27 de fevereiro de 2015

A cria deverá engolir a criatura


O tesoureiro-geral do PP, Ricardo Barros (foto), obedeceu ao presidente nacional do partido, Ciro Nogueira, e na terça-feira passada fez o relatório para iniciar o processo de destituição do deputado federal Paulo Maluf da presidência do diretório de São Paulo. Maluf não tem sido fiel ao PP nacional, e sua aliança com Alexandre Padilha, do PT, só fez complicar a situação com Nogueira. Coube ao maringaense, discípulo de Maluf, ajudar a combater o ex-mestre.
. Blog do Rigon

Professores da UEM dizem em carta aberta porque estão em greve



PORQUE RICHA QUER ACABAR COM A ÚNICA UNIVERSIDADE PÚBLICA DE MARINGÁ!
PORQUE RICHA QUER PASSAR AS MÃOS EM 8 BILHÕES DA NOSSA APOSENTADORIA!
PORQUE QUER FECHAR O HOSPITAL UNIVERSITÁRIO.
Este é o cenário que o governador do Paraná impõe à Universidade Estadual de Maringá e às outras universidades estaduais. De 9 instituições de Ensino Superior em Maringá, hoje, somente a UEM é pública e, com o projeto de autonomia de Richa, deixará de ser.
A greve dos docentes, professores/as, técnicos/as e alunos/as NÃO É UMA GREVE POR MAIS SALÁRIOS, É UMA GREVE PARA NÃO PERDER DIREITOS. Direito de produzir remédios, direito de atender pessoas doentes, direito de ter professores/as para dar boas aulas. Os direitos foram conquistados em quarenta e cinco anos e agora Richa quer tirá-los em um mês.
Richa quer que seus deputados votem o ASSALTO DE 8 BILHÕES DA PREVIDÊNCIA PÚBLICA dos funcionários para PAGAR AS CONTAS DE SUA REELEIÇÃO. Para roubar esse superávit de nossa previdência, trouxe, da Bahia, o secretário de Finanças Mauro Ricardo. Este secretário fez o mesmo serviço para ACM Neto, Kassab, Serra e está envolvido em processos por improbidade administrativa.
Deu 26% de aumento aos deputados e seus assessores; R$ 4 mil e trezentos reais de auxílio-moradia aos juízes. Fez convênio com uma universidade privada de Maringá enquanto tira da UEM. Tão mesquinha política que não pagou R$ 300,00 aos professores/as da rede estadual de vale transporte, mas oferece 25 litros de gasolina por mês para a farra dos deputados!
O que faz o governo do Paraná com o dinheiro da arrecadação do IPVA? O que fez com o dinheiro do PIB que cresceu 16% no último ano? O que fez com a arrecadação do pedágio mais caro do Brasil? Onde pôs o dinheiro de nossos impostos? Jogou tudo em sua cara reeleição e de seus aliados. Para a população, NADA.
De nós, professores/as da UEM, Richa tirou o 1/3 de férias, tirou todos os recursos das universidades. Tira dos pais e mães de alunos/as a possibilidade de ENSINO PÚBLICO E GRATUITO de qualidade para seus filhos/as. Os 8 bilhões das nossas aposentadorias desaparecerão em dois anos e meio. E os aposentados? Morreram de fome?
Sem recursos, a UEM pode perder: seus 19.076 alunos de graduação; seus 2.825 alunos de especialização; 2.215 de mestrado; 1.330 de doutorado; bolsas de alunos/as de graduação (que com isso mantêm seu curso!); 437 alunos/as da Universidade de Terceira Idade e 1.310 alunos do Colégio de Aplicação Pedagógica (ensinos Fundamental e Médio). Além disso, arruína o Hospital Universitário.
JUNTE-SE A NÓS! Lute com a gente contra a política desastrosa de Richa e de seus aliados.
Fevereiro de 2015

SEÇÃO SINDICAL DOS DOCENTES DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ – Sesduem/ANDES NACIONAL

Beto deixa deputados pendurados na brocha




O que devem estar pensando os deputados estaduais que abençoaram e aprovaram o pacotaço I, entraram no circo e no camburão para sacramentar a segunda edição, viram a Assembleia ser invadida e os funcionários públicos tomarem a praça e as ruas para a crucificação deles, e agora ficam sabendo pela imprensa que o governador Beto Richa diz ao distinto público que estava errado? A situação lembra aquela clássica história do sujeito que ficou no ar com a brocha na mão – porque estava lá em cima e tiraram a escada dele sem avisar.

. Blog do Zé Beto

A outra face da moeda




Agora vai. Ou será que racha?



Parece que finalmente a Câmara dos Deputados vai decidir este semestre sobre a regulamentação do trabalho terceirizado. A teceirização é um mal necessário, mas não pode correr solta como ocorre hoje, quando muitos trabalhadores laboram sem garantias mínimas de seus direitos trabalhistas. Em muitos casos, o empregado terceirizado acaba sendo demitido sem que a empresa contratante da mão de obra sequer pague as verbas rescisórias.
No caso do setor público, a terceirização tem servido para que maus gestores fujam da sua responsabilidade, contratando empresas para executar serviços que são atribuições do ente federativo, seja o município, seja o estado, seja a União. Terceirizar coleta de lixo e de combate a endemias, é uma das muitas provas que se pode obter para atestar a incompetência e a má fé do gestor. Agora ou vai ou racha.

e

25 de fevereiro de 2015

Greve dos professores: sem luz no fim do túnel


Nota da APP sindicato sobre as negociações com o governo estadual na tarde de hoje:
"Terceira rodada de negociações terminada. A greve continua!
Mobilização, organização e unidade da categoria fazem a pauta avançar. Vamos debater amplamente e coletivamente as propostas apresentadas.
Há 17 dias, permanecemos firmes na luta e já obrigamos o governo a recuar no seu projeto de destruir nossas carreiras, fizemos com que ele assuma o compromisso de debater amplamente com todos(as) os(as) servidores(as) qualquer possível alteração na previdência.
A greve e a luta continuam!"

Veja aqui quais os trechos de rodovias interditados no Paraná



Nas rodovias federais são 16 pontos de bloqueio: BR-467, Km 76, em Toledo; BR-272, km 364, em Campo Mourão; BR-158, Km 204, em Peabiru; BR-369, km 83, em Cornélio Procópio; BR-158, Km 204, em Londrina; BR-369, Km 369, em Ubiratã; BR-163, Km 284, em Marechal Cândido Rondon; BR-373, km 478, em Coronel Vivida; BR-376, Km 187, em Marialva; BR-376, Km 295, em Mauá da Serra; Br-277, Km 338, em Guarapuava; BR-369, Km 179, em Arapongas; BR-376, KM 245, em Apucarana; BR-163, Km 32, em Santo Antônio do Sudoeste; BR-163, Km 64, em Pérola D’Oeste; e BR-376, Km 137, em Nova Esperança.

Na manhã desta terça-feira, a Polícia Rodoviária Federal desbloqueou o trecho da BR-163, na altura do Km 86, em Capanema, na Região Sudoeste doParaná. O trecho estava interditados por cerca de 50 caminhões há um dia. Os veículos aguardavam a liberação nos pátios dos postos de combustíveis da região.
Por volta das 11h30, os caminhoneiros bloquearam os dois sentidos da BR-476, no Km 150, em frente à Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária.A Polícia Rodoviária Federal (PRF) negociou com os manifestantes e conseguiu liberar a pista por volta das 13 horas.
As rodovias estaduais têm 25 trechos bloqueados: PR-420, Km 42, em Pien; PR 466, km 91 e 100, em Jardim Alegre; PR-323, km 36, em Sertanópolis; PR-491, trevo, Marechal Cândido Rondon; PR-317, Km 467, em Santa Fé; PR-218, KM 254, em Astorga; PR-170, Km 381, em Guarapuava; PRC-487, Km 295, em Manoel Ribas; PR-466, Km 179 e 180, em Pitanga; PRC-280, Km 130, em Palmas; PR-281, Km 467, em Chopinzinho; PR-182, Km 459, em Realeza; PRC-158, Km 528, em Vitorino; PR-193, Km 32, em Itapejara do Oeste; PR-566, KM 12, em Itapejara do Oeste; PRC-280, Km 175, em Clevelândia; PR-281, kms 535 e 540, em Dois Vizinhos; PRC-280 km 194, em Mariápolis; PRC-280, km 255, em Marmeleiro; PR-471, km 222, em Nova Prata do Iguaçu; PR-562, km 85, em São João; PR-483, km 001, em Francisco Beltrão; PR-180, km 541, em Francisco Beltrão; PR-160 km 53, em Cornélio Procópio; e PR-314, Km 48, em Santa Fé.
Gasolina

Após sete dias de protestos, municípios do estado começam a sofrer com o desabastecimento. Em Londrina, vários postos estão com escassez de combustíveis nas bombas, principalmente de etanol, segundo informações do Jornal de Londrina. Diante da falta de combustíveis, o preço também vem sendo reajustado por alguns donos de postos da região. Em um estabelecimento de Arapongas, o litro da gasolina era vendido a R$ 4,499 na manhã desta terça-feira (24), de acordo com reportagem publicada pelo JL.


24 de fevereiro de 2015

Um dia a esperança venceu o medo. Hoje, a frustração vem derrotando a esperança


Será que algum cientista político ousaria explicar a débâcle do PT? Ousaria, ao menos, fazer nós do senso comum entendermos que diabo explica o silêncio da presidente Dilma diante de um quadro social tão caótico como este que vivemos hoje?
Como entender, afinal, a mediocridade do Partido dos Trabalhadores no campo das comunicações? E mais ainda: sua absoluta falta de humildade para reconhecer que a casa não foi assentada sobre bases estruturais sólidas?
A sábia Dindinha Alvina, que morreu beirando os 90 anos fazendo bordados e xingando a agulha que furava-lhe o dedo de “essa porra!”, dizia sempre que , quem muito se abaixa a bunda aparece. E está aparecendo muito, tornando-se mais visível depois que o PMDB impôs condições para aprovar as duas Medidas Provisórias que ferram a parte mais fraca da relação capital x trabalho, que até pouco tempo o PT defendia.
A presidente Dilma está fragilizada, com uma base parlamentar que mais a chantageia do que lhe dá sustentação no Congresso Nacional . Fragilizada por uma política de comunicação desastrosa e por um Ministro da Justiça que tornou-se motivo de piadas, principalmente nos meios jurídicos, ela caminha célere para o cadafalso.
A fragilização que se amplia no Planalto, se espalha pela planície, gerando protestos em todo o país e dando aos defensores do endurecimento do regime a arma que sempre buscaram para justificar seu apoio fechado a um eventual golpe na democracia brasileira.
As redes sociais estão aí, bombardeando o governo e o partido da presidente, sem que se consiga vislumbrar qualquer tipo de escudo protetor da governabilidade. E assim, passo a passo, o Brasil caminha para um traumático impeachment o que, acontecendo, jogará definitivamente uma pá de cal naquela tal esperança que um dia venceu o medo.



22 de fevereiro de 2015

Quem são os corruptos? Onde se situa a corrupção? Falta o Brasil olhar para si mesmo

Primeira vítima fatal do pacotaço

O professor Luís Carlos da Silva sofreu um AVC e faleceu esta semana, depois de se mostrar contrriado e até indignado com o queo governo Beto Richa estava fazendo com a escola que ele dirigia em Juranda, município da região de Campo Mourão. Segundo o deputado profesor Lemos,  Luís Carlos da Silva, diretor do Colégio Estadual João Maffei Rosa tombou lutando contra o pacotaço do governo Beto Richa.
Pra se ter uma ideia do tamanho da angústia do professor Luiís Carlos, o parlamentar relada: “ O colégio dele foi impedido de fazer matrículas do ensino médio noturno. A vice-diretora foi exonerada. Duas pedagogas foram tiradas da escola. O governo ainda fechou várias turmas. Tem alunos tendo que ir estudar nos municípios de Ubiratã e Rancho Alegre”.
Professor Luís morreu  ontem à noite aos 46 anos de idade, provocando grande comoção em toda a região Oeste do Paraná.  “Juranda está de luto pela morte prematura de um grande batalhador da educação”, lamenta ou professor e vereador Molina (PT).
Fonte: Blog do Esmael Morais

21 de fevereiro de 2015

Por um punhado de dólares


Carta aberta de um grupo de respeitáveis brasileiros sobre o que está por trás da campanha de desmoralização , não de corrputos e corruptores, mas da própria Petrobras:


O QUE ESTÁ EM JOGO AGORA

A chamada Operação Lava Jato, a partir da apuração de malfeitos na Petrobras, desencadeou um processo político que coloca em risco conquistas da nossa soberania e a própria democracia.
Com efeito, há uma campanha para esvaziar a Petrobras, a única das grandes empresas de petróleo a ter reservas e produção continuamente aumentadas. Além disso, vem a proposta de entregar o pré-sal às empresas estrangeiras, restabelecendo o regime de concessão, alterado pelo atual regime de partilha, que dá à Petrobras o monopólio do conhecimento da exploração e produção de petróleo em águas ultraprofundas. Essa situação tem lhe valido a conquista dos principais prêmios em congressos internacionais.
Está à vista de todos a voracidade com que interesses geopolíticos dominantes buscam o controle do petróleo no mundo, inclusive através de intervenções militares. Entre nós, esses interesses parecem encontrar eco em uma certa mídia a eles subserviente e em parlamentares com eles alinhados. Debilitada a Petrobras, âncora do nosso desenvolvimento científico, tecnológico e industrial, serão dizimadas empresas aqui instaladas, responsáveis por mais de 500.000 empregos qualificados, remetendo-nos uma vez mais a uma condição subalterna e colonial.
Por outro lado, esses mesmos setores estimulam o desgaste do Governo legitimamente eleito, com vista a abreviar o seu mandato. Para tanto, não hesitam em atropelar o Estado de Direito democrático, ao usarem, com estardalhaço, informações parciais e preliminares do Judiciário, da Polícia Federal, do Ministério Público e da própria mídia, na busca de uma comoção nacional que lhes permita alcançar seus objetivos, antinacionais e antidemocráticos.
O Brasil viveu, em 1964, uma experiência da mesma natureza. Custou-nos um longo período de trevas e de arbítrio. Trata-se agora de evitar sua repetição. Conclamamos as forças vivas da Nação a cerrarem fileiras, em uma ampla aliança nacional, acima de interesses partidários ou ideológicos, em torno da democracia e da Petrobras, o nosso principal símbolo de soberania.
20 de fevereiro de 2015
Alberto Passos Guimarães Filho
Aldo Arantes
Ana Maria Costa
Ana Tereza Pereira
Cândido Mendes
Carlos Medeiros
Carlos Moura
Claudius Ceccon
Celso Amorim
Celso Pinto de Melo
D. Demetrio Valentini
Emir Sader
Ennio Candotti
Fabio Konder Comparato
Franklin Martins
Jether Ramalho
José Noronha
Ivone Gebara
João Pedro Stédile
José Jofilly
José Luiz Fiori
José Paulo Sepúlveda Pertence
Ladislau Dowbor
Leonardo Boff
Ligia Bahia
Lucia Ribeiro
Luiz Alberto Gomez de Souza
Luiz Pinguelli Rosa
Magali do Nascimento Cunha
Marcelo Timotheo da Costa
Marco Antonio Raupp
Maria Clara Bingemer
Maria da Conceição Tavares
Maria Helena Arrochelas
Maria José Sousa dos Santos
Marilena Chauí
Marilene Correa
Otavio Alves Velho
Paulo José
Reinaldo Guimarães
Ricardo Bielschowsky
Roberto Amaral
Samuel Pinheiro Guimarães
Sergio Mascarenhas
Sergio Rezende
Silvio Tendler
Sonia Fleury

Waldir Pires

Se assim é que lhe parece...



Lembram-se do caso Gaievski, o tarado de Realeza? Lembram que a mídia explorou o assunto até dizer chega?  Eduardo Gaievski foi auxiliar de Gleisi Hoffman na Casa Civil da Presidência de República. Por conta disso, a então ministra e depois candidata a governadora do Paranpa apanhou feito gente grande. Mas agora, quem tem um calcanhar de Aquiles semelhante é o governador Beto Richa. Alguém tem visto  estardalhaço da mídia paranaense com o caso Tcelli, o ex-assessor de Beto acusado de pedofilia?


19 de fevereiro de 2015

Descumprir medida protetiva da “Maria da Penha é cadeia na certa


Pode pegar até seis meses de prisão o acusado de violência doméstica que descumprir as chamadas medidas protetivas de urgência, como a que obriga seu afastamento do lar, proíbe que ele se aproxime da vítima e exige que restitua a ela bens indevidamente subtraídos.
A classificação de crime de desobediência para o descumprimento das medidas protetivas previstas na Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) consta do PLS 14/2015, apresentado pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR). A matéria aguarda designação de relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).
Essas medidas visam garantir a segurança da vítima de violência familiar e conter o agressor durante a fase de inquérito policial e até que seja julgada ação penal ajuizada contra ele. Hoje, para o caso de descumprimento das medidas, a lei prevê imposição de multa e busca e apreensão de objetos, entre outras providências.
Gleisi quer deixar expresso na lei que o descumprimento às medidas protetivas configura crime de desobediência, previsto no artigo 330 do Código Penal, para evitar que prevaleça interpretação contrária do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O código prevê pena de detenção de 15 dias a 6 meses, mais multa, para quem desobedecer a ordem legal.
Para a senadora, a falta de punição ao homem que continua a ameaçar e intimidar a companheira, mesmo advertido por ordem judicial, vai esvaziar a Lei Maria da Penha, criada para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar.
As medidas de proteção às vítimas da violência familiar podem ser determinadas pelo juiz, por autoridade policial ou pelo Ministério Público. Estão previstos, entre outras medidas protetivas, a suspensão do porte de armas do agressor, o afastamento da residência, o limite mínimo de distância entre o agressor e a vítima e a suspensão de visitas aos dependentes.
Para a proteção patrimonial dos bens da sociedade conjugal, poderá ser determinada a proibição temporária de venda e locação de propriedade em comum e suspensão de procurações conferidas pela vítimas ao agressor.
Consta ainda do rol de medidas de proteção o encaminhamento da vítima e dos filhos a um programa oficial de proteção, a autorização para que a vítima deixe a casa, sem prejuízo dos direitos relativos a bens e guarda dos filhos, e a determinação da separação de corpos.

Fonte: Agência Senado

Vergonha!Vergonha!Vergonha!


Numa festa popular em que dinheiro ilícito se transforma em fantasias e dinheiro manchado pelo sangue de uma população pobre que vive sob o tacão (e o ferrão) de um ditador perdulário, o que mais esperar? O título da Beija Flor este ano no carnaval carioca é uma afronta ao bom senso , um desdém à democracia e umas boas chibatadas na ética. Que vergonha!

16 de fevereiro de 2015

HSBC e Beto Richa

                 



Quem me dá a honra da leitura de meus textos aqui blog e no face deve se lembrar que recentemente postei um comentário meio ácido, sobre a quebra do Bamerindus, lembrando os 12 dias da morte do seu diretor-presidente José Eduardo de Andrade Vieira. Hoje, a Folha de São Paulo traz artigo do jornalista Ricardo Melo que, fazendo as vezes de ombudsman do jornalão, critica o silêncio da mídia brasileira diante do escândalo envolvendo o HSBC, que vem sacudindo os paraísos fiscais. Vale a pena ler, principalmente pela relação que o fato tem com o nosso Paraná, onde a quebra do Bamerindus foi um crime de lesa pátria sem precedentes na história, protagonizado pelos governos Fernando Henrique Cardoso e Jaime Lerner. O que isso tem a ver com o Beto Richa? Só lendo todo o artigo pra saber:


 "E scândalo financeiro mundial e vitória contra austeridade ficam escondidos na imprensa
Aproveitando a mais do que merecida folga da querida e competente Vera Guimarães, vou dar uma de ombudsman acidental.
É de estranhar, para dizer o mínimo, o laconismo com que a imprensa "mainstream" local vem tratando um dos maiores escândalos da história financeira mundial.
Falo da revelação de que o HSBC na Suíça ajudou milionários a ocultar bilhões de dólares e assim fugir do fisco em seus países de origem. A lista é ecumênica: inclui desde ricaços tidos como "limpos" até traficantes, ditadores e criminosos dos mais variados.
São mais de 100 mil contas. O valor da maracutaia internacional passa de US$ 100 bilhões. Em moeda local, algo perto de R$ 300 bilhões. O argumento de que o tema está distante do leitor nacional não resiste aos fatos: cerca de 9.000 clientes envolvidos na falcatrua são brasileiros; o HSBC é um dos maiores bancos a operar no país; e, pelo que a investigação conseguiu apurar, a roubalheira decolou depois da aquisição, pelo HSBC, de um banco e de uma holding de propriedade de Edmond Safra. A familiaridade do sobrenome com o Brasil, embora não seja prova de nada, dispensa comentários e deveria ser suficiente para aguçar a curiosidade de qualquer jornalista.
Surpresa: o assunto praticamente desapareceu, a não ser quando encontraram supostas conexões com o pessoal da Lava Jato. Esquisito. E os outros milhares de correntistas brasileiros premiados, desapareceram? A história não fecha. Aliás, é a segunda vez que um trabalho do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos recebe tratamento desprezível no Brasil.
Há pouco tempo, a mesma equipe escancarou manobras tributárias de bancos e multinacionais, brasileiros incluídos, para fugir de impostos com operações em Luxemburgo. Uma das empresas acusadas na artimanha, a Pricewaterhouse, por acaso vem a ser uma das que aprovavam balanços podres de instituições protagonistas da crise de 2008. Hoje a Price examina a contabilidade da Petrobras...
Detalhe: o premiê de Luxemburgo na época das sonegações, Jean-Claude Juncker, é o atual presidente da Comissão Europeia. E o homem forte do HSBC no período do vale-tudo da Suíça virou ministro no governo britânico do conservador David Cameron. Precisa mais?
PARANÁ NA MODA; E NA MÍDIA?
Curitiba viveu recentemente uma das maiores manifestações de sua história. Milhares de servidores públicos, trabalhadores e estudantes obrigaram o governador reeleito Beto Richa, do PSDB, a recuar no chamado "pacote de maldades" enviado à Assembleia Legislativa.
Entre outros disparates, o tucano propunha confiscar a previdência dos servidores para tapar rombos da antiga administração --dirigida por ele mesmo!
Deputados chegaram de camburão, reuniram-se no restaurante e, ainda assim, não conseguiram votar o pacote. Notícia daquelas, de repercussão nacional, exceto na mídia de fora da região.

Foi na capital do Paraná. Mesmo Estado onde fica a Londrina do juiz Sérgio Moro, sede do antigo Bamerindus vendido a preço simbólico ao HSBC e do Banestado (Banco do Estado do Paraná), pivô da CPI que durante os anos 90 catapultou o doleiro Alberto Yousseff para manchetes. Mera coincidência, talvez.

15 de fevereiro de 2015

Aumenta a fila de atingidos pela Lava Jato na casa do Pai Véio


O GATO SUBIU NO TELHADO PARA AGUARDAR O FECHAMENTO DO VERÃO, COM AS ÁGUAS DE MARÇO...
A lista dos líderes do PP envolvidos na Operação Lava Jato já está começando a se descortinar, como era de se prever. Mas sobre ela, o juiz Sergio Moro deverá se debruçar mês que vem, quando as águas de março fecharem o verão. Um dos já citados, o deputado federal Nelson Meurer, anda inconformado com o envolvimento do seu nome no escândalo da Petrobras. Ele tem desabafado com amigos próximos que não vai cair sozinho. Até porque , não teria sido ele o herdeiro do espólio de José Janene (+). Quem ficou com esse espólio é que deve ser realmente investigado.
Um indício de que o gato já subiu no telhado é o fato de que a Operação Lava Jato, que estende seus tentáculos para outras áreas que não apenas a Petrobras , já estaria focando sua nova frente de investigação no superfaturamento de grandes obras federais, a maioria do PAC. O Contorno Norte de Maringá seria um dos alvos da Polícia Federal, a partir de indicações do TCU e da CGU.



O governador zomba da cara do povo

O governador Beto Richa culpa o PT pelas manifestações de protesto e ocupação do plenário da Assembleia Legislativa. A senadora Gleisi Hoffman ironizou, dizendo que o PT não tem todo esse poder  de mobilização. Atribuir  o que houve a um partido político, convenhamos, é desrespeitar os servidores públicos estaduais , chamando-os de massa de manobra. Logo eles que estão revoltadíssimos  a retirada de direitos adquiridos ao longos de anos de luta.
O Paraná é um dos estados brasileiros que mais aumentou ICMS no último ano e que mais segurou repasses e pagamentos de obras já empenhadas (vide caso dos blocos da UEM).
Ora, se arrecadou tanto mas a despesa cresceu muito mais, é sinal de que? Culpar o governo federal pela demora na liberação dos empréstimos é outro discurso desgastado, que não faz mais o menor  sentido. O atraso, segundo a senadora Gleisi se deu porque o governo não fez a lição de casa e passou por cima da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Impressiona a maneira meio cínica como o governador tratou a questão dos protestos contra seu governo na entrevista à RPC. Confesso que tive vontade de comprar um vidro de óleo de peroba e mandar para o Palácio Iguaçu, via Sedex.

13 de fevereiro de 2015

A culpa não é do seu Perfumo, mas fumo ne nóis...





“Hoje, nós não temos recurso para nada. Nós estamos contando os centavos para fazer o pagamento da folha. A situação é grave” – do secretário estadual da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, em entrevista ontem a Folha de S. Paulo.

Diante dessa situação, que abram o olho os paranaenses. Vão fazer de tudo para arrecadar. É por meio de majoração de tarifas (a água vai subir de novo em março), é por meio de blitz, para guinchar carros com dias de IPVA atrasado, é por meio de elevação de alíquota de ICMS dos combustíveis, com reflexo direto na bomba.
Isso ocorre também no nível federal, porque no Brasil, quem paga a conta da incompetência dos gestores é a população. Sem dó e nem piedade.


Olhem também o exemplo da gasolina, que aqui está subindo direto, mas caindo no Paraguai, para onde a Petrobrás exporta o combustível. Lembrando que a estatal brasileira é a principal fornecedora de gasolina ao vizinho país. Lá,a gasolina está em R$ 2,97 e deve cair para R$ 2,80  a partir da próxima semana.


12 de fevereiro de 2015

O Centro Cívico de Curitiba revive no governo Beto Richa, os tempos da cavalaria de Alvaro Dias contra os professores


Afrouxando a tanga ou o soutiã?



Depois de bombas, tiros com balas de borracha, cães contra professoras e o furo de bloqueio policial por uma massa ensandecida, o governador Beto Richa (PSDB) retirou o “pacotaço de maldades” da pauta da Assembleia Legislativa do Paraná.
Os deputados governistas chegaram de camburão da PM e entraram em um anexo do legislativo pelas portas dos fundos.
Diante da tomada total do espaço pelos manifestantes, os parlamentares encerram a “sessão secreta” se retiraram do local também dentro do rabecão policial.
O senador Roberto Requião (PMDB), em entrevista à TV 15, classificou como “deputados de merda” os que tentaram votar secretamente o projeto contra que extingue o fundo previdenciário de R$ 8 bilhões dos servidores públicos.
.  Blog do Esmael 

Blindagem em família





Coincidência ou não, três deputados estaduais, todos da base do governo Beto Richa, pediram licença à Assembleia Legislativa para viajar para o exterior. Entre eles está a novata Maria Vitória, que saiu de cena nesse momento agudo da insatisfação  dos servidores e população em geral com o governador reeleito e, claro,sua vice. Por coincidência a vice é Cida Borgheti, mãe de Maria vitória e cujo escritório em Maringá, a chamada Casa Rosada, tem sido alvo de manifestantes.

A deputada viajou para a Europa em companhia da mãe, que também aproveita o embalo para ficar longe da fúria popular. Como o pai está em Brasília , também distante do tulmuto, fica tudo tranquilo no inexpugnável  condomínio barroso.

11 de fevereiro de 2015

A troca de favores e a babação de ovo é, para nos otros, coisa muito, mas muito antiga mesmo





“E, pois que, Senhor, é certo que assim neste cargo que levo, como em outra qualquer cousa que de vosso serviço for, Vossa Alteza há-de ser de mim muito bem servida, a Ela peço que, por me fazer singular mercê, mande vir da ilha de S. Tomé Jorge d’Osório meu genro, o que d’Ela receberei em muita mercê.

Beijo as mãos de Vossa Alteza.

Deste Porto Seguro, da vossa ilha da Vera Cruz hoje, sexta-feira, primeiro dia de Maio de 1500.

Pêro Vaz de Caminha”

E assim começa a história das elites brasileiras.

Troca de favores.

O que se lê no último parágrafo da carta de Caminha ao rei dom Manuel  é para que ele libertasse do cárcere o seu genro, Jorge d’Osório casado com sua filha Isabel, preso por assalto e agressão.

( Esperto ele. Deixou o pedido por ultimo para que o rei não alegasse esquecimento.)

São as famosas elites que sempre mamaram nas tetas do governo.

Talvez isso explique sua aversão a tudo que é diferente ou novo.

Assalto e agressão.

Passados 500 anos,  essas mesmas elites não mudam.  

Ao invés de dividir o mel, preferem comer merda sozinhas... 

. Blog do Bourdoukan


Mea culpa






O brasilianista John Foster Duller fez em 1967 uma longa entrevista com o ex-presidente João Goulart , só agora divulgada. Entre outras coisas, Jango disse, em tom de arrependimento: “Desprendi  grande esforço para promover reformas estruturais no Brasil, mas cometi o erro de fazer concessões demais a grupos políticos”. O resultado de tais concessões foi o golpe civil-militar de 1964 como todo mundo sabe.
Acho que a presidente Dilma Roussef não aprendeu com a história, assim como o próprio Lula , se sabia dos fatos, os deletou de sua mente. Inflada pela onda de insatisfação nacional do atual desgoverno, as forças reacionárias do país  esfregam as mãos, põem o dedo no gatilho e se preparam para, pelo menos tentar, dar um tiro de misericórdia no atabalhoado terceiro governo petista. Que Deus se apiede de nós.


10 de fevereiro de 2015

O PT tira a morte pra dançar?


A coisa está se complicando e o PT parece não se dar conta disso. Sem avaliar bem o quadro, está convocando a militância para se vestir de vermelho em defesa do mandato da presidente Dilma em 15 de março, mesmo dia em que se programa pelas redes sociais, manifestações em todo o país pelo impeachment, com recomendação para que os manifestantes se vistam de verde e amarelo.
Não será apenas uma guerra de cores, mas a promessa de confrontos nas ruas. Segundo Noblat, o PT estaria tirando a morte pra dançar.
A menos que o PT esteja mesmo crente de que a morte está caducando:

9 de fevereiro de 2015

É com certeza, poesia




“Será que é poesia?”. Bem, tudo o que o terra seca Laércio Souto Maior escreve se não é, acaba virando poesia. Mas entre tantos livros que já editou este é, como sugere o título, o primeiro em que o  Ministro Plenipotenciário de Caruaru coloca sua veia poética para pulsar

 O resultado está no belo livro que seu filho Téo cuidou e, com grande talento editou colocando no lugar da foto do autor, uma caricatura feita pelo inesquecível Struet há 35 anos.
Téo teve o cuidado de numerar cada exemplar, que ele fez em capa dura toda revestida de decido. O lucro, se houver, e torçamos para que haja, será revertido para o fundo da Associação dos Amigos do Arquivo Manoel Jacinto Correia, cujo centro de pesquisa e documentação foi organizado e estruturado por Laércio.
Lançado em Curitiba, "Será que é Poesia" terá noite de autógrafo em Maringá no dia 5 de março no auditório do SESC, um dos mais importantes espaços das manifestações culturais de Maringá.


7 de fevereiro de 2015

PMDB põe a faca nos dentes


Beto Richa vai começar , já a partir da próxima semana,  enfrentar dias difíceis na Assembleia Legislativa. De olho nas urnas em 2016, os partidos que o apoiam começam a rever suas posições com relação ao pacote de maldades que o governador vem encaminhando , a conta gotas, para a aprovação dos deputados estaduais. O PMDB, que é o maior partido , mas não é de situação e nem de oposição, pois está rachado no meio, decidiu jogar duro com o que o senador Requião chama de “adesistas”, ou como preferia Álvaro Dias, nos seus bons tempos de MDB, trânsfugas.
O presidente do Diretório Estadual, Rodrigo Rocha Loures, que segue orientação do senador Requião, anunciou que a cúpula partidária dispõe de instrumento legal em seu estatuto para expulsar aqueles parlamentares peemedebistas que votarem com o governador o pacote de  maldades, que vai de tarifaço a supressão de direitos dos servidores.

6 de fevereiro de 2015

Na bronca com sua operadora? Chame o Chico que ele canta pra você


Você tem alguma reclamação a fazer contra uma operadora de telefonia (fixa ou móvel)? Desista. Ou melhor, não desista, insista, mas saiba que seu caso nem Procon dará jeito.
Mês passado tive uma demanda com uma operadora, de quem adquiri Banda Larga, TV Cabo e telefonia fixa, tudo no mesmo pacote. Aí veio uma fatura com uma ligação do fixo para um celular, no valor de R$ 138,00. Isso mesmo, R$ 138,00 para 2 horas e 20 minutos de conversação. Não fazia sentido nenhum , principalmente porque a ligação era do meu fixo para o meu celular e num horário em que estou em casa. Reclamei no Procon onde, reconheça-se, fui muito bem atendido. A informação que a operadora passou para a moça do Procon é que era para o assinante (no caso, essa vítima que vos fala) esperasse 5 dias úteis porque a telefonia fixa é operada pela Embratel e seria a estatal a fazer o laudo técnico de perfil de tráfego. Não veio em 5 dias, demorou mais de 10, mas o problema não foi a demora da resposta, mas a resposta em si. Me informaram simplesmente na conclusão do tal laudo que “Conforme dados apresentados no presente laudo técnico , atestamos que as chamadas foram originadas/recebidas nas datas e horários indicados acima e trafegaram pelos equipamentos de registro de faturamento de chamadas, que, frise-se , são anualmente auditados e certificados pelo ABNT em atenção ao artigo 18 do Regulamento do STFC, aprovado pela Resolução no. 426/2005 de 9/12/2005 da Anatel”.
Viram só? Simples assim. Me convenceram que sou mesmo uma anta, porque eu estava em casa, peguei meu fixo , mandei a mulher ,que estava no quarto , ligar pra mim na sala e alí ficamos conversando durante 2 horas e 20 minutos. Que maravilha essa Embratel e essas operadoras , no caso a Net. Mas sei de fatos ainda mais irritantes do que esse que aconteceram com pessoas de minhas relações que assinam pacotes de outras operadoras. Enfim, meus caros , quem se sentir lesado pelo sistema de telefonia, não chame o Procon, chame o Chico Buarque, que ele canta no ouvido de cada um de vocês:

3 de fevereiro de 2015

E dá-lhe pau, grande Francisco!



"O bilionário Kenneth Langone, fundador da Home Depot, empresa varejista norte-americana de produtos para casa, enviou um aviso ao Papa Francisco durante uma entrevista no canal CNBC: pessoas “como ele” estão se sentindo ofendidas com as mensagens do Vaticano em apoio aos mais pobres.
Para completar, disse que se o Pontífice continuasse a fazer declarações contra o capitalismo, ele iria parar com as doações que realiza.
Em um discurso realizado no Brasil em julho, o Papa Francisco pediu para “aqueles que têm posse de grandes recursos” não pararem de lutar por um mundo mais justo e solidário. “Ninguém deve se manter insensível em relação à desigualdade que enfrentamos”, afirmou Francisco".



. Portal Pragmatismo Político

2 de fevereiro de 2015

O PT no papel de Geni




Cá pra nós: o PT nasceu sob o signo da utopia , se formou e se fortaleceu sob o manto da ética. Seus arroubos socialistas e éticos apavoraram a elite num determinado momento, fazendo de Lula um sapo barbudo de meter medo em quem vivia (por ignorância ou má fé)  atormentado e atormentando com o fantasma de um comunismo que nunca, em tempo algum, ameaçou o Brasil.

Aí o PT cresceu, viu seu balão inflar pelas urnas. Foi ganhando musculatura, até que um dia chegou ao poder central, justamente por meio do carisma e da popularidade do seu maior líder. Uma vez “Lula lá” , o Partido dos Trabalhadores colocou em prática seu projeto de poder, pelo qual ocuparia o Palácio do Planalto por pelo menos 20 anos.

Depois de Lula, o nome da vez seria naturalmente Celso Daniel, mas o prefeito de Santo André morreu assassinado no comecinho do primeiro governo petista. Os matadores foram presos, mas a própria família do político assassinado nunca deixou de suspeitar que tinha gente graúda da cúpula partidária envolvida no crime.

A partir de então, subia a cotação do chefe da Casa Civil, José Dirceu, cujo projeto pessoal de suceder Lula foi enterrado pelo escândalo do mensalão. No lugar de Dirceu, assumiu o cargo politicamente mais importante do governo (depois do presidente, claro), a então ministra das Minas e Energia, Dilma Rousseff. O resto da história todo mundo sabe. O que talvez dificulte o entendimento é como e porque o PT caiu na vala comum dos partidos tradicionais.

Explicar isso, não é tarefa   para um simples jornalista que, no máximo se aventura pelo exercício de uma sociologia de botequim. É amparado , então, pela metáfora do botequim , que me atrevo a dizer: o PT tornou-se um partido odiado, talvez o mais odiado de toda a história recente do país. Não sem razão: o medo da socialização e do purismo potencializou a paúra e oxigenou o preconceito que as elites nutriam contra a esquerda.

As práticas tradicionais da velha política partidária que contaminaram a cúpula petista levaram  figuras exponenciais do Partido dos Trabalhadores a romper com o Lulo-Dilmismo. Isso aprofundou a crise de credibilidade do outrora vestal e deu gás para a oposição envenenar o cenário político de 2014.

Se num determinado momento o PT semeou vento por meio das práticas deletérias de Dirceu, Delúbio e companhia, era previsível que colhesse tempestade. E mesmo não sendo o único responsável pelo esquema de roubalheira na Petrobrás,  que vem de longe, diga-se de passagem, acabou transformado na Geni da corrupção institucionalizada. Notem que nenhum dos partidos tradicionais , inclusive o PSDB se encontra fora dessa. O tucanato,  que durante a disputa eleitoral de 2014 se fez estilingue,  já não atira mais pedras no telhado petista com a mesma desenvoltura que tinha até seu ex-presidente Sérgio Guerra (in memoriam) ser citado na Operação Lava Jato.

Não generalizemos quanto ao PT enquanto partido, porque as suas bases regionais e municipais ainda contém um número considerável de sonhadores, que acreditam na revolução socialista e , por ingenuidade e boa fé, preferem segurar a onda e defender os princípios éticos que guiaram os primeiros passos da legenda. São esses que mais sofrem com o preconceito e o ódio manifestado nas ruas e nas redes sociais. A duras penas,  eles ainda se movem pela utopia de um Brasil ético e soialista.

Enquanto isso na sala de justiça,  a  elite brasileira faz o coral de milhões de vozes que rege com sua batuta apodrecida,  aumentar o tom da música que melhor retrata a hipocrisia nacional:  “Joga pedra na Geni/ Joga bosta na Geni / Ela é feita pra apanhar/ Ela é boa de cuspir...”