27 de fevereiro de 2012

Tiro no pé

“A prefeitura de Maringá ultima os detalhes do edital de licitação para a contratação de empresa especializada para prestar serviços de coleta e tratamento de esgoto e fornecimento de água potável. Em resumo, retoma de vez os serviços de saneamento para a cidade e convoca uma licitação para o novo fornecedor".

. De milton Ravagnani (O Diário)

PS: por mais que se questione o contrato de concessão do saneamento básico à Sanepar, tirar dela é uma temeridade. Mais do que isso:uma irresponsabilidade. Primeiroporque não se tem a segurança de que seja quem for o vencedor da concorrência esta empresa vá dar conta do recado, com eficiência e uma política tarifária menor. Segundo, que a Sanepar vai à justiça para ser indenizada pelos investimentos pesados que fez aqui nos últimos 30 e poucos anos.
Do jeito que que o processo se deu, meio açodado, dá para desconfiar de um monte de coisas sobre essa retomada.O que estaria por trás dela? Porque não houve discussão com a comunidade? Ou melhor, armaram um arremedo de audiência pública, inclusive com a participação de empregados da Sanepar, que serviram de massa de manobra para justificar aquela farsa.
Quem vê pensa que a coisa é tão simples assim. A retomada do serviço, que até prova em contrário, tem fins políticos eleitoreiros,está sendo feita a toque de caixa, num ano eleitoral e recheada de pegadinhas. Parece uma comédia pastelão, que tem como título "Um tiro no pé".

Nenhum comentário: