8 de novembro de 2014

Um não rotundo à “campanha pela austeridade sob coação”

A grande mídia tem dado muito destaque ao discurso tucano de que é preciso austeridade fiscal e monetária para  resolver nossos problemas. Seria esta a única saída , segundo o discurso neoliberal, pilotado por economistas afinados com o mercado financeiro. Na contramão desse receituário, que foi imediatamente encampado pela elite branca e por um batalhão enorme de desprovidos do capital, mas que pensam com a cabeça da casa grande, está um grande time de economistas de vários matizes , que se contrapõe ao discurso único do estado mínimo, da desobrigatoriedade do governo manter políticas compensatórias, como forma de distribuir renda e combater a miséria.
Dizem os que defendem caminhos menos dolorosos para a pobreza que “o reforço da austeridade fiscal e monetária deprimiria o consumo das famílias e os investimentos privados, levando a um círculo vicioso de desaceleração ou mesmo queda na arrecadação tributária, menor crescimento econômico e maior carga da dívida pública líquida na renda nacional. É fundamental preservar a estabilidade da moeda. Também somos favoráveis à máxima eficiência e ao mínimo desperdício no trato de recursos tributários: este tipo de austeridade, sim, denota espírito público e será sempre desejável. Rejeitamos, porém, o discurso dos porta-vozes do mercado financeiro que chama de “inflacionário” o gasto social e o investimento público em qualquer fase do ciclo econômico.Tampouco compreendemos o argumento que associa a inflação ao gasto público representado por desonerações que reduzem custos tributários e subsídios creditícios que reduzem custos financeiro”.
Quer saber quem são esses economistas que se contrapõe a redução do papel do Estado na proteção dos que estão na linha da pobreza ou abaixo dela? Vejam:
Maria da Conceição Tavares (UFRJ)
Luiz Gonzaga Belluzzo (UNICAMP e FACAMP)
Ricardo Bielschowsky (UFRJ)
Marcio Pochmann (UNICAMP)
Pedro Paulo Zahluth Bastos (UNICAMP)
Rosa Maria Marques (PUC-SP)
Alfredo Saad-Filho (SOAS – Universidade de Londres)
João Sicsú (UFRJ)
Maria de Lourdes Mollo (UNB)
Vanessa Petrelli Corrêa (UFU)
Carlos Pinkusfeld Bastos (UFRJ)
Alexandre de Freitas Barbosa (USP)
Lena Lavinas (UFRJ)
Luiz Fernando de Paula (UERJ)
Hildete Pereira Melo (UFF)
Niemeyer Almeida Filho (UFU)
Frederico Gonzaga Jayme Jr. (UFMG)
Jorge Mattoso (UNICAMP)
Carlos Frederico Leão Rocha (UFRJ)
Rubens Sawaya (PUC-SP)
Fernando Mattos (UFF)
Pedro Rossi (UNICAMP)
Jennifer Hermann (UFRJ)
André Biancarelli (UNICAMP)
Bruno De Conti (UNICAMP)
Julia Braga (UFF)
Ricardo Summa (UFRJ)
Frederico Katz (UFPE)
Cristina Fróes Borja Reis (UFABC)
Luiz Carlos Delorme Prado (UFRJ)
Fernando Sarti (UNICAMP)
Ramon Garcia Fernandez (UFABC)
Eduardo Fagnani (UNICAMP)


Nenhum comentário: