19 de maio de 2016

O que nos leva a temer Temer

Poucos dias de governo e Michel Temer já mostrou a que veio. Com rapidez de uma estrela cadente, extinguiu o Ministério do Desenvolvimento Agrário;  o Ministério das Mulheres, alijando a mulher da sua gestão que se espera, seja curtíssima; acabou com o Ministério da Cultura, gerando protestos de artistas em todo o país e nomeou para o seu primeiro escalão, homens citados em delações premiadas e envolvidos, alguns até a medula, com a justiça. De quebra, um de seus ministros, que é maringaense, anunciou a redução do SUS (embora tenha recuado , bem à  moda Waldir Maranhão), deixando claro que  pretende desativar o Mais Médico, a Farmácia Popular e o Samu. Antes, enquanto relator do Orçamento da União , ensaiou um corte brutal de R$ 10 bilhões no bolsa família.


Enfim, Temer começa sob o signo do atraso, mostrando que seu projeto Ponte para o Futuro não passa mesmo de uma pinguela para o abismo. Em contrapartida, ele já deixou claro que pretende liberar os jogos de azar (bingo, jogo do bicho, cassinos), que qualquer criança sabe que é causa de destruição de femílias e pessoas viciadas, além de servir como porto seguro para a lavagem de dinheiro. Some-se a tudo isso, o apoio incondicional a um projeto de lei de José Serra, aprovado no Senado, que entrega o Pré-Sal e a Petrobras  às grandes petroleiras estrangeiras, principalmente americanas, tirando do país a possibilidade de alavancar o desenvolvimento do Brasil com os royaltys do petróleo que já começou a ser extraído em alto-mar.
Não foi por acaso que Michel Temer entregou o Ministério das Relações Exteriores ao “vampiro brasileiro”, que já fala em abandonar os BRICS e fechar embaixadas em países latino-americanos , cujos governos caminham na contramão do neoliberalismo. Ah, em tempo: o presidente interino já acabou com a CGU (Controladoria Geral da União), o órgão que tinha independência para investigar a má aplicação de verbas federais em obras públicas nos estados e municípios. Não se espantem se ele manietar  a Procuradoria da República , nomeando para cargo hoje ocupado por Rodrigo Janot um novo Geraldo Brindeiro, o engavetador que impediu que seguissem em frente centenas de processos contra o governo Fernando Henrique Cardoso.
Enfim, o governo Temer, que ainda é interino mas pode se efetivar com a confirmação pelo Senado do impeachment , tem dado razões de sobra para os brasileiros se preocuparem, e como diria Renato Russo, ficarem com o cu na mão.



Nenhum comentário: