23 de maio de 2014

Há algo de podre no reino da Dinamarca

"A rede de supermercados que não viro:
Carioca de nascimento, João Luiz Bresciani Dias  era vendedor até se tornar presidente do Partido Trabalhista do Brasil (PT do B) em Maringá, dois anos atrás. 
Passou a integrar o condomínio partidário de Ricardo Barros (PP), foi um dos seis candidatos a vereador pelo partido (fez 195 dos 993 votos obtidos pelos candidatos da legenda) e no ano passado foi nomeado cargo comissionado pelo prefeito Carlos Roberto Pupin (PP) na Secretaria de Assuntos Comunitários, símbolo GAS (cerca de R$ 3,7 mil mensais).
  Em 2012, ao TSE, Bresciani informou não possuir nenhum patrimônio. Entre fevereiro e março deste ano ele adquiriu trêsmercados localizados em Maringá (dois na avenida Tuiuti e um na avenida Sabiá, no Conjunto Ney Braga) e um outro no Jardim Floresta, em Sarandi, negócio que ultrapassaria os R$ 5 milhões, já que a compra incluía o ativo e o passivo dasempresas. 
Quando o blog começou a investigar a notícia das aquisições, no início de abril, muitas eram as especulações, principalmente o boato de que ele estaria agindo como laranja de alguém e que privilegiava estabelecimentos que estivessem em dificuldades financeiras; o objetivo seria futuramente credenciar os mercados para fornecimento de cestas básicas e até de cartão alimentação junto à administração municipal. 
O ex-vereador Zebrão  (PP), também CC na Seac, passou a ser visto ao seu lado inclusive no fechamento das compras e até mesmo visitando os supermercados e conferindo sua situação. onta-se que além de participar das reuniões o ex-vereador ditava as ordens e comandava as negociações. Bresciani chegou a comentar com interlocutores de que Zebrão iria se filiar ao PT do B. Falava-se então que estaria procurando mais dois mercados para comprar, um deles em Mandaguaçu, para poder formar a Rede Rio de Supermercados." 
. Blog do Rigon

Nenhum comentário: