28 de agosto de 2015

A corrupção no país da piada pronta


. Do jornalista José Máschio (ex-correspondente da Folha de São Paulo no Norte do Paraá)


"AlbertoYoussef e os homens de Lerner (ou, qual a razão da demora da Justiça?)
Alberto Youssef (o ex-contrabandista de uísque, hoje doleiro e delator da República) vai colaborar, em delação premiada, para esclarecer corrupção no final do governo Lerner (2002).
É um filme antigo. Em 22 de janeiro de 2004, em longo depoimento de delação premiada, Youssef já tinha enumerado os homens de Lerner e a grana que cada um levou na distribuição de R$ 39, 6 milhões, uma farra com dinheiro de uma transação Copel e Olvepar (títulos podres dessa empresa falida).
Os homens de Lerner e o dinheiro que cada um levou, assim como suas funções no esquema:
1)Heinz Georg Herwig (na época no Tribunal de Contas do PR), descrito por Youssef como ´´ um cara alto, estabanado``. Herwig pegou em 6 dez de 2002, a bagatela de R$ 6 milhões.
2) Ingo Henrique Hubert (então Sec. da Fazenda e presidente da Copel), recebeu em sua casa U$ 580 mil em doletas das própria mãos de Youssef ( que o descreveu como um loiro, careca de bigode).
3) Durval Amaral (ex- deputado estadual, hoje conselheiro do TC do PR). Youssef entregou a ele , em duas vezes, os seguintes valores: R$ 1, 1 milhão e R$ 1,090 milhão. (´´Se Druval ficou com o dinheiro ou distribuiu entre deputados, não sei``, disse em depoimento Youssef).
4) Guaraci Andrade (assessor direto de Lerner). Segundo Youssef, recebeu US$ 400 mil (frise-se: a relação dólar/real era de R$ 3,40 por dólar) para entregar ao próprio governador na época.
5) Cid Campelo (conhecido advogado paranaense) participou de todas as negociações, segundo Youssef, junto com Heinz (o Alemão) que distribuía o dinheiro em caixas de papelão e orientava sua destinação, inclusive em bilhetes com os valores a serem ´´empacotados``.
A pergunta que não quer calar. Se em 2004 (janeiro daquele ano), a Justiça Federal, com o Ministério Público do Paraná a acompanhar a delação premiada, sabia tudo isso (e até esse repórter tem cópia da delação), qual a razão de até hoje nada ter sido feito para punir os responsáveis pela farra com o dinheiro dos paranaenses?"

Meu comentário: Como se pode ver, o Brasil vive uma época em que corrupção tem prazo de validade equivalente a copo de iogurt. Isso talvez explique porque os crimes cometidos antes do governo PT foram todos varridos para debaixo do tapete e os corruptos do período anterior a 2003 estão todos "limpinhos". Parece piada pronta, como diria o Macaco Simão.

Nenhum comentário: