21 de abril de 2013

Com Gleisi fora, Beto se anima. Não deveria

“Richista de primeira hora conta ter ouvido de Osmar Dias que Gleisi Hoffmann não será candidata ao governo em 2014. E que ele também não será. Sendo assim, porteira aberta para Roberto Requião, único com densidade eleitoral e capaz de herdar o espólio da ministra, que ficará em Brasília para cuidar do governo, aliás, como já vem fazendo, com Dilma solta em plena campanha. Osmar teria assegurado que vai de Requião e o que ele quer mesmo é voltar para o Senado. Aliás, o atual nº 1 do PMDB nacional, Valdir Raupp, em sua rápida passagem por aqui, alertou a companheirada para essa possibilidade e aconselhou que não deixasse Requião sem retaguarda para não se arrepender lá na frente”.
. Blog do Cícero Catani


Meu comentário: não é de hoje que Requião vem trabalhando pra ser candidato em 2014. Perdeu o comando do diretório estadual, mas não desistiu de continuar brigando pela indicação do seu partido. Mas tem porta aberta para seguir tentando se cacifar, ainda mais depois que o Diretório Nacional decidiu que o PMDB deve disputar pra governador em todos os Estados onde tiver nomes fortes. O comentário de Raupp fortalece ainda mais Requiã, que se não vencer, ainda terá mais quatro anos de mandato no Senado.
O governador Beto Richa pode até se alegrar com a possibilidade de não ter que enfrentar Geisi Hoffmann, mas conhecendo Requião como ele conhece, não creio que ele vá dormir tranquilo.
Quanto à disputa pela única cadeira no Senado, o que não deve faltar é concorrente. Osmar quer ser candidato, mas é duvidoso que ele queira enfrentar o irmão Álvaro, que já tem mandato e é o nome a ser consagrado pelo PSDB. Devemos ter também o ex-vice e ex-governador Orlando Pessuti na parada. E Rocardo Barros que fez mais de 2 milhões de votos em 2010? Bem, Ricaro não abrirá mão de fazer uma segunda tentativa de chegar ao Senado da República. O problema dele é um só: Lei da Ficha Limpa. Será que conseguirá registrar sua candidatura?

Nenhum comentário: