1 de abril de 2016

Cuidado com o conjunto da obra


“Conjunto da obra”  é a nova expressão exaustivamente usada por defensores do impeachment  para justificar suas posições. Até o Sardemberg, comentarista da   CBN  anda mudando o tom da conversa. Não fala mais em pedaladas fiscais como crime de responsabilidade, mas como crime que pode ser perdoado “e no caso da presidente Dilma seria se a economia estivesse crescendo, se a situação econômica do país estivesse um pouco melhor”.

Mas,  diz  Sardemberg , fazendo coro com lideranças partidárias , com alguns juristas e economistas: “a presidente da república deve ser impichada pelo conjunto da obra”. Hoje de manhã ouvi o ex-presidente Fernando Henrique dizer na Globo News que o problema da Dilma, que alimenta o processo de impedimento é o conjunto da obra. Até  Janaína Paschoal, a advogada que virou estrela ao defender o pedido de impeachment que ela protocolou na Câmara junto com Miguel Reale e Hélio Biudo,  falou em conjunto da obra.E se tornou a nova musa do golpe midiático.

Então é assim, a presidente da república corre o risco de ser apeada do poder, não mais por pedaladas fiscais, que muitos juristas tem dito que não configuram crime de responsabilidade, mas pelo conjunto da obra. Então fiquei pensando uma manchete da Folha de São Paulo e do Estadão mais ou menos assim, em caso de impeachment: “O congresso cassa a presidente pelo conjunto da obra”.

Um artista plástico, um músico famoso, um escritor de respeito, qualquer um deles pode parar numa cadeira de imortal, como na Academia Brasileira de Letras, por exemplo,  ou pode ser hostilizado na rua e apanhar da mídia, por conta do com junto da sua obra. Portanto, cuidado, logo o conjunto da obra será objeto de investigação da Lava-Jato.

Nenhum comentário: