25 de maio de 2011


"Lendo sobre o Parque do Ingá, me remeteu uma lembrança quando viajava lá pela Patagônia Argentina, em 1991, quando pela estrada encontrei um lugar muito esquisito construído por um artista de sucata, até tirei algumas fotos não encontrei para digitalizá-las. Um lugar insólito e engraçado! Tratava-se de um “Jardim Zoo-ilógico”, com muitos animais feitos em chapas de aço, peças de automóveis, ferragens de sucata, dentro de jaulas ou em cercados. Havia placas com nomes científicos engraçados, parodiando e misturando o nome do animal com marcas de carros, por exemplo. Algumas plaquetas alertavam para “não alimentar os animais”, “mantenham a distância do bicho feroz” etc. Acho que a administração atual, surrealista como é, quer “hacer una broma” (piada) lá no Parque do Ingá, não acha?
PS – Descobri que o Zoo-ilógico da Argentina não existe mais, acho que a ferrugem desintegrou os bichos, mas encontrei outro mais elaborado no Uruguai [fotos acima]".

. JC Cecílio (pinçado do site do Rigon)

Meu comentário: qualquer semelhança com o nosso Parque do Ingá será mera coincidência. Até porque, a idéia de um jardim zoo-ilógico aqui, está sendo executada não com ferro, e a ferro e fogo, mas com a sensibilidade paquidérmica de quem realmente "adora" a fauna brasileira.

Nenhum comentário: