17 de abril de 2011

Uma vez Vandré, sempre Vandré


Eu já tinha ouvido falar da entrevista que Geraldo Vandré concedeu a Geneton de Morais Neto na Globo News. Mas hoje vi o vt no blog do Lauro Barbosa. Uma entrevista imperdível.
Vandré saiu de cena há mais de 30 anos e só reapareceu agora, aos 75 anos de idade, e muito lúcido, diga se de passagem. Não concorda que fazia música de protesto, por achar que "protesto é coisa de quem não tem poder". Diz ele:"O que eu fiz foi música popular brasileira".
Alegremo-nos, pois Vandré quer voltar a cantar. Já tem 30 músicas novas compostas e pretende gravá-las em um país da América do Sul, em bom espanhol.
Cutucado pelo excelente repórter Geneton, voltou a criticar a tropicália, dizendo com todas as letras que acha a música de Gil e Caetano uma porcaria. Concordemos ou não, o fato é que Vandré continua o mesmo, sem fazer média com ninguém e dizendo tudo o que pensa.´Reconheçamos: com propriedade.

Um comentário:

Prof. Luiz Gonzaga disse...

Salvo engano, pra não dizer , que não falei das flores!Uma das músicas , que embalou o movimento estudantil, na década de 80 e eu estava lá. Não nos esqueçamos do Zé Geraldo. Parabéns Vandré.