31 de maio de 2014

Descaso lá, passividade cá

Eis uma maneira nova de protestar contra o descaso do Estado. Há mais de um ano o RU está fechado, porque o governo Beto Richa não paga a empreiteira que reforma e amplia o restaurante universitário. É incompreensível a passividade do reitor Júlio e dos conselhos superiores da UEM com relação a isso. Não só com relação  às reformas do RU mas à construção de novos blocos e até da Emergência Clínica do Hospital Univesitário. O fato concreto é que o governo tucano trata as universidades estaduais a pão e água.
Também, com reitores tão cordatos, não poderia ser diferente.

30 de maio de 2014

Esta é Pintadas


Na condição de embaixador de Pintadas (Bahia), meu torrão Natal, recomendo este vídeo, que mostra como uma cidade do Nordeste, do polígono das secas conseque driblar as dificuldades com projetos revolucionários de inclusão social:

Jantar no Torto temperou a sucessão no Paraná

A presidente Dilma Rousseff terá palanque duplo no Paraná, caso Roberto Requião seja mesmo candidato a governador, que é o que a direção nacional do PMDB costura no momento. Pior para Beto Richa, que continua sonhando com a aliança PSDB/PMDB, que lhe daria a vitória no primeiro turno. A julgar pelo jantar na Granja do Torto esta semana, quando Requião foi convidado especial do vice e da presidente da república e pelo encontro de Michel Temmer com 500 lideranças peemedebistas no Paraná quinta-feira, a candidatura própria do PMDB está se consolidando. Isso muda completamente o cenário da sucessão estadual. Teríamos , então, três candidatos de ponta, segundo turno garantido e uma disputa final imprevisível, entre Beto Richa e Requião, Beto e Gleise Hoffmann ou Glisi e Requião.

27 de maio de 2014

Desleixo criminoso

Vi agora de manhã uma reportagem no Jornal da Massa sobre as aduanas do Brasil e da Argentina. O controle que os hermanos fazem da entrada e saída de pessoas, argentinos ou estrangeiros, é rigoroso e eficiente. No Brasil, a aduana  tem uma boa estrutura física, mas falta gente pra verificar  os veículos que por ali passam. É um desleixo total, o que, de certa forma, explica a facilidade que tem contrabandistas e traficantes de entrar em nosso país cheios de muamba.

26 de maio de 2014

Música de qualidade

Lamento não ter ido ao show que ele apresentou sábado último no SESC, mas no próximo ,estarei lá. Ronalo Gravino é um intérprete de primeira grandeza dos grandes compositores da MPB. Atua profissionalmente em Maringá há anos, fazendo shows, trabalhando com arranjos, compondo, matando a pau. Em  2008 tive o prazer de conhecê-lo, quando fez arranjos para um jingles de campanha eleitoral que compus, além de ter gravado alguns. O cara é fera.

Lições de um passado recente

                                                                                 . Por Carlos Chagas (blog do Cláudio Humberto)

Momentos de  nossa História recente merecem ser lembrados,   quando nada para não se repetirem. Desde 1963 que a nação estava dividida. De um lado o presidente João Goulart, empurrado por lideranças sindicais e por parte de seus correligionários para a necessidade de mudanças profundas e atabalhoadas  nos planos social, econômico e político.  Além, é claro, de suas próprias inclinações, disposto a marcar seu governo como Getulio Vargas tinha marcado o dele, por reformas capazes de beneficiar o proletariado urbano e os assalariados, além de dotar o país de uma infra-estrutura nacional. Só conseguiu alcançar essas metas através de um estado unitário, dissolvendo a federação e o Congresso. Mas levou quinze anos, sendo que Goulart, seu afilhado político, só dispunha de três, depois de libertar-se de um parlamentarismo de ocasião. Assim,  Jango estimulou movimentos de massa, geralmente pacíficos bem como  greves, que se repetiam aos montões. Adotou restrições à remessa de lucros por parte de companhias  estrangeiras, aceitou a estatização de prestadoras de péssimos  serviços públicos e criou empresas públicas que serviriam de alternativa  para as concorrentes alienígenas, como  a Central de Medicamentos, para produzir remédios a preços populares. Empenhou-se, também, numa ampla reforma agrária em condições de reduzir a presença do  latifúndio que predominava de  Norte a Sul. Libertadas tantas forças antes divididas e até conflitantes,  vieram os excessos, também unindo quantos se opunham às  chamadas reformas de base.
Insurgiram-se o empresariado nacional e multinacional,  a Igreja e os meios de comunicação, logo conseguindo cooptar a classe média, temerosa da presença do proletariado ao redor do poder e servindo de trampolim para a preservação dos privilégios das elites. Apregoava-se estar o comunismo a um passo de conquistar o Brasil, o que era renomada mentira, mas que de tantas vezes repetida, tornou-se verdade aqui e lá fora. Os Estados Unidos, acostumados a dominar o quintal latino-americano,  assustavam-se com a revolução cubana,dispostos a não permitir sua repetição do lado de cá do mundo.
Rachada de alto a baixo, a sociedade especulava a respeito da posição a ser adotada  pelasforças armadas, realmente o fator maior de decisão sobre os rumos a tomar. O presidente já tivera problemas militares quando de sua tumultuada posse, em 1961. Depois da iminência da guerra civil, prevaleceu o espírito legalista da maioria da oficialidade.  Jango imaginava que com a mudança nos comandos principais, detinha o controle de um esquema sólido e fiel à sua condição  de comandante em chefe.   Foi quando cedeu a mais uma pressão de seupano de fundo meio cego e  meio irresponsável. Apoiou reivindicações de marinheiros rebelados, anistiando-os, e também de sargentos.  Partiu para a implantação das reformas através de decretos, sem a participação do Congresso, também dividido,  ainda que mais conservador do que reformista. Disposto a mudar o país através da convocação das massas, não percebeu que já se conspirava, antes para impedir a realização de seu programa, depois para depô-lo.
O resultado é conhecido. Quando os tanques deixaram os quartéis, a classe média e as elites  aplaudiram, tendo os operários ficado em casa e os camponeses continuando a  trabalhar na enxada. O primeiro general-presidente, Castello Branco, foi entoado em loas e saudado como se tivesse sido eleito. Duas fobias, porém, envolveram o  novo governo: os militares,  confundindo adversários com inimigos, exigindo do presidente medidas de exceção e permanente caça “aos comunistas”, primeiro cassando, suspendendo direitos políticos e censurando. Mais tarde, torturando. No reverso da mesma medalha,  as elites deitaram e rolaram, através  de uma política econômica voltada para a ampliação de seus interesses, com prevalência das multinacionais. Em poucos anos e alguns generais o jogo virou. Primeiro os estudantes, mais tarde os operários, em seguida a Igreja e a classe média, formou-se uma frente ampla contrária ao regime castrense. Até uma insensata luta armada deu aos donos do poder argumentos para nele permanecerem. Só que não agüentaram. Felizmente, tudo se passou em etapas quase pacíficas. Mas saíram, depois de 25 anos.
Por que se recordam  esses episódios esparsos? Para que o leitor  classifique em que etapa  do processo nos encontramos hoje

23 de maio de 2014

Há algo de podre no reino da Dinamarca

"A rede de supermercados que não viro:
Carioca de nascimento, João Luiz Bresciani Dias  era vendedor até se tornar presidente do Partido Trabalhista do Brasil (PT do B) em Maringá, dois anos atrás. 
Passou a integrar o condomínio partidário de Ricardo Barros (PP), foi um dos seis candidatos a vereador pelo partido (fez 195 dos 993 votos obtidos pelos candidatos da legenda) e no ano passado foi nomeado cargo comissionado pelo prefeito Carlos Roberto Pupin (PP) na Secretaria de Assuntos Comunitários, símbolo GAS (cerca de R$ 3,7 mil mensais).
  Em 2012, ao TSE, Bresciani informou não possuir nenhum patrimônio. Entre fevereiro e março deste ano ele adquiriu trêsmercados localizados em Maringá (dois na avenida Tuiuti e um na avenida Sabiá, no Conjunto Ney Braga) e um outro no Jardim Floresta, em Sarandi, negócio que ultrapassaria os R$ 5 milhões, já que a compra incluía o ativo e o passivo dasempresas. 
Quando o blog começou a investigar a notícia das aquisições, no início de abril, muitas eram as especulações, principalmente o boato de que ele estaria agindo como laranja de alguém e que privilegiava estabelecimentos que estivessem em dificuldades financeiras; o objetivo seria futuramente credenciar os mercados para fornecimento de cestas básicas e até de cartão alimentação junto à administração municipal. 
O ex-vereador Zebrão  (PP), também CC na Seac, passou a ser visto ao seu lado inclusive no fechamento das compras e até mesmo visitando os supermercados e conferindo sua situação. onta-se que além de participar das reuniões o ex-vereador ditava as ordens e comandava as negociações. Bresciani chegou a comentar com interlocutores de que Zebrão iria se filiar ao PT do B. Falava-se então que estaria procurando mais dois mercados para comprar, um deles em Mandaguaçu, para poder formar a Rede Rio de Supermercados." 
. Blog do Rigon

22 de maio de 2014

Ele virou Huck

Informa Ismael em seu blog, que esta semana ofereceram R$ 30 milhões para Roberto Requião desistir da sua candidatura ao governo do Paraná. Não foi o próprio Requião que contou, contaram para o blogueiro , informando que o senador teria ficado, possesso, saiu da casinha. Falou um monte de palavrão ao emissário, que não foi revelado a mando de quem ainda. "Vá a puta que pariu!", foi a expressão mais suave que ouviu da boca de um enfurecido Requião.

15 de maio de 2014

Malandragem gráfica

Na grafia da logo da novela, letras foram trocadas por números, deixando clara a propaganda eleitoral, ainda que subliminarmente. O 40 é do PSB (Eduardo Campos) e o 45, do PSDB  (Aécio Neves).

13 de maio de 2014

Sem dúvida, um fenômeno de comunicação

Benedito Cláudio Pinga Fogo de Oliveira era mesmo um fenômeno de comunicação. Confesso que não o tinha nas minhas relações de amizade , mas devo reconhecer que há muito tempo o rádio maringaense não tinha um comunicador como ele. Até na hora da morte esse seu poder de comunicação se manifestou. Fiquei sabendo da morte do Pinga Fogo hoje às 6h30 da manhã, vejam só, por meio de um morador de rua, que me abordou em frente a uma padaria da Avenida 19 de Dezembro para pedir um trocado. Dei-lhe  uma moeda de R$ 1,00 e em seguida ele me deu a notícia: "Viu quem morreu hoje? O Pinga Fogo. Fiquei sabendo agora na Rádio Nova Ingá". O morador de rua tinha dormido sob uma marquise , abraçado a um radinho, cuja sintonia, quase fixa, era na Nova Ingá AM.

11 de maio de 2014

Crispim, que é Ricardo,seria pela volta de Requião?

No encontro do senador Requião com lideranças peemedebistas de Cianorte, lá estava o indefectível  Umberto Crispim, presidente do PMDB de Maringá, ex-adversário figadal  do grupo político dominado por Ricardo Barros. Hoje, nem só é "barrista", como Crispim até ocupa uma secretaria na administração do prefeito (de direito) Roberto Pupin e de fato, Ricardo José  Magalhães Barros, a quem Roberto Requião chama de "leitão vesgo". Fica a pergunta: será que  Crispim e o agora também "barrista" Miguel Grilo, vão defender uma composição do clã com Requião, oferecendo Silvio Barros II (PHS) como vice?
Em tempo: no encontro de Cianorte Requião ganhou apoio de mais um deputado estadual que até ontem era Beto Richa - Jonas Guimarães.

Com professor não se brinca

De um professor aposentado, mas muito antenado: "Para quem pensa que desrespeitar os professores da rede estadual, não dá nada, lembre que até hoje o senador Álvaro Dias paga o preço de ter soltado a cavalaria em cima de professores concentrados no Centro Cívico". O recado, segundo ele ,vale para quem quer que esteja no governo estadual. Portanto, Beto Richa que fique esperto.

9 de maio de 2014

Requião virou a mosca na sopa de Beto

A campanha "volta Requião" que dedesenrola dentro do PMDB deixa o governador Beto Richa com a cabeça quente. Seu sonho de consumo era ter o maior partido do Estado na sua coligação, se possível dando o vice, com cujo cargo sonham Romanelli e Cheida. Mas a tese da candidatura própria com o senador na cabeça cresce a cada dia. E Requião candidato e certeza de segundo turno para governador. E aí o jogo se equilibra, não garantindo o tucano no segundo turno e muito menos a petista Gleise.
Na sua última passagem por Maringá, Requião conquistou o "PMDB Mulher" e pra foto pousoum ainda que lá atrás, mostrando só a cabeça, o  ex-PMDB de guerra Miguel Grilo, hoje aliado de Ricardo figura que o senador abominava. Eu disse abominava, porque em política nada é definitivo. Nem a repulsa.

Segundo turno à vista

Aécio sobe, Dilma cai, Campos pára . Vai ter segundo turno,se o mineiro continuar nessa linha ascendente e Dilma,na descendente.

3 de maio de 2014

A morte da vidente

Benedita Finazza morreu ontem aos 83 anos em São Paulo, onde morava. Lembram dela? É a Mãe Dinah, vidente que previu o desabamento do prédio do Aspen Park de Maringá, que felizmente não aconteceu. Ela dizia também ter previsto a tsunami no Japão ocorrida em 2011 e a morte dos Mamonas Assassinas. 


1 de maio de 2014

Enfurecido, Requião acusa tucanos de tentarem comprar peemedebistas

O senador denuncia via twitter:

"Delegado do PMDB PR me diz que dep adesista safado lhe propôs trocar seu voto com pedra irregular no município . Mandou enfiar no..."


"A volta do velho PMDB PR de guerra virou onda definitiva no Paraná. O PSDB E ADESISTAS QUEREM COMPRAR A CONVENÇÃO. A QUALQUER PREÇO. CADEIA!" 


Salve, Daniel Alves!


O xadrez petista e o espólio de Vargas

Com André Vargas fora do páreo os petistas do Norte do Paraná que disputarão uma cadeira na Câmara Federal começam a refazer seus cálculos e a definir estratégias para conquistar os votos do ex-companheiro. Na região Noroeste, onde Vargas mantinha uma boa base, reforçada pela saída de Paulo Bernardo da disputa , há um herdeiro natural desse espólio. Chama-se Ênio Verri, deputado estadual e presidente do PT no Paraná, que dessa vez pretende voar de Curitiba para Brasília. Lembro a propósito que em 2006, quando João Ivo Caleffi foi candidato a federal, dobrando com Verri em Maringá, por exigência partidária,  ele foi preterido na partilha das bases de Bernardo e quem abocanhou boa parte dos votos que o ministro tinha na região do Arenito foi exatamente Vargas.
Agora, Ênio corre sozinho por essas bandas,  de onde se conclui que só os votos do petismo o elegerá. A tira-colo ele levará por onde for, o irmão Mário, eleitoralmente viável por causa exatamente das composições que ora se encaminham. Nesse quadro, quem deve ser prejudicado, pela dificuldade de expandir sua campanha para fora dos limites do município de Maringá , é  vereador Humberto Henrique.  Henrique,  bom que se diga, é considerado desde a legislatura passada, o melhor  vereador da Câmara de Maringá e com um potencial eleitoral enorme aqui na cidade. Mas talvez isso seja insuficiente para cacifar sua candidatura a estadual. Seria bom para Maringá tê-lo na Assembléia Legislativa, esteja quem estiver no Palácio Iguaçu a partir de janeiro de 2015 - Gleisi, Requião ou o próprio Beto Richa.

.