29 de dezembro de 2013

Belchior está fora da casinha

O  meu amigo João Ivo Caleffi postou   no face uma nota sobre Belchior (com link para a notícia da revista Época), que me deixou meio pra baixo. É isso aí:  o genial autor de canções maravilhosas como A Divina Comédia Humana , Paralelas , Galos, Noites e Quintais e Pequeno Perfil de um Cidadão Comum está numa pior. Vive escondido, ameaçado de prisão, por conta do não pagamento de pensão alimentícia. Está um trapo. Dizem os amigos e parentes do genial cearense, que ele é vítima de uma paixão doida, por uma ex-militante de esquerda , com quem vive escondido em Porto Alegre, curtindo o lado trágico da sua “Divina Comédia Humana”.
Estaria Belchior e sua musa vivendo sua utopia, ou curtindo o desencanto que o capitalismo selvagem lhes trouxe? .
Belchior , destaca a revista Época “é um artista com vasta cultura, domina cinco idiomas, conhece filosofia e gosta de física quântica. Até os anos 2000, lançava em média um disco por ano. “Ele era uma máquina, chegava a fazer três shows por noite. Era uma pessoa completamente dedicada à carreira”, diz o parceiro e ex-sócio Jorge Mello.

Tive o privilégio de recepcionar Belchior na TV Tibagi wm Maringá,  depois de ir com meu carro buscá-lo no Hotel Deville para uma entrevista ao vivo no TJ Meio Dia (local). Que figura extraordinária. Grande poeta, boa prosa e uma humildade que poucos artistas famosos têm. Sou fã de carteirinha do Belchior.


Nenhum comentário: