25 de fevereiro de 2011

Parreiras disse:

"Messias: Na sua louvação à sua Pintadas, mais um costume que admiro naquele nosso valente, poético e persistente povo: Lá, eles se identificam por parentesco possessivo. Explico: Raimundo do Zé Bigode, Pedrim de Barroza. Como nos quartéis, o costume é pela identificação: Num quartel, você seria Maringá, eu Sanzabel, por ai.
Legal prá carai...

PS: O Parreiras Rodrigues, assessor parlamentar na Assembléia Legislativa do Paraná, onde trabalha de fato, sabe das coisas. Lá em Pintadas tem Liete de Daniel, Maninha de Vajim, Sô de Gueço, Faezim de compadre Lurinho, Duzinha de Leôncio, Zeca de Arquimino e por aí vai.
Sobre o Parreiras, lembro a propósito que ele é um baita jornalista, um dos fundadores do O Diário de Maringá e pioneiro na plantação de côco da Bahia no Arenito Caiuá. Seria ,não apenas o Parreiras de Santa Izabel do Ivaí, mas o Parreira do côco. E viva a cocoicultura!

Um comentário:

JOSÉ ROBERTO BALESTRA disse...

Vixe! Antão quer dizê qu' ocês dois tão ligados pelo coco? Deus faz cada ũa... Inda béim! abs