14 de julho de 2015

Um golpe típico de república das bananas




Matéria da Folha de São Paulo de hoje revela um encontro secreto entre o ministro Gilmar Mendes, o presidente da Câmara Eduardo Cunha e o Paulinho da Força. Objetivo: tramar o golpe. Paulinho sugeriu que só há uma possibilidade de tirar Dilma da presidência. Seria a união do ministro Mendes (TSE) e do vice presidente Michel Temer com os presidentes da Câmara e do Senado, ambos do PMDB, além do senador Aécio Neves. Feito isso, eles dariam um jeito de apear Dilma do poder e implantar um parlamentarismo branco, para gerir os destinos do país até 2018.
Não aprenderam com a história: tentaram um parlamentarismo no início dos anos 60 para justificar o impedimento de João Goulart que, por estar voltando da China em missão oficial, achavam que ele estava mancomunado com os comunistas para implantar o comunismo no Brasil. Jango era vice de Jânio que havia renunciado a presidência. Durou pouco o parlamentarismo, que teve Tancredo Neves como primeiro ministro. Foi uma saída pífia que não serviu sequer para mascarar o golpe de estado que a elite e os militares queriam dar , como fizeram em 1964.
Dessa vez o quadro é outro, vivemos uma democracia (aparentemente) sólida e mesmo assim a fina flor do reacionarismo nacional tenta matar aquilo que se construiu a duras penas, a partir da anistia e da campanha das diretas. Querem por que querem essas medíocres lideranças políticas transformar nosso país em república das bananas. Vá de retro , satanás.

Nenhum comentário: