12 de setembro de 2013

Sanepar como prato do dia no Palácio


Beto Richa segue as pegadas do seu maior inspirador político, não o pai, o saudoso e politicamente correto José Richa, mas Jaime Lerner, o entreguista. Lembremos que em seus 8 anos de governo, Lerner só não vendeu  a Copel porque a sociedade se mobilizou e o pau comeu na casa de Noca. Mas não houve tempo de salvar a Sanepar, que foi semi-privatizada. O povo paranaense não se deu conta do caso Banestado, que quebrou ao sair por aí comprando títulos podres de estados falidos. Depois o banco foi vendido a preço de banana  ao  Itaú.
No caso específico da Sanepar, quando voltou ao governo, Requião retomou o controle total da companhia, onde já mandava o grande acionista frances Vivendi, que ocupava cargos chaves na estatal do saneamento, tendo como preposto o Grupo  Dominó. Agora os franceses voltaram a mandar na parada e com o aval da Assembléia Legislativa. Lembrando que segunda-feira o governador Beto Richa almoçou no Palácio Iguaçu com a bancada do PMDB que ele havia cooptado. Nesse almoço, evidentemente, o prato servido aos famintos comensais foi “Sanepar ao molho madeira”.

Nenhum comentário: