20 de outubro de 2015

Como parar tanta sangria?


A oposição, liderada pelo PSDB, se diz escandalizada  com  o saque na Petrobras. Realmente é dinheiro que não acaba mais. Imagine se forem somar todos os desvios de recursos da estatal desde 1996 quando Paulo Francis denunciou , pela primeira vez, o roubo  nessa que é uma das maiores empresas petrolíferas do mundo. A maioria dos envolvidos na Operação Lava-Jato é de empreiteiros e políticos.  Não percamos de vista que entre os  políticos estão gente do  PT e  de vários outros partidos, inclusive do “limpinho” PSDB.
Como no Brasil roubalheira pouca é bobagem, o que dizer desse outro escândalo, sobre o qual a mídia mantém um silêncio sepulcral? Vejamos:

Segundo  dados  do  Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda (Sinprofaz)  a dívida dos 500 maiores devedores do País daria para cobrir várias vezes o valor do ajuste fiscal previsto pelo governo federal.
Lista divulgada recentemente pelo Ministério da Fazenda mostra que os 500 maiores devedores do fisco deixaram de recolher R$ 392 bilhões em impostos em 2014. O governo faz um reajuste fiscal dolorido para  a população para arrecadar R$ 64 bilhões.
O maior devedor é a Vale do Rio Doce, privatizada em 1997 pela bagatela de R$ 3 bilhões quando foi avaliada em RS 22 bilhões. E boa tarde do dinheiro usado na compra foi financiado pelo BNDES. Hoje a Vale deve para a União RS 41,9  bilhões. O total dos débitos inscritos na Fazenda é de R$ 1,162 trilhão., 20% do PIB,  que significa 500 vezes mais do que foi desviado da Petrobras.
A sonegação só este ano, segundo estimativas preliminares do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda deve chegar a R$ 500 bilhões. Mais da metade desse calote estará sendo dado até dezembro por grandes empresas, nacionais e multinacionais. E olhem que aí nem estão incluídos os números escandalosos levantados na Operação Zelotes, referente a propinas que grandes empresários pagavam para membros do Conselho  Administrativo de Recursos Fiscais deletarem do sistema os processos de dívidas tributárias que o Carf analisava. Só aí há um calote de cerca de R$ 20 bilhões, envolvendo inclusive empresas de comunicação.
Com tanta sangria assim, como se pode imaginar que o Brasil sairá do buraco  se impicharem  a presidente da república? Parte da sociedade andou aderindo à falsa indignação da elite nacional , que  da eleição para cá , potencializou o ódio contra a esquerda, sobretudo contra o PT que muitos identificam (erroneamente) como ícone da esquerda brasileira.
O fato concreto é que está sim faltando um governo mais competente e totalmente desgarrado do mal feito, que tenha condições (e coragem) de pegar à unha o touro da sonegação fiscal apontada pelo Sinprofaz, fazendo os grandes sonegadores devolverem a grana que surrupiaram e até, colocando alguns na cadeia.  Isso sim marcaria o passo decisivo para a recuperação total do nosso país, permitindo que o Estado ampliasse suas políticas compensatórias e implementasse aquela política de distribuição de renda sonhada por todos aqueles que, como eu, alimenta a utopia de ver o Brasil sendo dos brasileiros.



Nenhum comentário: