Pular para o conteúdo principal

Papai não aprovaria

"Antigo integrante da turma de defensores dos inúmeros processos do grupo político de Ricardo Barros responde na Justiça, o procurador jurídico da Prefeitura de Maringá, Luiz Carlos Manzato, se for candidato a prefeito de Sarandi poderá – quem diria – ter o apoio do atual prefeito, Carlos de Paula (PDT). É que De Paula comentou esses dias (depois negou, mas que era verdade, era) que até sairia candidato a prefeito de Maringá, em 2016, depois de um eventual segundo mandato em Sarandi, se o capo Ricardo Barros “mandasse”.
A seguir pelo mesmo raciocínio, se Barros “mandar”, De Paula desiste e apoia o candidato do PP".

. Do blog do Rigon

Meu comentário: se isto for verdade, o velho e saudoso Carlos Alberto de Paula deve estar se virando no túmulo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eudes venceu a Covid e está em casa. Parabéns, grande santista!

O Eudes Januário, ex-secretário municipal do Meio Ambiente (gestão Zé Cláudio/João Ivo) ficou 51 dias na UTI do Hospital Municipal com a Covid 19. Foi entubado e passou por momentos difíceis. Hoje de manhã ele recebeu alta e já está em casa com a família. Venceu o coronavírus, o grande santista Eudes.

Tal pai, tal filho?

Mera coincidência ?
--------- Um professor da UEM ia todo sábado pegar filmes em uma locadora da Avenida Morangueira. Certo dia, durante um período eleitoral, ele chegou no balcão e escolheu um monte de fitas. Quando o funcionário relacionava os filmes que seriam levados pelo professor para devolução na segunda-feira , chegou o dono da locadora, vestindo uma camiseta com a sigla PT em vermelho no peito. Enfurecido, o professor deixou as fitas no balcão, saiu bravo e mandou que cancelassem sua ficha que ali não voltaria mais. Acreditem, a história é verídica. Nome do professor: Dalto Moro (+), que aliás foi meu professor de Geografia no curso de Estudos Sociais na UEM. Dalto, muito bom na matéria que lecionava, diga-se de passagem, nutria um ódio inexplicável do PT e seu líder máximo. Aliás , o mesmo ódio que nutre seu filho Sérgio, que anos mais tarde acabou colocando Lula na cadeia.

Coisa de governador cagão

Incluir os estados na reforma da previdência é um esforço que só governadores medrosos fazem. Se o Brasil é uma federação e cada estado tem seu parlamento, qual o problema dos governadores proporem reformas próprias para as previdências estaduais e submeter seus projetos ao debate com os deputados estaduais?