16 de julho de 2013

A falência da elite perdulária

Nem festa luxuosa de casamento escapa mais da onda de protestos de uma sociedade cansada de tanto esbanjamento e futilidades. Ainda mais quando quem esbanja tem no bolso do povo a fonte da sua fortuna.Foi o que aconteceu no Copacabana Palace (Rio de Janeiro), onde se casaram filho e neta de empresários do transporte coletivo. A festa custou a bagatela de R$ 3 milhões para mil constrangidos convidados.
Este não é um fato prosaico, não. Ao contrário, é emblemático. Isso mesmo, emblema de uma elite decadente, que ao tampar os ouvidos e fechar os olhos para a realidade que a cerca, acaba se dando mal, como de fato se deu nesse caso específico. Uma coisa é certa: o casamento de Beatriz Barata, neta do “rei dos ônibus” do rio e Francisco Feitosa Júnior, filho de Francisco Feitosa, grande empresário do setor de transportes do Ceará será sempre lembrado quando alguém desse meio decidir ostentar. É assunto para os sociólogos se debruçarem sobre ele, mas no meu modesto exercício de sociologia de botequim , diria: enfim, a classe média deixa de cultivar a aspiração pela proximidade de uma elite deslumbrada para cair de vez na real.

Nenhum comentário: