16 de julho de 2011

Concordo e reitero

. De Flávio Mantovani:

O povo lutou com unhas e dentes para conquistar o direito de escolher pelo voto direto seus representantes. A democracia tão sonhada agora parece não ter mais valor ante os comentários de que ‘quanto menos representantes melhor’. Não é difícil observar a maioria desinformada da população gritando aos quatro cantos que na política só tem ladrão. É de conhecimento geral que a política brasileira está podre em grande parte. Mas a culpa não é do cargo público, mas do político que você votou para estar lá te representando. Temos bons e maus políticos, e isto é fato. O aumento da representatividade na Câmara Municipal prevista em lei é uma oportunidade de participação dos menos favorecidos para terem voz ante o poder público. Não culpe a democracia. Não jogue a culpa no seu direito de escolha. Bem ou mal, você é quem escolhe.

(Blog do Lauro Babrosa)


Meu comentário: Corretíssima a análise do Flávio, principalmente no que diz respeito à responsabilidade do eleitor, que é afinal, a quem cabe escolher seus representantes.
Aproveito para reiterar minha posição sobre essa discussão do número de vereadores:
trata-se de um debate estéril, despropositado e hipócrita. O que conta não é o número de cadeiras, mas a qualidade de quem irá ocupar essas cadeiras a partir de janeiro de 2013. Claro que 23 eleva o orçamento da Câmara, mas na matemática social e política, 15 pode ser mais pesado aos cofres públicos do que 23. Salvando as excessões, que são poucas infelizmente, a atual Câmara Municipal de Maringá tem um custo social elevadíssimo. Não pelo dinheiro público que sua estrutura consome, mas pela maneira torpe com que sua maioria se comporta, ante os projetos danosos que a "administração cidadã" faz aprovar. A Câmara custa uma ninharia para Maringá, quase nada. Mas o Amém F.C tem um peso que eu, por exemplo, me recuso a ajudar a carregar.

3 comentários:

Anônimo disse...

Ele é demagogo igual o moringão.

ANTONIO disse...

Ao invés de moralizar pelo menos um pouco, essa corja da classe política amplia ainda mais os absurdos históricos criadas por ela. Os partidos se sentam na mesa para repartir entre si o bolo produzido pelo povo. E depois querem vir com sua propaganda nogenta dizer que nos representam?

Por que não fizeram como no seu tão vangloriado 'primeiro mundo', onde ser vereador é cargo de honra, não recebendo portanto nenhuma remuneração para o desempenho da função!

Que vergonha, políticos de merda! Coitado do povo, que precisa aturar e pagar esses hipócritas mesquinhos e insaciáveis!

Anônimo disse...

É de se admirar que alguns jornalistas maringaeses estejam defendendo o aumento do no. de vereadores em Maringá.