhum nível, porque os vereadores e os Partidos não querem fazer, não sabem fazer ou porque não podem fazer, porque têm rabo preso. Porque não fizeram uma CPI no caso das licitações da Secretária de Educação entre outras? Porque poderia sobrar para os Partidos de oposição e seus representantes. É o Legislativo do rabo preso, em que quase todos os Partidos são suspeitos até prova em contrário. Por isto o chefe do Poder Executivo circula lépido e fagueiro sem ser incomodado pelo Legislativo e os escândalos são abafados e as CPI evitadas.

UMA VERGONHA NOSSO LEGISLATIVO, SALVO RARISSIMAS EXCEÇÕES

Ednelson Cardoso disse...

A oposição em Maringá praticamente não existe, em nenhum nível, porque os vereadores e os Partidos não querem fazer, não sabem fazer ou porque não podem fazer, porque têm rabo preso. Porque não fizeram uma CPI no caso das licitações da Secretária de Educação entre outras? Porque poderia sobrar para os Partidos de oposição e seus representantes. É o Legislativo do rabo preso, em que quase todos os Partidos são suspeitos até prova em contrário. Por isto o chefe do Poder Executivo circula lépido e fagueiro sem ser incomodado pelo Legislativo e os escândalos são abafados e as CPI evitadas.

UMA VERGONHA NOSSO LEGISLATIVO, SALVO RARISSIMAS EXCEÇÕES