14 de abril de 2011

O parto da montanha

De um amigo sobre a palestra de FHC em Maringá:
"A cabeça dirigente da cidade estava lá em 80% - as chamadas
"forças vivas". A "chamada" de nome a nome foi um pé no saco.
Pelo menos 250 pessoas foram nominadas ou convidadas à mesa.
Suntuosidade com preciosismos narcisistas, ao melhor estilo
nóis é nóis e o resto é a rapa.
Foram inacreditáveis 70 minutos de cerimonia e 50 minutos de FHC. A montanha
pariu um rato, sem exagero".

2 comentários:

Mauricio disse...

Ai se caisse uma xxxxxxxxxxxxxxxxx!
Maringá seria mais bela,mais honesta,mas....

Anônimo disse...

Messias, reduzir as cabeças pensantes de Maringá a 250 pessoas é um crime. Pra começar, quem pensa por Maringá ou pelo Brasil não iria ouvir FHC. Onde chegou a a ACIM, hein? Grande cabeças já passaram por lá! Qualquer candidato que queira ter algum sucesso pelo PSDB tem que mandar, publicamente, que FHC cale a boca e assinar um documento, registrado em cartório, que revisará as privatizações de seu governo. É lógico que não poderá ser o Serra, porque o Serra assinou documento dizendo que não seria candidato ao governo de São Paulo e não honrou. Enquanto FHC continuar abrindo a boca...
acm