12 de março de 2012

Filho de vereador se queixa. Tem lá suas razões


"Já faz 2 meses que meu pai morreu. Foi Presidente da Câmara e vereador com maior número de mandatos em Maringá. Até agora, infelizmente, nenhuma iniciativa do Poder Legislativo para homenageá-lo e temo que isto tenha a ver com a iniciativa do VERGONHOMETRO que divulguei aqui. Se for isto, perdão pai. Uma homenagem ao menos, da Câmara que vc fez respeitar, o Senhor merecia. Merecia sim".

. Do Willy Taguchi, no faceboock.

Meu comentário: a queixa é procedente, embora um pouco precipitada. Conheci Kazumi Taguchi, fui assessor de imprensa da Câmara quando ele exercia um dos seus, salvo engano, 7 mandatos. Com certeza será homenageado, dando o nome a uma rua ou a um logradouro importante. Como vereador, Kazumi era atuante,não faltava a uma sessão sequer e, enquanto oposição ao prefeito Silvio Barros I, fez seu trabalho, como manda o figurino. Foi dele a denúncia do banheiro, mandado construir na casa do prefeito com dinheiro público, assunto que aliás, ganhou espaço nos principais jornais do país. Se não foi o autor, pelo menos participou como co-autor da denúncia ao antigo IBDF (Instituto Brasuleiro de Defesa Florestal) contra a derrubada de árvores no Bosque 2 para a passagem da Av. JK, fato que rendeu até uma crônica do ferino Lourenço Diaféria, na Folha de São Paulo. Enfim, Kazumi fez história,é parte da história política de Maringá como um vereador que sempre honrou o seu mandato.

Nenhum comentário: