Pular para o conteúdo principal

O pesadelo de Beto que pode tirar Cida da jogada



. Por Celso Nascimento (Gazeta do Povo)


O governador teve um pesadelo noite destas. Ele via uma fila enorme de eleitores que, diante da urna, olhavam as fotos de três candidatos, mas só podiam optar por dois. Uma das fotos era dele mesmo, Beto Richa; as outras, de Osmar Dias e Roberto Requião.
Com o pijama encharcado pela sudorese, no pesadelo ele reviveu os dias de campanha, quando os programas de tevê dos adversários repetiam à exaustão as cenas da batalha do Centro Cívico, professores feridos, os momentos patéticos da dança de um secretário na porta do camburão de deputados, imagens da prisão do primo distante, do amigo co-piloto e fiscais da Receita… 

Assustado, ele teria acordado dona Fernanda para contar o sonho e pedir-lhe apoio para a decisão que lhe acorrera: desistir da candidatura ao Senado e ficar no Palácio Iguaçu até o último dia. O pesadelo, disse ele à mulher, despertara-lhe o pânico de ficar em terceiro lugar se tiver de enfrentar a dupla Requião e Osmar. 

Beto descreveu o pesadelo também para alguns dos seus costumeiros assessores. Ouviu palavras de conforto e o esboço de um plano. Um dos áulicos deu-lhe ideia luminosa: 

– Por que não fazer preventivamente um “acordo branco” com Osmar para evitar que ele dispute o Senado? Com isso, Beto concorreria só com Requião, mas como são duas as vagas, a segunda seria dele. Osmar ganharia estrutura para a campanha ao governo tendo como adversária uma “cristianizada” Cida Borghetti, a vice que a família Barros quer eleger governadora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eudes venceu a Covid e está em casa. Parabéns, grande santista!

O Eudes Januário, ex-secretário municipal do Meio Ambiente (gestão Zé Cláudio/João Ivo) ficou 51 dias na UTI do Hospital Municipal com a Covid 19. Foi entubado e passou por momentos difíceis. Hoje de manhã ele recebeu alta e já está em casa com a família. Venceu o coronavírus, o grande santista Eudes.

Tal pai, tal filho?

Mera coincidência ?
--------- Um professor da UEM ia todo sábado pegar filmes em uma locadora da Avenida Morangueira. Certo dia, durante um período eleitoral, ele chegou no balcão e escolheu um monte de fitas. Quando o funcionário relacionava os filmes que seriam levados pelo professor para devolução na segunda-feira , chegou o dono da locadora, vestindo uma camiseta com a sigla PT em vermelho no peito. Enfurecido, o professor deixou as fitas no balcão, saiu bravo e mandou que cancelassem sua ficha que ali não voltaria mais. Acreditem, a história é verídica. Nome do professor: Dalto Moro (+), que aliás foi meu professor de Geografia no curso de Estudos Sociais na UEM. Dalto, muito bom na matéria que lecionava, diga-se de passagem, nutria um ódio inexplicável do PT e seu líder máximo. Aliás , o mesmo ódio que nutre seu filho Sérgio, que anos mais tarde acabou colocando Lula na cadeia.

Coisa de governador cagão

Incluir os estados na reforma da previdência é um esforço que só governadores medrosos fazem. Se o Brasil é uma federação e cada estado tem seu parlamento, qual o problema dos governadores proporem reformas próprias para as previdências estaduais e submeter seus projetos ao debate com os deputados estaduais?