28 de agosto de 2015

A corrupção no país da piada pronta


. Do jornalista José Máschio (ex-correspondente da Folha de São Paulo no Norte do Paraá)


"AlbertoYoussef e os homens de Lerner (ou, qual a razão da demora da Justiça?)
Alberto Youssef (o ex-contrabandista de uísque, hoje doleiro e delator da República) vai colaborar, em delação premiada, para esclarecer corrupção no final do governo Lerner (2002).
É um filme antigo. Em 22 de janeiro de 2004, em longo depoimento de delação premiada, Youssef já tinha enumerado os homens de Lerner e a grana que cada um levou na distribuição de R$ 39, 6 milhões, uma farra com dinheiro de uma transação Copel e Olvepar (títulos podres dessa empresa falida).
Os homens de Lerner e o dinheiro que cada um levou, assim como suas funções no esquema:
1)Heinz Georg Herwig (na época no Tribunal de Contas do PR), descrito por Youssef como ´´ um cara alto, estabanado``. Herwig pegou em 6 dez de 2002, a bagatela de R$ 6 milhões.
2) Ingo Henrique Hubert (então Sec. da Fazenda e presidente da Copel), recebeu em sua casa U$ 580 mil em doletas das própria mãos de Youssef ( que o descreveu como um loiro, careca de bigode).
3) Durval Amaral (ex- deputado estadual, hoje conselheiro do TC do PR). Youssef entregou a ele , em duas vezes, os seguintes valores: R$ 1, 1 milhão e R$ 1,090 milhão. (´´Se Druval ficou com o dinheiro ou distribuiu entre deputados, não sei``, disse em depoimento Youssef).
4) Guaraci Andrade (assessor direto de Lerner). Segundo Youssef, recebeu US$ 400 mil (frise-se: a relação dólar/real era de R$ 3,40 por dólar) para entregar ao próprio governador na época.
5) Cid Campelo (conhecido advogado paranaense) participou de todas as negociações, segundo Youssef, junto com Heinz (o Alemão) que distribuía o dinheiro em caixas de papelão e orientava sua destinação, inclusive em bilhetes com os valores a serem ´´empacotados``.
A pergunta que não quer calar. Se em 2004 (janeiro daquele ano), a Justiça Federal, com o Ministério Público do Paraná a acompanhar a delação premiada, sabia tudo isso (e até esse repórter tem cópia da delação), qual a razão de até hoje nada ter sido feito para punir os responsáveis pela farra com o dinheiro dos paranaenses?"

Meu comentário: Como se pode ver, o Brasil vive uma época em que corrupção tem prazo de validade equivalente a copo de iogurt. Isso talvez explique porque os crimes cometidos antes do governo PT foram todos varridos para debaixo do tapete e os corruptos do período anterior a 2003 estão todos "limpinhos". Parece piada pronta, como diria o Macaco Simão.

26 de agosto de 2015

Said deu a trimestralidade, Ricardo tirou, mas os servidores ganharam na justiça. Agora é pagar ou pagar



Ulysses Maia acaba de  aprovar requerimento na Câmara Municipal propondo  uma comissão especial formada por ele e mais quatro vereadores para, junto com o SISMMAR, o sindicato dos servidores, buscar uma solução definitiva para o impasse da trimestralidade.
Recordando: a famosa trimestralidade a que o funcionalismo municipal de Maringá tem direito continua dormindo em alguma gaveta do prefeito , que não tem dado qualquer demonstração de interesse em pagar. A pendência vem de longe, vem de 1991, quando o então prefeito Ricardo Barros decidiu anular o sistema de reajuste trimestral dos salários dos servidores, decretado pelo antecessor Said Ferreira   para fazer frente à inflação devastadora daquele período. Os trabalhadores regidos pela CLT haviam recebido o benefício do gatilho , que disparava cada vez que a inflação atingia o patamar de 20% . Mas os funcionários públicos ficavam a ver navio, com seus holerites sento simplesmente incinerados pelas línguas de fogo do  dragão inflacionário.

Justiça seja feita: Said Ferreira foi sensível a isso e tratou logo de lançar mão do mecanismo da trimestralidade, que seu sucessor (que depois acabaria saindo pela janela do gabinete ao deixar o cargo) anulou. Não deu outra: o sindicato da categoria foi à justiça do trabalho. Ganhou em todas as instâncias e, passados 24 anos, o município não tem mais para onde correr: é pagar ou pagar.  A dívida está em R$ 65 milhões, beneficiando 3.600 servidores, dos quais 700 já falecidos. O dinheiro devido aos 700 deverá ser repassado para a família.

24 de agosto de 2015

Saiu da vida para entrar na história


Lá se vão Há 61 anos que o país ficou perplexo com o anúncio do suicídio de Getúlio Vargas. Foi 24 de agosto, numa manhã cinzenta e fria . Um tiro no próprio peito e o presidente do trabalhismo saiu da vida para entrar na história. Houve grande comoção, muita gente chorando a perda e revoltada com aquilo que se especulou ter sido um golpe da direita a levar o presidente a dar cabo da sua vida. “Não querem que o povo seja independente”, escreveu Vargas em sua carta-testamento. Mal sabia ele que, passado mais de meio século e o grosso da população continua a reboque de um sistema perverso contra a pobreza e cada vez mais concentrador de renda.

O Brasil tem jeito sim

O Brasil tem ainda cerca de 100 milhões de hectares de terras produtivas desocupadas; 1 a cada litro de água potável do planeta; tem uma das melhores matrizes energéticas do mundo, pelo menos a mais limpa e barata e tem autossuficiência em petróleo. O que que há? Por que este país continua com tantos problemas sociais?
Uma coisa é certa: temos uma das concentrações de renda mais perversa do globo e uma classe política de péssima qualidade, alimentada por um eleitorado que pouco presta atenção no mal feito. Mas o Brasil tem jeito, meu irmão. Basta que apliquemos a constituição sugerida por Capistrano de Abreu , um dos primeiros grandes historiadores brasileiros (1853-1927), com apenas dois artigos:

"Artigo 1º - Todo brasileiro deve ter vergonha na cara." "Artigo 2º - Revogam-se as disposições em contrário."


23 de agosto de 2015

Com o meu,com o seu dinheiro...


Colorado é uma das cidades que, apesar da distância da Cidade Canção, ostentam propaganda paga com dinheiro do IPTU do maringaense para favorecer politicamente a família Barros. Nesta semana também foram feitos novos registros nas redes sociais por londrinenses, indignados com a quantidade de propaganda de Maringá espalhada pela Capital do Café. Da mesma forma, rádios como a BandNews e a CBN, em Curitiba, continuam veiculando publicidade paga pela Prefeitura de Maringá. A chamada sociedade organizada da cidade, Acim à frente, não reclama. O alto gasto da administração com propaganda fora da cidade faz parte da estratégia de manutenção do poder, que inclui até um programa do ex-prefeito Silvio Barros II (PHS) na Rádio CBN. Com o dinheiro dos outros, fica fácil. Pupin, fazendeiro conhecido por ser pão duro, não faria isso se tratasse o dinheiro público da mesma forma com que trata o seu.

   . Blog do Rigon

19 de agosto de 2015

Veja liga palestras da Lula à Lava-Jato. O ex-presidente reage divulgando a lista de contratantes



Depois que a Veja, por conta de vazamento do sigilo bancário de Lula, divulgou que o ex-presidente recebeu dinheiro de empreiteiras envolvidas na Lava-Jato para proferir palestras, o Instituto Lula decidiu escancarar a lista de contratantes.
A lista completa inclui 70 conferências, devidamente bem remuneradas. Foram palestras no Brasil e no exterior, agendadas por meio da empresa LILS Palestras e Eventos Ltda, “ remuneradas  de acordo com a projeção internacional  do palestrante, com o recolhendo dos devidos impostos”.

O Instituto Lula ressalta que “no mesmo período o ex-presidente participou, gratuitamente, de mais de 200 conferências, palestras e encontros promovidos por sindicatos, movimentos sociais, partidos, governos e instituições multilaterais, no Brasil e no exterior, sempre em defesa dos interesses nacionais, da paz mundial, estimulando o combate à fome e à pobreza”.

Segundo a entidade, “as palestras de Lula foram contratadas por algumas das maiores e mais respeitadas empresas de vários setores econômicos, do Brasil e do mundo. Por exemplo: Microsoft, Itaú, Infoglobo, Santander, Ambev, Telefónica, Iberdrola , Lojas Americanas , Nestlé, Queiroz Galvão, Pireli  e Telmex”.


O que se pergunta é o seguinte: como e porque houve o vazamento, justamente para a Veja, que  promove perseguição implacável ao ex-presidente? Claro, uma lista dessa não pode ser segredo. E por que seria? O problema é a finalidade da divulgação e a trama rocambolesca armada em torno do assunto. Pelo jeito a Veja vai ter tanta ação de reparação e danos estourando pra cima de si, que não demora muito e vira pó. Ou melhor, lama.

18 de agosto de 2015

Como mudar o Brasil mostrando a bunda?



Menos corrupção, melhora dos indicadores econômicos, mais educação, mais saúde, mais emprego. São demandas legítimas da maioria que foi às ruas domingo protestar contra o governo. Mas essas demandas se perdem na poeira da insensatez e da pura ignorância dos que, no vai da valsa, gritaram palavras de ordem equivocadas.
Em alguns casos, partiram para a violência verbal contra a presidente da república, xingando-a com palavras que qualquer um dos irados manifestantes proibiria ser pronunciadas perto dos filhos menores.

O festival de baixaria, inclusive com alguns idiotas baixando as calças e  mostrando a bunda, desqualifica o movimento, que em boa parte das cidades brasileiras caiu no ridículo. 

17 de agosto de 2015

Ciro não poupa ninguém

Harward, sim senhor. Tá pensando o que?




Informa o tabloide Impacto (edição impressa) que a vice-governadora Cida Borgheti tirou uma folga de fazer nada para fazer coisa nenhuma em Harward.  Foi a Harward porque Harward impressiona os mais desavisados. O jornal "língua preta" especula:  "a vice de Beto Richa deve ter ido fazer algum cursinho de receita naquela "university".

14 de agosto de 2015

Se assim é que lhe parece


Para o sociólogo Florestan Fernandes, falecido em agosto de 1995, seu ex-aluno Fernando Henrique Cardoso queria reformar o capitalismo por dentro, naturalmente em parceria com seus donos. Por isso, Florestan , que tive o privilégio de entrevistar uma vez em Maringá para a Revista POIS É, achava ser  FHC uma espécie de Cavalo de Tróia.



Só por Deus!


A que ponto chegamos: o governo Dilma vem sendo golpeado de todos os lados, inclusive pelas costas. E não há saída para a governabilidade fora das velhas raposas do PMDB, reunidas hoje com o ex-presidente Lula, para articular o cinturão que vai proteger a principal ocupante do Palácio do Planalto. Entre os velhos e carcomidos líderes peemedebistas estão ninguém menos do que Renan, Sarney, Temer, Jader Barbalho e Jucá. Só por Deus!

Que humor besta é esse?


Estamos vivendo uma fase de humor rastaquera e ofensivo na televisão brasileira. Não por acaso tem chovido ações na justiça, de reparação de danos contra programas e humoristas, que abusam do direito de tripudiar em cima pessoas, autoridades e instituições. Um desses lixos televisivos é o programa Pânico, da Band e o outro é o do xarope Danilo Gentili. Dizem que fazem graça. A graça que eles fazem certamente envergonharia Chico Anísio, Zé Vasconcelos, Golias e o próprio Jô Soares, que era impagável no tempo do Satiricom e do Viva o Gordo. Esses sim, humoristas verdadeiros , que nunca precisaram apelar para  fazer graça e se fazerem engraçados.



11 de agosto de 2015

Zé de Abreu falou e disse



“Antes na América Latina os pobres batiam panela porque passavem fome. Rico bater panela não tem o mesmo simbolismo, ele transforma a panela em penico”.


9 de agosto de 2015

Corregedora reacende o pavio da "Zelotes"


A corregedora nacional de Justiça, Nancy Andrighi, quer saber porque afrouxaram as investigações em torno da maior sonegação fiscal da história do Brasil , cuja operação investigatória recebeu o nome de Zelotes. Ele determinou, então, ao juiz Ricardo Augusto Leite, da Justiça  Federal de Brasília que informe sobre o andamento do processo, que sequer é mencionado pela imprensa nacional.
Na verdade, a ministra acolheu uma representação do deputado Paulo Pimenta , do PT, inconformado com o silêncio em torno do esquema de desaparecimento de dívidas tributárias de grandes empresas , via Carf (Conselho Administratico de Recursos Federais).
Conforme o que muito pouco se noticiou , “ uma quadrilha atuava no Carf para reverter ou anular multas de forma ilícita. O rombo chega a R$ 19 bilhões, mais até o que já se sabe ter sido surrupiado da Petrobras com pagamento de propinas. Não se compreende, pois, os motivos de tanto silêncio em torno da Operação Zelotes. Ou melhor, compreende-se sim. Afinal entre os envolvidos estariam nada mais nada menos do que: RBS (Filiada da Rede Globo), a Ford, a Mitsubishi,  BR Foods, Camrago Corrêa, Gerdau, Tim, Bradesco, Santander, Safra e diversos outros poderosos grupos empresariais.
Segundo revelou em abril a revista  CartaCapital  “ foi uma ação envolvendo o banco Bradesco que acendeu o alerta vermelho, em 2014, dentro da Polícia Federal, sobre a existência do esquema. Os investigadores comprovaram uma série de suspeitas sobre a quadrilha de venda de decisões, mas não conseguiram todas as provas que vislumbravam contra o Bradesco pois o juiz Ricardo Leite mandou cessar interceptações telefônicas que citavam, entre outros, o próprio presidente do banco, Luiz Carlos Trabuco”.


7 de agosto de 2015

Festa na Sapucaí, susto no Campo de Marte e desarranjo intestinal na horda palaciana, onde a palavra Manguinhos assusta


As ligações perigosas do governador Beto Richa com o empresário Ricardo Magro são cada vez mais evidentes. Agora surge a informação de que o mega-sonegador de ICMs, que foi enxotado do Rio e rejeitado em São Paulo, estav junto com o governador do Paraná no helicóptero que fez um pouso forçado em maio de 2011 no Campo de Marte, em São Paulo. Na mesma época a Manguinhos estava conquistando autorização para se instalar no Paraná, onde não deu outra: a empresa está envolvida num escândalo que aponta cerca de R$ 1 bilhão de sonegação de ICMS no nosso Estado, crime fiscal que já é objeto de investigação pela Polícia Federal, com linkagem na Operação Lava-Jato, onde o doleiro Yousseff fez revelações que tirou o sono de ocupantes de peso do Palácio Iguaçu.
Como evidência pouca é bobagem, o blogueiro Cícero Catani conta também:
“Foi uma semana inesquecível na cidade maravilhosa, no luxuoso Fasano, um hotel butique em Ipanema – suite frente para o mar, diária de  R$ 5.113, 50 –  tudo pago por Ricardo Magro, o dono da famigerada Manguinhos. Foi no Carnaval de 2012, na mesma época da controvertida autorização para a empresa de distribuição de combustíveis  atuar no Paraná, depois de tocada do Rio de Janeiro, onde deixou uma dívida de cerca de R$ 800 milhões.

À frente da alegre comitiva de 20 carnavalescos  estava o governador Beto Richa. Como abre alas, o icônico Luiz Abi Antoun. Na comissão de frente,  o então procurador geral do estado, Júlio Cesar Zen Cardoso,  responsável pelo parecer favorável à atuação da Manguinhos aqui.

Só não estava na comitiva, o diretor geral da secretaria da Fazenda, Amaury Escudero, responsável pelo alentado parecer contrário à vinda da Manguinhos.

Na Comarca de Araucária, corre o processo de execução contra empresas de Ricardo Magro, por conta da sonegação de cerca de R$ 1 bilhão. Quantia irrisória perto  da conta da boca livre no Fasano, além do camarote na Sapucaí”.

.

6 de agosto de 2015

De quem fala o cientista político?


“Muitos brasileiros haveriam de pensar: se ele era o presidente, e se as falcatruas de fato aconteceram, como poderia ele simplesmente não saber? Como, sendo o chefe do poder, não seria o próprio chefe da quadrilha? Enquanto acenava com proselitismo, com uma mão, o presidente roubava com a outra.
 
Uma certa imprensa autointitulada "livre" e "isenta" - faltou dizer "modesta"? Ou "presunçosa" e "hipócrita" seriam adjetivos mais apropriados? - chegou a afirmar que o presidente havia amealhado dinheiro suficiente para figurar como a sétima maior fortuna do mundo. Haja dinheiro para se chegar a tal patamar! 
 
Diante do malfeito, porém, não restaria pedra sobre pedra. Em uma república, ninguém está livre de acusações. Anos depois de terminado seu mandato, esse presidente, candidatíssimo a alguma eleição seguinte, tratado por “corrupto” e “ladrão”, como se fossem parte de seu sobrenome, foi finalmente indiciado e chamado a depor para responder por seus "crimes".
 
Intimado e intimidado, o ex-presidente apareceu e depôs. Ficou sentado em uma cadeira no centro da sala, sendo inquirido por trogloditas. Crispado, ali estava quem um dia foi muito poderoso. Agora, não mais. 
 
Devidamente enquadrado, quem antes era um líder, dessa vez, produzia a imagem ideal para que fosse lembrado, na posteridade, como um criminoso. 
Mas, afinal, onde estamos? Que dia é hoje? De quem estamos falando? Estamos no Brasil, nos anos de 1956, 1958 e 1965. Esse presidente que foi xingado, odiado, constrangido e humilhado se chamava Juscelino Kubitschek. Pensou que se tratasse de quem? “


                                . Antonio Lassance,  cientista político.
    

Merda no ventilador





O deputado estadual , presidente à época da CPI do Banestado , Neivo Baraldin, voltou a cutucar a velha ferida. Em entrevista ao tabloide Impacto, está tirando o sono de alguns figurões da política paranaense que se enriqueceram com a dinheirama desviada do banco estatal, vendido a preço de banana para o Itaú.
O caso Banestado está linkado à Operação Lava-Jato, por conta principalmente de informações sobre o assunto prestadas ao juiz Sérgio Moro pelo doleiro Beto Youssef. É bicho feio que, com merda atirada ao ventilador já está provocando desarranjo intestinal em muita gente, inclusive no ex-governador Jayme Lerner.

5 de agosto de 2015

Não pouparam o estanceiro Getúlio, porque poupariam o metalúrgico nordestino?




O jornalista Rodrigo Viana, repórter da Record e blogueiro (O  Escrevinhador ) narra uma conversa que teve  em junho com um advogado paulistano, segundo ele “ bem-sucedido, com sólida formação acadêmica (é também professor de Direito), sócio de um escritório na região da avenida Paulista e que votou no Aécio Neves:
“A conversa aconteceu num encontro social privado, há alguns dias, antes portanto da prisão de José Dirceu. O advogado, a quem conheço há mais de 30 anos, tem na sua carteira de clientes alguns empreiteiros. Um deles está em prisão domiciliar, por causa da Lava-Jato, e algumas semanas atrás foi obrigado a depor algemado em Curitiba – como forma de pressão.
“Um homem de quase 60 anos, franzino, que não oferece nenhum risco físico às autoridades, foi obrigado a depor algemado durante várias horas, sob alegação de ameaça à segurança do delegado“, contou. Eis aqui um resumo do que relata Rodrigo Viana sobre a conversa:

 “Todos advogados que trabalham na Lava-Jato estão assustados. Mas quase todos temem enfrentar abertamente Sergio Moro. O juiz de primeira instância – com suas soturnas camisas pretas (ôpa, Itália dos anos 20 e 30!) acompanhadas de gravatas também escuras – virou uma espécie de intocável. Montou uma operação que – mais do que respeitada – é temida por todos que atuam no Judiciário.
“É uma espécie de estado islâmico judicial, onde tudo é permitido; afinal há um objetivo final que é sagrado: combater a corrupção”.
Algumas delações premiadas já chegam prontas, feito matéria da “Veja”: primeiro o editor escreve, depois o repórter acha alguma coisa que corrobore a tese. “Eles trazem a delação e dizem ao preso: você assume isso aqui? Sabemos que você sabe, fica mais fácil pra você”.
Mas o que explicaria essa voracidade, voltada não contra todos os corruptos, mas contra o governo (PMDB e PT são os alvos, com o PSDB poupado)? Não haveria uma operação tucana, uma conexão com a mídia?
Minha fonte, que votou em Aécio sob o argumento pragmático de que “o Brasil e a Dilma não vão aguentar o que vem por aí na Lava-Jato; se o Aécio ganhar, isso tudo estará pacificado” (foi essa, mais ou menos, a frase dele em outubro de 2014, quando nos reunimos num jantar a poucos dias do segundo turno), está convicto de que a guerra santa promovida por Moro tem um alvo: o ex-presidente Lula.
“O Lula ainda não é a bola da vez, mas é a cabeça que os meninos de Curitiba querem sangrando numa bandeja”, disse o advogado. Segundo ele, muitos réus foram indagados nas últimas semanas sobre o que sabiam do “peixe grande”.
A conversa que narro nesse post aconteceu durante um encontro com 6 ou 8 pessoas, em São Paulo. Um dos presentes, que não é advogado, indagou: “então, caminhamos para uma grave crise institucional?
“Não”, respondeu o advogado. “Não caminhamos. Já estamos em plena crise”.
E a prisão de Lula então é inevitável, dada a inação do PT e do governo?
“Avaliação política eu deixo por sua conta” [o advogado disfarça, mas é também um arguto observador político]. “O  que posso dizer é na seara jurídica:  posso apostar com você que até o fim do ano vão tentar prendê-lo; vai depender da postura do STJ e do STF nos HCs pendentes”.
Ou seja: Moro precisa ter certeza que não vai passar vergonha, mandando prender Lula, mas tendo sua decisão revogada em 24 horas, num tribunal superior.
Lembremos que Vargas, em 1954, estava na iminência de ser preso pela República do Galeão, e por isso tomou a medida extrema em 24 de agosto.
Espero que não caminhemos para o mesmo desfecho. Politicamente, Vargas salvou o trabalhismo com um tiro no peito. Foi o suicídio que salvou seu campo politico.
Dilma, até aqui, com sua inação, de certa forma faz o caminho inverso. Preserva-se pessoalmente, mas leva todo o campo político do lulismo e do trabalhismo para um suicídio político.
E Lula? A reação não pode mais levar semanas, ou meses.  Acordos “pelo alto” (com a banca e a elite empresarial) não vão adiantar. Vargas era estancieiro, e foi pro cadafalso. Por que poupariam o metalúrgico nordestino?
Moro não vai parar. Ele é o estado islâmico judicial”.


4 de agosto de 2015

Acredite se quiser...


“O tempo passa, o tempo voa…”: HSBC comprou Bamerindus por R$ 1, mas foi vendido por R$ 17,6 bi para o Bradesco”

. Senador Requião no twitter

Meu comentário:
A propósito vamos relembrar: o Bamerindus era um banco paranaense, de grande saúde financeira e vinha crescendo tanto que já encostava nos gigantes Bradesco e Itaú. Mas aí o Banco começou a quebrar no governo FHC, curiosamente depois que o presidente do banco José Eduardo de Andrade Vieira teria dito não ao pedido de Serjão Mota para doar R$ 100 mil à  campanha de reeleição de FHC. Liquidado, o Bamerindus foi “vendido” para o HSBC realmente pelo valor simbólico de R$ 1,00.

Isso mesmo, R$ 1,00. Saiu até um livro do cientista politico Orquisa sobre o assunto e Amaury Ribeiro Júnior repica a informação (com documentos) no “Privataria Tucana”. E agora, depois do escândalo internacional em que se envolveu o poderoso banco inglês, eis que suas agências brasileiras são vendidas para o Bradesco por R$ 17,6 bi. É mole ou quer mais? 


1 de agosto de 2015

Será que vai ter goiabeira balançando?



Está surgindo uma frente de partidos de esquerda para disputar as eleições municipais  com chapa completa e um nome que pode surpreender para prefeito. O próximo dia 29 será uma data importante para o redesenho do cenário político-eleitoral de Maringá. “Vamos balançar a goiabeira”, entusiasma-se um dos principais articuladores da “frentinha”.


Lula x FHC, ou o roto e o mal lavado?


Lula se diz assustado com os ataques ao instituto que leva seu nome. Ele acha que o estão querendo intimidar para evitar que ele dispute em 2018. E ironiza: “Que bobagem, nem sei se vou estar vivo até la”. Bobagem também, segundo ele foi a fala de FHC, dizendo que o governo dele Lula, foi o mais corrupto da história do Brasil.  "Um homem que foi presidente da República, letrado como ele é, não tinha o direito de falar a bobagem que ele falou anteontem à noite. Porque se ele quisesse falar de corrupção precisaria contar para este País a história da sua reeleição", desafiou .
Lembrando: a emenda da reeleição foi aprovada em 1997 e segundo o noticiário da época, teria havido compra de voto de parlamentares para aprova-la, beneficiando diretamente o presidente Fernando Henrique , que afinal, acabou se reelegendo.

Sabe-se que o  caso foi arquivado pelo então procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, por falta de provas. Porém, o jornalista Fernando Rodrigues publicou na Folha de São Paulo na época, depoimento de parlamentares que receberam dinheiro – cerca de R$ 200 mil cada um. Rodrigues nunca negou isso. Até gravou um vídeo confirmando o esquema: