30 de janeiro de 2013

Bernardo põe as barbas de molho



O ministro Paulo Bernardo deve esta hoje com a pulga atrás da orelha. Isso porque a presidente Dilma Rousseff recebe nesta quarta-feira o ex-ministro Franklin Martins, em audiência reservada.
Franklin foi quem costurou o texto da Lei de Meios no governo Lula, com o objetivo de democratizar a mídia brasileira, uma das mais cartelizadas do mundo.

Ocorre que Bernardo sentou em cima do projeto e vem convencendo a presidente de que a mídia não precisa de marco regulatório, sugerindo que a melhor maneira de democratizar os meio de comunicação, principalmente a mídia eletrônica, é o controle remoto.
Franklin desenvolveu a tese de que é preciso colocar um freio na cartelizarão da TV e do rádio, cada vez mais concentrados nas mãos de grupos.Tanto que hoje três famílias dominam os  meios de comunicação de massa do país – os Marinho, os Saad e os Civita. Em escalas menores, mas com nada desprezível poder de fogo vem os Mesquita, os Fria e os Abravanel.

O que Franklin pretendia, com o aval de Lula, era pulverizar o sistema de concessões e socializar as verbas publicitárias do estado, como Cristina Kirchner tenta  na Argentina e para isso enfrenta uma verdadeira cruzada liderada pelo grupo Klarin.
E porque eu digo que o ministro Paulo Bernardo deve estar com a pulga atrás da orelha? Porque essa audiência reservada da presidente com Franklin é sintomática. Pode enfraquecer a tese do marido da também ministra Gleisi Hofmann.

27 de janeiro de 2013

Neymar é gênio, Já Pelé, um fenômeno único, para todo o sempre

O chapéu dado por Neymar sobre um jogador do Botafogo de Ribeirão Preto, cujo nome não precisa ser citado tantas bobagens disse depois, a ponto de não merecer vestir a camisa um dia usada pelo Doutor Sócrates, repercute até agora, pelo mundo afora.
Voltei a vê-lo diversas vezes hoje, porque embora o jogo estivesse sendo transmitido pela ESPN em Cartagena das Índias, na Colômbia, perdi o lance no momento em que aconteceu.
De volta a São Paulo, me deliciei.
Como chamar a jogada?
Ocorre-me, salvo melhores ideias que certamente haverá, chamá-la de plantada.
Porque ele deu o chapéu com a planta do pé na bola contra a grama e deixou plantado, sem ação o rival do Botinha.
Soube que houve quem dissesse que foi sem querer, que ele quis matar a bola e ela escapou de seu contrôle, encobrindo o rival.
Pode ser.
Mas deixo duas perguntas.
Uma: por que essas coisas só acontecem com craques?
Duas: quando ele a repetir, o que dirão?
Pelé, na primeira vez em que fez tabela com o pé do adversário, também foi acusado de não ter feito de propósito.
E tantas vezes repetiu a tabelinha que deixou os incrédulos com cara de tacho.

. Juca Kfouri (UOL)

Meu comentário: muita gente compara Neymar a Pelé. Há quem diga que Maradona foi melhor, que Messi supera o rei. Concordo até que Garrincha foi mais agudo, driblava mais, era gênio também. Mas Pelé é único, não por uma, por dez, por cem, por mil jogadas, mas pelo conjunto da obra. Pelé parou uma guerra, gritar seu nome salvou a vida de um repórter brasileiro no Afganistão, Pelé foi cumprimentado pela Rainha Elizabeth nos vestiários, ensaboado foi abraçado pelo senador Boby Keneddi. Enfim, Pelé fez 1.300 gols, dominou todas as cenas do esporte enquanto reinou em campo e continua sendo celebrado mundo afora aos 70. Quem viu o filme Pelé Eterno sabe que nunca mais surgirá outro Pelé.
Neymar encanta nos gramados, mas para chegar perto do rei ainda vai ter que comer muito feijão e dar muitas plantadas.

26 de janeiro de 2013

Filme de Spelberg omite que Lincoln era socialista



Li no blog do  sociólogo mineiro Rudá Ricci uma revelação que vai deixar perplexo o conservadorimo americado. Rudá reproduz artigo do também sociólogo e professor Vincenç Navarro que mostra  "O berço vermelho do Partido Republicano" , se contrapondo ao filme de  Sipelberg sobre Lincoln.
Acredite se quiser, Abraham Lincoln bebia na fonte de Marx, pois “simpatizou claramente com as demandas socialistas do movimento operário , não só dos Estados Unidos mas do mundo”. O professor Vincenç escreve: “Na realidade, Lincoln considerava como um Direito Humano o direito do mundo do trabalho de controlar o produto de seu trabalho, postura claramente revolucionária naquela época (e que continua sendo hoje) e que nem o filme nem a cultura dominante nos EUA lembram ou conhecem, sendo convenientemente esquecida pelos aparatos ideológicos do establishment estadunidense controlados pela Corporate Class”.
Bem, sendo o presidente lenhador uma referência histórica da mais alta relevância para a democracia ocidental e também para o neoliberalismo, é de se supor que suas idéias socialistas-marxistas,omitidas no filme, deve gerar um grande a acalorado debate na terra de Tio San. E de certa forma também, oxigena um pouco o discurso da esquerda ocidental, que anda mais perdida do que cego em tiroteio. Alvissara!!  

Surtos ocasionas de xenofobia sulista

 Chegando meio de soslaio presenciei dia desses em frente a uma clínica de fisioterapia, uma conversa esquisita entre dois senhores de meia idade, que me deixou profundamente aborrecido. Dizia um deles, sitiante: "Olha, o Sul estaria bem melhor se a gente não tivesse que sustentar o povo lá de cima, do Nordeste, que quase nada produz. Parte da nossa riqueza vai tudo pra lá".
O outro, que me pareceu gerente de loja, concordou:" Também acho isso. E o governo fica tirando o dinheiro da nossa região para sustentar gente que não trabalha, com bolsa família. A gente tem dó daquele povo por causa da seca, mas eles é que atrapalham um maior desenvolvimento do resto do país".
Entrei na conversa, eeducadamente e falei que os dois estavam enganados, porque o Nordeste é rico, produz uma variedade enorme de coisas, tanto na indústria quanto na agricultura (citei o exemplo de Irecê na Bahia, grande produtor de feijão), falei da indústria do turismo, da produção cultural, das riquezas naturais - baixita, petróleo , etc. Não convenci , mas eles ficaram penstivos e meio envergonhados pelo que deu pra perceber. Ao sair, recomendei entrar no YouTube e ouvir a música Nordeste Independente.


Engenheiros contra o "roubágio"

O CREA-PR vai iniciar campanha contra a renovação dos contratos de concessão de rodovias estaduais e federais no Estado às empresas pedagiadoras. Em nota oficial emitida após reunião ondetm à noite em Curitiba, a entidade que representa os engenheiros descarta a realiszação de uma campanha de mobilização estadual, mas deixa clara sua posição contra o sistema de cobrança nas praças de pedágio.
 Em certo trecho da nota, o CREA bate forte: "Em 1997, ainda na gestão FHC, o governo federal delegou ao Paraná 1.691,6 km de rodovias que deveriam ser mantidas pelo governo estadual em troca de cobrança módica de pedágio junto aos usuários. No entanto, os paranaenses assistiram nesses últimos 15 anos a cenas de “roubágio” à luz do dia";.

24 de janeiro de 2013

Pupin e o Analista de Bagé

Mal começou o seu governo e o prefeito  Pupin  mostra que sua agenda social será como a terapia do  Analista de Bagé. Na base do joelhaço será possível resolver todos os problemas, inclusive o da injustiça fiscal e da desastrada política habitacional dos últimos 8 anos em Maringá.
Só lembrando para tornar mais clara a comparação: pela técnica do analista criado por Luiz FernandoVeríssimo, " quando o paciente vem se queixar de suas dores subjetivas, o joelhaço aplicado no local correto oferece ao sujeito a vivência de uma dor tão mais intensa que faz com que se esqueça das dores "menores".

22 de janeiro de 2013

É hora de discutir a falta que o cobrador faz



Sobre o acidente com dois ônibus da TCCC hoje de manhã na Avenida Guaiapó , com 15 feridos, disse u encarregado de trânsito da empresa, Eliverte Riedo que “o ônibus 235 trafegava pela avenida Guaiapó e ao entrar na Rua Patrícia, teria freado bruscamente para não colidir com um Golf que estava na contramão. O carro que fazia a linha 234 vinha logo atrás e não conseguiu evitar a colisão, atingindo a traseira do primeiro ônibus”.
Essa é a versão oficial que deve ganhar força no dia de hoje pela mídia local. Mas há pouco ouvi uma enquete  pela CBN em que um dos entrevistados disse alto e bom som: “No momento da batida  o motorista do ônibus que bateu atrás fazia o troco de R$ 10,00 para um passageiro”.
Esse acidente, que levou muita gente ao hospital, mostra claramente o tamanho do erro que foi a retirada do cobrador. E convém lembrar que, quem autorizou esta sandice foi o prefeito Silvio Barros II no início do seu primeiro mandato.
A relação  entre o poder público municipal e a empresa de transporte coletivo urbano de Maringá merece uma investigação profunda, tanto do Ministério Público quanto da Câmara Municipal, com amplo apoio da sociedade civil organizada e, ironias à parte, com a SER e o Observatório Social à frente.
A cidade precisa rediscutir o monopólio da TCCC, renovado de maneira muito esquisita pela administração passada e cobrar total transparência na planilha de custos, além de colocar na pauta a questão do cobrador. Que este lamentável acidente sirva pelo menos de motivo para o grande debate municipal que nunca houve, mas que já passou da hora de acontecer.
 

20 de janeiro de 2013

30 anos da morte de Garrincha



“Se há um Deus que regula o futebol, esse Deus é sobretudo irônico e farsante, e Garrincha foi um de seus delegados incumbidos de zombar de tudo e de todos, nos estádios. Mas, como é também um Deus cruel, tirou do estonteante Garrincha a faculdade de perceber sua condição de agente divino. Foi um pobre e pequeno mortal que ajudou um país inteiro a sublimar suas tristezas. O pior é que as tristezas voltam, e não há outro Garrincha disponível. Precisa-se de um novo, que nos alimente o sonho.”

Carlos Drummond de Andrade



19 de janeiro de 2013

Ênio e Pupin, na mira do franco atirador

No governo do município de Maringá o doutor Carlos Roberto Pupin tem a posse, mas falta-lhe o marco, que foi concedido anteriormente ao deputado Ênio Verri pelo Tribunal de Justiça do Estado do Paraná. Se os dois políticos fossem nordestinos repentistas poderiam fazer um desafio assim:

Ênio:

Em volta deste meu marco

Vou cercá-lo de espinho

Por lá não passa os pássaros

Nem calango faz caminho

O barão não chega perto

Fica meu marco sozinho



Pupin:

Eu vou colocar meu marco

Pondo três lagoas preta

A primeira com sezão

A segunda com maleita

A terceira quebra as pernas

Que nunca mais endireita



. Nerino Alves Pacheco

Uns tem fé de menos e eles, fé demais

A revista americana Forbes publica uma singela relação dos líderes religiosos mais ricos do Brasil. Pela ordem:




Edir Macedo - patrimônio de R$ 2 bilhões ;

Valdemiro Santiago - patrimônio de R$ 400 milhões

Silas Malafaia - RS patrimônio de R$ 300 milhões

R.R. Soares - R$ 250 milhões

18 de janeiro de 2013

Cadê vocês?

Muita gente protestou,foi pra rua, gritou e esbravejou contra a possibilidade da Câmara Municipal de Maringá aumentar o número de cadeiras. Cadê essas entidades que lideraram o tal movimento em defesa do erário que não fez o mesmo com relação ao escândalos dos 515 CCs da nova administração Ricardo/Pupin?

Herança da casa-grande...




. Por Mino Carta, na revista CartaCapital:



Não quero que os ricos chorem, dizia o líder do PSD sueco, Olof Palme, quero é que os pobres riam. Palme, social-democrata autêntico, foi primeiro-ministro e crente denodado da igualdade social. Sublinho autêntico para que não seja confundido com nossos social-democratas de fancaria.    Vivemos o tempo dos super-ricos e dos superpobres. A diferença entre uns e outros tornou-se voragem infinda, abismo sem fundo. O Brasil também conta com seus super-ricos, arrolados nas listas anualmente propostas ao espanto global. Esta privilegiadíssima tigrada dispõe de fortunas calculáveis em bilhões e não é fácil entender como se deu esta frenética, desenfreada multiplicação de dinheiro, enquanto bilhões de seres humanos morrem de fome.

Eu diria que os super-ricos me incomodam muito menos do que os aspirantes a super-ricos. Medram no Brasil, em diversos patamares da escada social, burgueses e burguesotes de diversos calibres. Classes A e B1, digamos, sem excluir de pronto os anseios recônditos de inúmeros remediados. Pergunto: que ricões, ricos, riquinhos e sonhadores de riqueza são estes?”

15 de janeiro de 2013

Insônia na zagueirada

O Neymar acaba de ser eleito o sétimo armador do mundo. Em 2012 ele fez muitos gols, barbarizando defesas. Além disso, serviu aos companheiros que estavam em condições de balanças redes adversárias. Agora contando com dois ótimos garçons (Marcos Assunsão e Montilo) dá pra imaginar o que o menino poderá aprontar em 2013. Já tem zagueiro aí com insônia.

O abençoado xisto de São Mateus


O Ministério das Minas e Energias já se convenceu que precisa recorrer aos ventos para reforçar a produção de energia eólica e investir pesado em outras fontes de energia, porque deixar o sistema elétrico dependente dos rios é ficar nas mão de São Pedro. Por isso os olhos do país começa a se voltar para uma cidade paranaense que, escrevam aí, deve experimentar um novo boom de crescimento nos próximos anos. É São Mateus do Sul, capital nacional do xisto, onde a Petrobrás já mantém uma usina.

O aproveitamento do gás do xisto na produção de energia elétrica é que tem salvado a lavoura nos Estados Unidos. O Brasil, que é rico em xisto betuminoso, prepara-se para investir em São Mateus do Sul e com o gás natural que brota dos folhelhos implantar novas termelétricas e garantir para o país um futuro sem apagão. Que os anjos digam, amém.

14 de janeiro de 2013

Um comunista na OAB

A Ordem dos Advogados do Brasil , seção Paraná, terá a partir dessa quinta-feira uma diretoria de esquerda, aliás, um presidente de extrema-esquerda. Nada a estranhar não fosse a OAB paranaense o supra sumo do conservadorismo. Juliano Breda, o Bredinha, marxista-leninista de primeira hora,  será o presidente empossado, com a presença de ninguém menos do que os  ministros Paulo Rebelo (PC do B) e Paulo Bernardo (PT), além do presidente nacional da entidade, Ophir Cavalcante.

Três pérolas da MPB

13 de janeiro de 2013

Grande João!

O IAP dificulta acesso das empresas ao crédito abundante

Nenhum empresário bem intencionado que investiu ou pensa em fazer crescer seu negócio, pode criticar os governos Lula e Dilma. Os empréstimos para compra de máquinas, por exemplo, são abundantes e com juros irrisórios, coisa de pai pra filho. Mas no caso específico do Paraná o empresariado anda passando maus bocados nas mãos do governo estadual,  porque o órgão que  emite os laudos de impacto ambiental senta sobre os pedidos e deixa a maioria mofar nas gavetas. Sem laudo do IAP, no caso de maquinaria, não tem como viabilizar os financiamentos na Caixa Econômica. Em Maringá , são cerca de 300 empresas esperando a boa vontade do Instituto Ambiental

11 de janeiro de 2013

Altamiro detona Jabor




No Jornal da Globo de ontem à noite, o "calunista" Arnaldo Jabor voltou a destilar seu ódio teatral contra o governo da Venezuela. Acusou Hugo Chávez de ser um "Mussolini tropical" e disse que com a sua morte se instalará de vez uma "ditadura radical" no país vizinho. De forma irresponsável e criminosa, ele garantiu que "a milícia boliviarana tem 50 mil soldados prontos para a guerra" e outros "60 mil expedicionários cubanos armados" para derrotar a oposição. Num total desrespeito ao povo venezuelano e à democracia, disse ainda que Chávez se sustenta graças à "ignorância popular" e à "distribuição de porções de esmola".   . Altamiro Borges (Blog do Miro)

Vem aí Serra, "O homem marcado para perder"

José Serra está deixando o ninho tucano, porque ele não quer mais o PSDB e nem o PSDB o quer. Vai pra onde? O DEM do Kassab o rejeita, parte do PPS o aceita e parte não quer vê-lo nem pintado de ouro. O destino dele deve ser um partido novo, que estaria articulando com o sempre politicamente inexpressivo Paulinho da Força. Mas, escrevam aí: num partido ou noutro, Serra será novamente candidato a presidente.


Teremos, então, três candidaturas fortes (apesar de tudo Serra ainda tem um grande eleitorado), o que significa que teremos segundo turno em 2014.

O outro candidato é o maior adversário interno de Serra, que preterido nas eleições de 2010, não abre mão de disputar em 14. Ele mesmo, Aécio Neves, que já declarou várias vezes pretender levar o PSDB para o centro-esquerda. Dilma, candidata à reeleição terá que trabalhar muito para continuar no Palácio do Planalto, posto que ela não é um Lula em termos de voto, por maior que seja a aceitação do seu governo.

Vai ficar interessante o debate político ano que vem. Aécio pousando de centro-esquerda; Serra, potencializando o discurso de centro-direita e Dilma no meio, com o discurso rosa – choque do PT e se contrapondo ao esquerdismo falso de Neves.

É na onda dessa confusão ideológica que Serra pretende surfar e tentar , pela terceira vez, chegar aonde nunca chegará, posto que já está pronto para ser rodado o filme “O homem marcado para perder”.



10 de janeiro de 2013

Prevaricação

O secretário de Comunicação de Pupin, Milton Ravagnani, observa leitor, incorre em prevaricação ao escrever em O Diário que existem pessoas da oposição sendo remunerados para atacar seu prefeito. Como agente público, deveria denunciar a tal irregularidade ao Ministério Público, algo que em Maringá soa como piada, já que aqui o costume é o poder público pagar a turma (e bem) para elogiar o poderoso de plantão – e está aí o processo da época de Gianoto, contra vários veículos de comunicação, inclusive jornais, para provar. Aguardemos que Ravagnani, advogado, encaminhe a denúncia com provas às autoridades, e não apenas faça coro aos curiós.

. Blog do Rigon

Meu comentário: a denúncia é absurda, beira ao ridículo. Em todo caso, se há algum indício, que o secretário denuncie ao Ministério Público. Ou cale-se para sempre.

3 de janeiro de 2013

O câncer está nocauteando o guerreiro

O presidente da Venezuaela respira por aparelhos e seu estado é considerado terminal. O irmão dele, Adán Chaves, está a caminho de Havana , provavelmente para autorizar o desligamento dos aparelhos.
Segundo a imprensa espanhola o câncer do guerreiro bolivariano já fez mestástase. É o fim da linha.

A saída de Hugo Chaves de cena deve mudar o quadro político da América Latina. Sem Chaves haverá um esvaziamento do duscurso nacionalista no nosso continente.E o dsestino da Venezuela, que conta com reservas quase infindáveis de petróleo no Vale do Orenoco, será incerto. O que é certo é que seja quem for o substituto de Chaves (a Constituição manda que o Parlamento convoque novas eleições em caso de morte do presidente) o país se enfraquecerá muito na luta dos seus nativos pela manutenção das reservas de petróleo nas mãos do estado nacional.