12 de julho de 2013

Não deixem o "Zé Baêta" fora dessa

A Câmara aprovou e o prefeito Pupin vai privatizar o Parque do Japão. A obra, que custou uma nota preta aos cofres municipais, foi um delírio do ex-prefeito Silvio Barros II que, praticamente, ignorou a importância da Acema na preservação da cultura japonesa em nossa cidade.
O fato concreto é que a obra está pronta e não pode continuar subutilizada. Mas é de bom alvitre que a dita sociedade organizada, SER e Observatório Social à frente, não deixe de passar o edital de concorrência sob seus filtros de moralidade. Até como forma de evitar que haja uma ampliação dos prejuízos e também de garantir que o povo tenha facilitado o seu acesso àquele espaço público, que tão caro lhe custou.
Nada contra a colônia japonesa, de inegável importância no processo de desenvolvimento de Maringá. O problema é que o projeto megalomaníaco ensejou a necessidade também, de se fazer aqui, pelo menos, um Parque da Itália, um da Alemanha e outro de Portugal.
Imagine só, o município faz uma obra bonita e cara e entrega de bandeja para um particular ganhar dinheiro. Até o meu amigo “Zé Baêta” , que de bobo só tem a cara e o jeito de andar, queria um negócio desse.

Nenhum comentário: