12 de janeiro de 2012

Bruxaria partidária

A conversa do momento em Maringá é a dobradinha PSB-PMDB. Se pensássemos no PSB de Arraes com o PMDB do Dr. Ulysses seria algo coerente e até interessante. Não é o caso. Em nível de Paraná, é o PSB do Severino tentando cooptar o PMDB que não é mais de Requião (nem de Pessuti), mas de Romanelli, Nereu Moura e, pasmem, de Pugliesi, o irreconhecível.

Por trás dessa possível negociação estaria o governador Beto Richa, de ôlho em 2014, e iniciando desde já sua estratégia de esvaziamento da candidatura Gleisi. Então, porque dar sopa pro azar e deixar o PMDB cair no colo do PT?
O governador estaria contando com todo o empenho do bruxo/enxadrista Ricardo Barros. Dessa forma, Barros mata dois coelhos com uma cajadada só: presta um grande serviço ao seu chefe e coloca cascas de banana no caminho de Ênio Verri. A dobradinha PSB-PMDB em Maringá facilita as coisas para o clã barroso, cuja preferência não é Quinteiro e nem Pupim.

Eu no lugar do Ênio chamaria o Chik Jeitoso para tentar uma saída para esta mandinga. Caso o bruxo curitibano não disponha de agenda, dá pra arriscar um descarrego com Noriel Vilela mesmo.

Nenhum comentário: