21 de maio de 2011

Contorno ou transtorno Norte?

"A respeito da morte do ciclista Dejair Aparecido dos Santos, 56, hoje à tarde na BR-376, perto da Noma, em Sarandi, atropelado por um caminhão quando tentava cruzar a pista, o leitor Ricardo escreve: “Neste momento de dor e revolta da família, é injusto e desumano procurar culpados… Mas é revoltante ver como as pessoas são tratadas pelos responsáveis da construção do Contorno Norte, não sei se o Dnit, a prefeitura ou a Sanches Tripoloni, estão contabilizando as vidas perdidas por causa desta obra maldita. Maldita porque fez uma exclusão dos cidadãos que estão dentro e fora do entorno, maldita porque a empreiteira não sinaliza, não coloca muretas nos ¨precipícios” da futura via, maldita por construir meia ponte na travessias suspensas… Maldita, pela prova de vida ou morte que o trabalhador passa todo dia no trecho remendado que liga o Contorno Sul e o Contorno Norte, entre Maringá e Sarandi, pista cheia de ondulações, buracos, demarcações confusas, espaço insuficiente para dois veículos grandes andarem lado a lado. Uma idéia para o jornal O Diário colocar na capa de domingo: “Os benefícios, o valor, os transtornos, os óbitos, do Contorno Norte”.


PS: vendo este post no site do Rigon, lembrei de uma conversa que tive com o Dr. Said Ferreira uns dois meses antes dele viajar para uma cirurgia em São Paulo e de lá não retornar mais. Disse-me o ex-prefeito:"Aproveitaram o mesmo traçado, feito na minha primeira gestão. Eu realmente iria fazer o Contorno Norte alí, mas na época a via expressa ficaria fora do perímetro urbano. Tudo bem que a cidade cresceria para o lado Norte, mas ja existindo o Contorno, o planejamento dos novos bairros seria feito de maneira diferente. Agora, executar um projeto desse numa área já povoada, chega a ser um negócio criminoso".

Nenhum comentário: