30 de janeiro de 2015

Só o pó da gaita, mas lúcido


Esta é uma das últimas fotos de Fidel Castro, que segundo diz a mídia ocidental, estaria praticamente embalsamado. O flagrante é do final do ano passado quando o esteve visitando seu velho amigo Frei Betto, autor do livro Fidel e a Religião. Segundo o frade dominicano, Fidel Castro está magérrimo, mas muito lúcido. Sobre o fim do bloqueio a Cuba, disse o grande líder da Revolução de 1959  que os Estados Unidos precisam parar com essa história de querer colonizar a América Latina e deve, urgentemente, tirar Cuba da sua lista de países terroristas.


29 de janeiro de 2015

Apelido em documento oficial



Exmo. Sr. Chico Caiana
DD. Presidente da Câmara Municipal de Maringá. Aassim que são dirigidas as correspondências do Gapre, assinadas por Pupin, para a Câmara de Vereadores. Já  nos documentos do Legislativo o nome do presidente aparece como Francisco Gomes dos Santos.
Como todo respeito, acho que não se pode tratar por apelido o presidente da  Câmara. Tenho certeza que, se Mário Hossokawa tivesse autonomia, isto não aconteceria. Fica a dica, o nome do presidente é Francisco Gomes dos Santos.
PS:  Esta consultoria é de graça.
. Akino Maringá, colaborador do Blog do Rigon 

Isso revela falta de qualificação técnica de quem elabora o expediente  e desapreço total do prefeito para com o chefe do Poder Legislativo. Será que esse comportamento é apenas um ato falho ou é que tá tudo dominado mesmo?


26 de janeiro de 2015

A hora e a vez do papel higiênico

A Operação Lava-Jato parece um  far west  em cinemascope: quanto mais o cavalo corre mais tem tela pela frente. Pelo jeito as investigações não devem terminar tão cedo, apesar de já se arrastarem por quase um ano. Agora está para começar uma nova fase, a fase em que a força-tarefa do Ministério Público Federal se dedicará ao trabalho de identificação de novos tentáculos (ainda ocultos) da engrenagem criminosa. Os procuradores e a Polícia Federal deverão investigar não só o esquema Petrobrás, mas de propina e superfaturamento de outras obras públicas federais. O objetivo principal é desestruturar esquemas de lavagem de dinheiro e de superfaturamento no país. Com isso, os supermercados vão tomar o porre de vender papel higiênico. O desarranjo intestinal está chegando por aqui, onde o gato já começa a subir no telhado.

23 de janeiro de 2015

Não precisa explicar, eu só queria entenderrrrrrr


Informa Angelo Rigon que “Foi o professor Claudio Ferdinandi (PMDB), que integra a Soedmar Sociedade Educacional de Maringá Ltda. (Unicesumar), quem assinou o recebimento da licença florestal, entregue pelo IAP de Beto Richa (PSDB), que permitiu pôr abaixo uma mata de preservação perpétua dentro daquele centro universitário, no final de dezembro. Na ocasião ele era também prefeito de Maringá, já que Pupin estava de férias”.

Deixa  vê se entendi: o prefeito em exercício teve interferência direta na autorização dada pelo Iap para a extinção de uma reserva florestal dentro do terreno do campus do Cesumar? Com todo o respeito ao professor Cláudio, ele é um dos fundadores, vice-reitor por muito tempo e sócio daquela universidade privada. Senão legalmente, pelo menos do ponto de vista ético estaria impedido de exercer qualquer influência no referido crime ambiental, sacramentado com a anuência justamente do órgão estadual que deveria proteger as reservas de mata nativa ainda existentes no Paraná.
Que Oxóssi nos proteja.


22 de janeiro de 2015

Brizola faria 93 anos hoje

Leonel Brizola faria 93 anos de idade hoje se ainda estivesse entre nós. Pertencia a uma geração de políticos que honrava o Brasil, que honrava a atividade política. Era um nacionalista, defensor intransigente das liberdades democráticas e determinado combatente das chamadas causas populares. Ao voltar do exílio em 1979, se entregou de corpo e alma à luta pelo restabelecimento das eleições diretas para presidente da república. Em 1982 se elegeu governador do Rio de Janeiro, apesar de toda a campanha que a Rede Globo fez contra ele. Foi um adversário encarniçado dos Marinho, com quem combatia o bom combate pelos meios legais. E foi pelos meios legais, que impôs alguns revezes ao todo poderoso Roberto Marinho, como nesse direito de resposta, lido com muito constrangimento (estampado no rosto) por Cid Moreira, a voz oficial da toda poderosa Vênus Platinada. Grande Briza, o Brasil sente muita falta de você, gaúcho velho:

21 de janeiro de 2015

É isso mesmo que você vê no cartaz: ônibus de graça para a população

Utopia? Delírio? Não, é real: uma cidade do Rio de Janeiro, que tem um nome semelhante a Maringá, senão na grafia, pelo menos na sonoridade, fornece transporte coletivo de graça para a população. Difícil de entender como um sistema desse pode funcionar, ainda mais num quadro de crise aguda dos ente federativos. Quer entender como isso é possível?Nessa entrevista ao Blog do Mello, o Prefeito de Maricá esclarece tudo direitinho. Vale a pena ler:

"Enquanto em várias cidades do país as pessoas vão às ruas protestar contra o aumento das passagens de ônibus, uma cidade do Rio de Janeiro vira notícia no Brasil inteiro por oferecer, desde dezembro último, Tarifa Zero, ônibus de graça para a população. Essa cidade é Maricá.

O Blog do Mello procurou o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, que também é presidente do PT no estado do Rio de Janeiro, para saber como funciona a Tarifa Zero na cidade e se essa gratuidade pode ser levada ao Brasil inteiro, especialmente a metrópoles como Rio e São Paulo.

MELLO – Prefeito, como Maricá conseguiu oferecer a seus moradores aquilo que os movimentos populares estão reivindicando nas ruas, transporte público gratuito?
QUAQUÁ -  É fácil! Basta querer enfrentar o poder político e econômico dos empresários de ônibus, que são uns dos maiores financiadores de campanhas hoje em todo o Brasil.

MELLO – Pois é, mas exatamente por isso fica difícil. Como enfrentar e fazer valer o direito do cidadão contra esses que o senhor mesmo definiu como alguns dos maiores financiadores de campanhas políticas?

QUAQUÁ - O direito de ir e vir é um preceito constitucional e o transporte uma obrigação do Estado, segundo a  Constituição. Só que no Brasil os interesses privados sequestraram esse direito da cidadania. Como a educação e a saúde, o transporte também deveria ser público e gratuito.

MELLO – E como isso foi posto na prática em Maricá?

QUAQUÁ - Para garantir esse direito, eu criei uma autarquia pública, fiz um investimento razoavelmente modesto para o beneficio gerado, com os recursos dos royalties do Petróleo.

MELLO – Que investimentos foram esses? 

QUAQUÁ – Compramos 13 ônibus. Isso não chegou a 7 milhões de reais. E não gastamos mais que 700 mil com o custeio mensal. Ainda pretendemos comprar mais 20 micro-ônibus elétricos, sem emissão de CO2, para completar a frota e trazer a população de diversos bairros para as nossas linhas circulares.

MELLO – Qual a porcentagem da população que já utiliza o transporte gratuito?

QUAQUÁ - Mais de 70%, de um extremo a outro do município. São mais de 200 mil passageiros transportados em menos de 30 dias! Em 2016 queremos que todo o sistema seja público e gratuito. Além de tudo de excelente qualidade, com motoristas treinados para o atendimento humanizado, ar condicionado, wi-fi e elevador para cadeirantes em toda a frota.

MELLO – Mas, prefeito, isso tudo parece um sonho de todo cidadão. Maricá é o município brasileiro com o maior número de habitantes a adotar a tarifa zero. Mesmo assim tem pouco mais de 140 mil habitantes. A cidade recebe royalties do petróleo. Essa gratuidade pode ser levada a todo o Brasil, mesmo a metrópoles como Rio e São Paulo?

QUAQUÁ - Direitos de cidadania só são conquistados através de mobilização popular e luta de massas. Em geral, os políticos não se movimentam para garantir direitos por conta própria. Só a pressão popular faz avançar os direitos do povo. O movimento pelo passe livre está criando as condições políticas e a consciência social de que é um direito o transporte público e gratuito. Espero que nosso exemplo em Maricá contribua para essa luta nacional.

MELLO – Mas, trazendo para a realidade. Como isso se daria em uma cidade sem os royalties do petróleo e com população bem maior que Maricá?

QUAQUÁ - Claro que as metrópoles também podem ter transporte gratuito. Acredito que essa agenda deveria ser assumida também pela presidenta Dilma. Não se gastaria muito se Governo Federal, Estados e municípios cofinanciassem um sistema público e gratuito nas cidades acima de 100 mil habitantes, por exemplo".

20 de janeiro de 2015

O novo ministro do esporte, a Igreja Universal e o modus operandi de Edi Macedo e discípúlos

Considerações do pastor Naamã Mendes, Professor de Teologia na UNICESUMAR , sobre a Igreja Universal e o novo Ministro dos Esportes:
"Ao assumir o Ministério dos Esportes, o pastor George Hilton fez uma confissão: não tem a menor intimidade com os temas do esporte . “Posso não entender profundamente de esporte , mas entendo de gente.
George Hilton e Carlos Henrique são pastores da chamada Igreja Universal do Reino de Deus ou IURD. A IURD tem padrões absolutamente distantes dos princípios bíblicos e das tradições cristãs porque prega outro evangelho.
Imagine você participar de uma Igreja onde Deus é um poder manipulável para você conquistar dinheiro, poder e saúde?
Imagine você participar de uma Igreja que para ter ter tais “ bênçãos” tenha que dar para os assaltantes litúrgicos o seu dinheiro ou seus bens?
Imagine você participar dos “cultos” ou verdadeiras aulas de terror apresentados na televisão , onde demônios são expostos e chutados nos traseiros para que fiquem na posição de adoração a Jesus?
Imagine se você descobrisse que na maioria desses casos é encenação para enganar o auditório e os telespectadores?
Imagine você participar de uma Igreja na qual a comunhão entre as pessoas inexiste e a fraternidade é um encontro entre pessoas que não se conhecem e `as vezes se odeiam?
Imagine você participar de uma Igreja na qual se faz pesquisa para pregar-se apenas o que atrai as pessoas e não o evangelho?
Imagine você participar de uma Igreja na qual os bens, propriedades de tais igrejas ou denominações , tenham sido comprados com os seus dízimos e ofertas mas estejam no nome do pastor, esposa , filhos ?
Imagine você participar de uma Igreja na qual o nome de Jesus é usado para afofar o assalto a sua mente e consciência ?
Imagine participar de uma Igreja no qual seus pastores são treinados sobre o que dizer e como dizer ao povo para deles arrancarem dinheiro?
Imagine você participar de uma Igreja , no qual “entender de gente” significa manipular, enganar, mentir o tempo todo para se alcançar o que pensam ser sucesso arrancando helicópteros de dinheiro do seus cultos?
Não foi a IURD quem inventou tais práticas e tal evangelho , mas foi a precursora no nosso País. Tornou-se a maior corruptora do evangelho. Vieram os demais filhotes da IURD, se espalharam entre os evangélicos e católicos, os quais, mesmo não tendo ligações institucionais com IURD , aprenderam e ambicionam os “sucessos” dela nesse campo farto de dinheiro, privilégios, poder .
A IURD fez escola, muitos pastores, padres , bispos, apóstolos já se venderam a tal evangelho e práticas. Algumas destas práticas IURDIANAS são copiadas com disfarces finos e outras manifestações esdrúxulas e chocantes , perversões e distorções do evangelho do pior tipo".

19 de janeiro de 2015

Ô IAP, cadê você?


Será que o Ministério Público vai atuar nesse caso? Segundo Rigon, em seu blog e no site Maringá News ,” o MP  investiga a autorização florestal feita pelo IAP para que o Unicesumar desmatasse uma área de mata nativa localizada  à avenida Guerdner. Chama a atenção o fato de existir um acordo firmado entre o órgão e o centro universitário para preservação do local em "caráter irrevogável".


Eis uma perguntinha básica: qual o papel do IAP? E mais: pra que serve o IAP, senão para garantir, ainda que minimamente, a preservação dos nacos ainda existentes da mata tropical?

Ô IAP, cadê você?


Será que o Ministério Público vai atuar nesse caso? Segundo Rigon, em seu blog e no site Maringá News ,” o MP  investiga a autorização florestal feita pelo IAP para que o Unicesumar desmatasse uma área de mata nativa localizada  à avenida Guerdner. Chama a atenção o fato de existir um acordo firmado entre o órgão e o centro universitário para preservação do local em "caráter irrevogável".


Eis uma perguntinha básica: qual o papel do IAP? E mais: pra que serve o IAP, senão para garantir, ainda que minimamente, a preservação dos nacos ainda existentes da mata tropical?

17 de janeiro de 2015

Antes de chorar

Paulo Briguet (Gazeta do Povo)


Não chore pelo Charlie se você não se sente capaz de lamentar a morte de um inimigo. Não diga “Eu sou Charlie” se você não conseguisse dizer “Eu sou Veja”, “Eu sou Carta Capital”, “Eu sou Bolsonaro”, “Eu sou Jean Wyllys”, “Eu sou Bento XVI” ou “Eu sou Opus Dei”, caso algum crime semelhante fosse cometido contra essas pessoas ou instituições. Não lamente um assassinato se você acha que outro assassinato seria justificável. “Tira primeiro a trave de teu olho e assim verás para tirar a palha do olho do teu irmão.”
Não defenda a liberdade de expressão se você acha que determinadas expressões devem ser punidas com morte ou cadeia. Não fale contra a censura se você acha que um grupo de sindicalistas, burocratas ou comissários do povo tem o direito de decidir aquilo que as pessoas podem ler, ver, ouvir, pensar e falar. Não denuncie as ditaduras do passado se você acha que as ditaduras do presente são boas.    
Não lamente o massacre em Paris sem antes pensar que nada disso teria acontecido se os irmãos Kouachi estivessem presos em Guantánamo. Não defenda a democracia se você acha que o Estado Islâmico tem direito de cortar cabeça de jornalistas americanos ou europeus. Não peça a prisão de matadores se você defende a liberdade de terroristas condenados.
Não grite por justiça se você acha que a verdadeira culpa pelo crime é do George Bush ou do Vaticano. Não derrame suas lágrimas se você acha que o sangue pode ser derramado em nome da revolução, esse outro nome para guerra santa. Não fale em liberdade, igualdade e fraternidade sem antes condenar a guilhotina.
Não denuncie o ódio se você defende a destruição do Estado de Israel. Não se revolte contra a covardia se você acha que usar mulheres e crianças como escudos humanos é um recurso aceitável. Não se revolte contra a morte se você acha que a morte de bebês no ventre materno é um direito da mulher. Não clame pela verdade se você divulga estatísticas falsas sobre a morte de mulheres em casos de aborto.
Diante dos crimes que ameaçam se tornar a principal marca de nosso tempo – lembre-se de que você mora num país com 60 mil assassinatos por ano –, é preciso, acima de tudo, ser humilde. E humildade não é falsa modéstia, nem coitadismo. Humildade tem a mesma raiz de húmus, de homem, de humano: é o reconhecimento da verdade. É reconhecer o que se sabe e o que não se sabe. É admitir a estrutura das evidências. Por isso, antes de chorar pelo Charlie, certifique-se de que você não está mentindo para si mesmo.


16 de janeiro de 2015

A maior preocupação para 2015 é a água, e não mais a economia



Pela primeira vez desde 2007, a economia não aparece como principal risco para o planeta.Pesquisa realizada pelo Fórum Econômico Mundial com cerca de 900 especialistas mostra que a crise da água é o item que pode gerar maior impacto no mundo em 2015. Nos últimos oito anos, os temas econômicos apareceram como o risco com o maior impacto potencial no estudo.
Anualmente, os principais líderes do mundo se reúnem na cidade suíça de Davos para debater os grandes temas mundiais. Antes do encontro – que ocorrerá na próxima semana –, os organizadores realizam pesquisa com os temas que mais preocupam a elite econômica, política e social do planeta.
Nos últimos anos, a economia apareceu isolada como principal preocupação em termos de impacto: colapso do preço dos ativos entre 2007 e 2010, crise fiscal em 2011, problema sistêmico nas finanças globais em 2012 e 2013 e crise fiscal em 2014. Neste ano, porém, a pesquisa mostra que a crise da água é o tema com maior probabilidade impactar o planeta.
A saída dos temas econômicos da lista de preocupações acontece em período em que os Estados Unidos deixam o pior da crise e se preparam para retomar o crescimento mais vigoroso e a normalidade da economia. A crise, porém, ainda é viva na zona do euro e dá cada vez mais sinais em países emergentes.
Após a água, os entrevistados citaram como outros temas preocupantes a rápida disseminação de doenças infecciosas, as armas de destruição em massa, entre outros.
A pesquisa também questiona sobre o problema mais provável para os próximos dez anos. Para os entrevistados, os problemas que têm maior probabilidade de acontecer são: conflito internacional com impacto regional, eventos climáticos extremos, problema de governança nacional, crise ou colapso de Estados e, em quinto na lista, o único item econômico: elevado desemprego estrutural.
“O risco geopolítico aparece em destaque em 2015 após período de ausência do panorama de riscos principais durante a última meia década. Com a geopolítica influenciando cada vez mais a economia global, estes riscos são três dos cinco mais prováveis e dois dos que apresentam maior impacto potencial para 2015”, diz a pesquisa divulgada pela organização do Fórum Econômico Mundial.


12 de janeiro de 2015

Se não entenderem, Kafka desenha pra vocês

Então é assim:o projeto do grupo Barros,  que domina o cenário político de Maringá é dominar também o Estado. Em entrevista à Gazeta do Povo deste domingo, o Secretário do Planejamento e Coordenação Geral do Estado, Silvio Magalhães Barros II não se faz de rogado e nem usa meias palavras: quer trabalhar para deixar a marca da família no segundo governo Beto Richa,  com o objetivo de tornar a cunhada Cida Borgheti , atual vice, candidata à sucessão estadual em 2018. Mas o foco é também a Prefeitura de Maringá que, segundo  fica implícito na entrevista,  é objeto do desejo da família  manter o comando da cidade sob seu domínio pelo menos até 2047, ano do centenário da cidade canção. 




Pelo que deu pra entender, Silvio quer pavimentar a estrada para Cida se eleger governadora e ao mesmo tempo pretende voltar à disputa em Maringá, onde ele dificilmente perderia para prefeito. Fica a pergunta: como será possível pavimentar uma estrada tão longa interrompendo sua participação no governo Beto para retornar ao comando de Maringá? Elementar, meu caro Watson: o capo RB, irmão mais novo que tudo pode , tudo sabe e a tudo comanda por  aqui, dará um jeito de manter Silvio administrando a sua cidade e colocar no lugar dele alguém do grupo para simplesmente executar as tarefas emanadas do centro nervoso do núcleo familiar. Não entenderam? Fiquem tranquilos, porque qualquer dúvida, Franz Kafka desenha.

10 de janeiro de 2015

Festa no céu

Jesus queria Ariano, mas a morte levou joão Ubaldo, por engano. De qualquer forma, o céu virou um palco, uma academia, até que um dia, olhe o efeito, a morte acertou o passo , sobrevoou a Paraíba e pegou Ariano de jeito:

9 de janeiro de 2015

O jogo sujo da "bancada da nola"

             
 *  Por Alex (Folha de São Paulo)



             


Dizem que o jogador de futebol morre duas vezes: quando para de jogar e quando o coração para de bater. A verdade é que meu coração parou de bater no momento em que deixei o gramado do estádio Couto Pereira, em Curitiba, para nunca mais atuar como profissional. Foi o abraço da minha família que me fez senti-lo pulsar novamente, anunciando uma nova vida.
Graças ao futebol pude realizar o sonho de toda criança e conquistar o que dificilmente conseguiria sem ele. Nasci em um lar humilde, cresci numa comunidade e só a minha família sabe das dificuldades por que passamos. O futebol nos salvou.
Há alguns anos as dores se tornaram insuportáveis e fiz o que a razão e o meu corpo pediam. Entre tratamentos e concentrações, participava de grupos de discussão e me atualizava sobre outras óticas desse apaixonante esporte, pavimentando, quem sabe, um futuro caminho de retorno aos gramados, só que em outra perspectiva.
De um dos grupos de discussão nasceu o Bom Senso Futebol Clube, considerado por muitos um dos mais significativos movimentos do nosso futebol, com várias propostas e um desejo: o bem do futebol brasileiro. Quem disser outra coisa, ou não enxerga o cenário atual, ou defende interesses pouco louváveis.
Cruzamos os braços, sentamos no gramado e esperamos uma resposta da CBF e das federações. Reunimos mais de mil atletas para reivindicar melhorias para a categoria e para salvar o futebol brasileiro.
Milhares de garotos deixam suas casas em busca dessa grande ilusão que é jogar futebol no Brasil, mas apenas 1 em cada 3.000 jovens consegue entrar nas categorias de base de um clube e nem 5% desses “uns” conseguem se tornar profissionais de alto nível.
No país que respira futebol sabemos de mais e estudamos de menos. Falta competência, compromisso, responsabilidade, paixão e visão. Os que se perpetuam no poder não têm a mínima ideia do que fazer para promover o futebol, primeiro como importante instrumento de educação, cidadania e transformação. Depois, como espetáculo
Confundem a seleção brasileira com o futebol praticado no país, que está às traças. Exploram as cores da nossa bandeira, os nossos sentimentos, mas não dão nada em troca.
Discutimos por mais de um ano com a CBF, os clubes e o governo federal sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal no Esporte, cujos débitos dos clubes –que alcançam quase R$ 5 bilhões– seriam refinanciados em 240 meses em troca de mecanismos que puniriam gestores e instituições por descontrole de contas e irresponsabilidade na gestão.
Recentemente, a “bancada da bola” da Câmara Federal, formada por deputados que atuam a favor de quem está no poder do futebol, acrescentou a um projeto de lei sobre aerogeradores –assunto que nada tem a ver com futebol– uma medida provisória para que os clubes tenham suas dívidas fiscais refinanciadas sem contrapartida alguma.
Parcelar as dívidas dos clubes sem contrapartidas não significa salvá-los. Uma medida como essa continua distanciando cada vez mais o futebol brasileiro do profissionalismo e da modernização.
O governo ainda pode anular essa gambiarra e acredito que a presidente Dilma esteja realmente sensibilizada com a situação do nosso futebol e possa vetar esse jogo sujo.
Ouso sonhar com um Brasil de primeiro mundo, onde a educação, o esporte e cidadania possam ter o valor e destaque que merecem.
*ALEXSANDRO DE SOUZA, 37, o Alex, ex-jogador de futebol, é um dos idealizadores do Bom Senso FC, associação dedicada a promover reformulações no esporte. Jogou em clubes como Coritiba, Palmeiras, Cruzeiro e Fenerbahçe (Turquia), além de ter atuado pela seleção brasileira


Muitos porquês



"A curiosidade maior em Maringá é saber porque Adarico Negromonte Filho (foto) suspeito de prestar serviços para o doleiro Alberto Youssef no esquema de superfaturamento de contratos da Petrobras, é conhecido como ‘Maringá’. ‘Maringá’ teve seu nome registrado em um dos 32 telefones apreendidos com Youssef e aparece em 34 trocas de telefonemas ou mensagens com ele".

(Blog do Lauro Barbosa)

8 de janeiro de 2015

Os novos "donos" do Paraná


Do Blog de Cícero Catanni:


Em política é sempre assim: uns sobem, outros descem. No Paraná, no ano passado, o grupo político de Beto Richa ganhou muito e quem mais acumulou poder foram as pessoas que apostaram no projeto político do governador. Veja a lista:
Beto Richa,Cida Borghetti,Ricardo Barros que " Como estrategista, se mostrou imbatível. Ficou em um partido, a mulher em outro e o irmão em um terceiro. Juntos, conseguiram ter peso para negociar a vice de Richa. Ele voltou à Câmara. O irmão virou secretário. E a filha é deputada estadual".
Eduardo Sciarra: O ex-deputado federal apostou pesado e ganhou. Desistiu de ser candidato à reeleição para coordenar a campanha de Beto Richa. Acabou levando a Casa Civil de presente.

Ademar Traiano: Deputado experiente, Traiano amargou a oposição durante os oito anos de Requião. Agora, vem se vingando. Virou líder no governo Richa e, a partir de fevereiro, será presidente da Assembleia.

Fernando Francischini: Reeleito deputado federal, emplacou o filho na Assembleia Legislativa e, depois, garantiu o cargo de secretário de Segurança, que desejava havia muito tempo. Se cacifou para disputar a prefeitura de Curitiba.

Christiane Yared: Sem experiência na política, virou logo de cara a deputada federal mais votada do estado.

Ratinho Jr.: Foi novamente o deputado estadual mais votado do estado. Perdeu a disputa pela presidência da Assembleia, mas elegeu uma bancada gigante. Ainda pôs um nome de seu partido para comandar a Câmara de Curitiba.

Alvaro Dias: Fez quatro milhões de votos. Recorde absoluto para o Senado.


Mauro Ricardo Costa: O até então desconhecido técnico veio para o Paraná com megapoderes para mexer nas contas públicas.


Meu comentário sobre o REIcardo :na verdade Ricardo Barros domina muito mais do que três partidos no Estado. Quando chegam as eleições, principalmente municipais,  ele consegue manter $obre $uas a$as um monte de siglas menores que lhe permitem dominar a cena política e monopolizar os programas de televisão, sobretudo na disputa pela Prefeitura de Maringá. Faz jus, portanto, e com sobra, ao apelido de "leitão vesgo" que, se não me falha a memória , foi dado por ninguém menos do que Roberto Requião.

6 de janeiro de 2015

Hoooooooje é o dia dos santos reis



O “Dia de Reis” é hoje. Foi em 6 de janeiro que Jesus Cristo recém-nascido recebeu a visita dos três reis magos - Belchior, Gaspar e Baltazar. A data é cantada em prosa e verso, em todas as línguas, em todos os ritmos, em quase todos os credos. Gosto desse balanço aí, do grande (literalmente) e inesquecível Tim Maia: 

5 de janeiro de 2015

Qualquer semelhança é mera coincidência

“Iniciada com um flagrante forjado contra um alto funcionário do Partido Socialista Italiano, em Milão, em 10 anos a Operação Mãos Limpas investigou seis mil pessoas, condenou 1,223, entre empresários, parlamentares e dirigentes políticos. Dez dos acusados se suicidaram, entre eles, um presidente e um diretor da ENI, a estatal italiana do petróleo, que mais tarde foi privatizada”

. Paulo Moreira Leite em seu blog


Só lembrando que das sombras da  Operação Mãos Limpas emergiu Sylvio Berlusconi,  sobejamente conhecido no Ocidente pelos seus frequentes deslizes éticos e morais, que fizeram muito mal à Itália. Nada a ver com a Lava-Jato que felizmente, não levou a emergir das urnas  nenhum personagem sinistro.

Cadê os responsáveis? E os irresponsáveis?

Será que a polícia está investigando a quase tragédia da passagem de ano em Maringá quando muita gente saiu machucada da Praça da Catedral ? Não se sabe ainda seu os rojões que atingiram as pessoas partiram da base montada para o show pirotécnico ou se foi algum maluco que cometeu o crime. Seja como for, seja quem for, o fato é que não se justifica uma festa  a céu aberto com tanta gente, e ainda mais de queima de fogos no último dia do ano, ser realizada sem um esquema preventivo de segurança. Se o evento foi organizado pela  prefeitura, o que parece ser o caso, então já é possível saber por onde o inquérito deve começar

3 de janeiro de 2015

Um tapa com luva de pelica


Nas oitavas de final da Copa do Mundo, a torcida brasileira vaiou o hino chileno, cantado à capela pela torcida do país sulamericano  presente ao Mineirão. Dia primeiro agora, na posse da presidente Dilma Roussef, a presidente chilena Michele Bachelet deu uma aula de civilidade e respeito ao Brasil, cantando o Hino Nacional em português.



2 de janeiro de 2015

Imposto sobre grandes fortunas? Os Marinho detonam


Mal o ano começou e a família Marinho, uma das mais ricas do hemisfério Sul, já começa a se preocupar com a possibilidade (remota,diga-se de passagem) da sociedade brasileiras se mobilizar pela taxação das grandes fortunas. “Taxar as chamadas grandes fortunas é desejo cultivado por qualquer governante em busca de dinheiro aparentemente fácil. E com a vantagem de poder apresentar o novo imposto como um ato de “justiça social”, bandeira sempre simpática, capaz de encobrir qualquer aberração de política econômica”, diz o jornal O Globo em editorial.
O jornalão carioca arrola uma série de dificuldades técnicas de viabilização de tal cobrança, além de impossibilidades políticas, face a composição do Parlamento brasileiro, formado , em sua maioria, por representantes do grande capital.

Para não passar recido, O Globo recapitula:” Ideias como esta são tentadoras desde sempre. Por esse motivo, e considerando a atmosfera ideológica na qual trabalhou a Constituinte de 1987, a Constituição brasileira, promulgada no ano seguinte, prevê este imposto em um dos artigos. Jamais foi regulamentado. O então senador Fernando Henrique Cardoso apresentou projeto com este fim, e só”.

No que diz respeito às dificuldades técnicas para a cobrança de tal imposto, o Globo é implacável no pessimismo que tenta disseminar: “ O ponto central nesta discussão é que se trata de ilusória a vantagem da taxação de fortunas. Um primeiro ponto é o custo de arrecadação do imposto, muito alto. Como se trata de um gravame declaratório — ele é arrecadado sobre o que é declarado pelo contribuinte —, a coleta tende a ser baixa, devido à previsível substimativa da base a ser taxada. Logo, é imprescindível montar-se uma estrutura de fiscalização para combater a evasão. No final das contas, a conclusão sempre é que o custo da estrutura não compensa o resultado da arrecadação. Entende-se por que muitos países suprimiram este imposto, inclusive a Inglaterra”.