21 de dezembro de 2015

Aos que pensam que o governo brasileiro enfia dinheiro no CUba





Obnubilado pelo discurso desconexo e desinformador da oposição e pela distorção de parte da mídia, o brasileiro comum continua indignado com investimentos que o governo brasileiro, a partir de Lula, tem feito em Cuba. O mais vistoso, e polêmico, foi o Porto de Mariel, construído com ajuda do BNDES e inaugurado por Raul Castro com a presença da presidente Dilma.

Dizem azedos críticos dessa parceria que trata-se aliança ideológica entre os governos petista e castrista. Ao contrário, trata-se de projetos pragmáticos, de mão dupla, que é tão interessante a Cuba quanto ao Brasil. No caso específico do Porto, que é colossal, ele deverá receber já a partir de 2016,  navios de cargas brasileiros que vão transitar pelo Canal do Panamá. O porto está a menos de 150 quilômetros dos Estados Unidos, o maior mercado do mundo e por onde deverão passar produtos brasileiros rumo à América do Norte.
O porto, que recebeu U$  682 milhões de empréstimos do BNDES e como contrapartida  gastou U$ 802 milhões de produtos e serviços  no Brasil , é de fundamental importância para as companhias brasileiras que exportam seus manufaturados, inclusive para o continente asiático. 
Some-se a tudo isso o fato de que Cuba se tornou um grande parceiro comercial do nosso país. Cuba tem 11 milhões de habitante, sendo portanto, um mercado consumidor importante, principalmente a partir da suspensão em definitivo do bloqueio comercial imposto pelos Estados Unidos no início dos anos 60 e que perdura até hoje. Empresas brasileira estão de olho na ilha e de olho principalmente no Porto de Mariel, que vai facilitar em muito a exportação de seus produtos para vários continentes.

Por tanto, falar que o Brasil está socorrendo a economia cubana (inclusive dando esmolas, segundo alguns imbecis)  enquanto a nossa economia está quebrada , é uma manifestação da mais pura  ignorância.





Nenhum comentário: