28 de novembro de 2016

As voltas que o mundo dá


Do portal 247:


"Em fevereiro deste ano, quando o marqueteiro João Santana, que fez a campanha presidencial de Dilma Rousseff, foi preso pelo juiz Sergio Moro, na Operação Acarajé, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) soltou rojões.
Santana era acusado de receber recursos da Odebrecht no exterior, que, aparentemente, nada tinham a ver com Dilma, mas sim com campanhas feitas pelo publicitário na África e na América Latina, mas ainda assim o presidente nacional do PSDB comemorou.
"Ultrapassamos a fase testemunhal, das delações, e chegamos à fase documental. As investigações mostram que o publicitário do PT recebeu dinheiro durante o período eleitoral", disse ele. "É um forte indício de que o que apontamos lá atrás, que a campanha recebeu dinheiro de propina, estava correto. Por isso, temos que ter a serenidade de não apenas fazer o embate político, mas tratar as coisas no leito adequado: a Justiça", afirmou o tucano.
Bom, sabe-se agora, pelas delações da Odebrecht, reveladas pelo jornalista Renato Onofre, na revista Veja, que quem era pago pela Odebrecht, via seu marqueteiro Paulo Vasconcelos, era Aécio – e não Dilma".


Nenhum comentário: