31 de agosto de 2011

Bote fogo na fundanga, Marly


Informa Lauro Barbosa que a vereadora Marly Martin quer informações sobre as denúncias de superfaturamento nas obras de rebaixamento da linha férrea. Contratada em 2004 para rebaixar a linha e concluir a supervia (Avenida Horácio Racanello) em 40 meses, a CR Almeida não fez ainda nem o viaduto da Av. 19 de Dezembro. Se o cronograma fosse levado à risca, desde janeiro de 2008 o maringaense não estaria enfrentando mais o transtorno do trem naquela passagem de nível.
Seria interessante que a vereadora fosse fundo nessa questão, investigando os motivos do atraso, os aditivos a um contrato de R$ 43,8 milhões, mas que já passa de R$ 100 milhões.
E que tal veririfcar também porque a "administração cidadã" retardou deliberadamente a obra, em pelo menos três anos? O caso é objeto de investigação da CGU (Controladoria Geral da União) e TCU (Tribunal de Contas da União).
Acho que passou da hora dos chamados setores organizados da sociedade cobrarem isso da Prefeitura e inclusive, pressionarem a Câmara para que cumpra o seu papel fiscalizador.
Cadê a SER e o Observatório Social que se escondem em questões como esta? Aonde estão esses órgãos que fazem ouvidos de mercador com relação as obras cheias de senões do Contorno Norte? Aonde estão a SER, o Observatório Social e a própria OAB, que ainda não se deram conta dos prejuízos que vem causando à cidade de Maringá o fechamendo do Parque do Ingá, Cine Teatro Plazza e Kallil Haddad? E por que ninguém questiona o estado de abandono do Horto Florestal?
Minha avó já dizia que é melhor tarde do que nunca. Então, vereadora Marly, bote fogo nessa fundanga. A hora é agora.

Nenhum comentário: