19 de outubro de 2011

Que a punição tenha efeito pedagógico. Apenas isso


O ex-CQC Rafinha Bastos está no bico do urubu. Falou umas bobagens sobre a cantora Wanessa Camargo e agora ela quer indenização de R$ 100 mil por danos morais e pretende ver Rafinha na cadeia.
O advogado da filha de Zezé de Camargo vai pedir o enquadramento do humorista no artigo 140 do Código Penal, que prevê pena de até um ano de prisão. Quando seu parceiro de bancada Marcelo Tass deu a notícia da gravidez da cantora, Rafinha partiu pra baixaria:"Eu comeria a mãe e o filho".

Mas sabe de uma coisa? Que Rafinha recebesse uma punição da emissora, até uma ação de reparação de danos, tudo bem. Mas prisão, aí já é demais. Talvez deva receber uma pena de efeito pedagógico, para que não só ele mas qualquer outro humorista tome mais cuidado na hora de brincar com as pessoas. A tirada de Rafinha pareceu engraçada para muita gente, mas vamos e venhamos: foi mesmo ofensiva.
Não confundir responsabilização penal com censura. Censura não dá, mas quem fala no rádio e na tv e escreve em veículo de comunicação precisa saber dos seus limites. Confundir ironia e crítica com agressão moral dá nisso.

Nenhum comentário: