21 de novembro de 2016

O Brasil retoma a marcha do caranguejo


A fome impede o ser humano de crescer, se desenvolver, adquirir conhecimento, cultura. O país que não propicia condições mínimas para que as pessoas abaixo da linha da pobreza se alimentem, não merece respeito. Gostem ou não, Lula fez isso por meio de políticas compensatórias nos seus dois governos, cujas políticas foram seguidas à risca por Dilma.
Quem diz, por exemplo, que o Bolsa Família é esmola não conhece a cara da fome e sequer se deu trabalho de verificar o avanço social que o programa proporcionou, principalmente no Nordeste. Em muitas cidades pequenas, onde mercearias e mini-mercados estavam à beira da falência, houve uma revitalização surpreendente do comércio a partir de 2003.
Jovens que capengavam no ensino  médio, não tinham perspectivas de ir adiante, por falta de condições de concorrer a vagas nas universidades públicas. Com o fortalecimento do Fies, criação do Pro Une e transformação do Enem em caminho para vagas no ensino superior, o quadro mudou. Hoje você vê nas cidades do interior do Nordeste muitos jovens frequentando faculdades particulares, fazendo Engenharia, Agronomia, Psicologia, Fisioterapia, Administração. Muitos já estão graduados, como ocorre, por exemplo, em Pintadas, minha cidade natal.

Bem entendido, isso não é uma defesa de Lula e Dilma , as a constatação de que o Brasil trilhou por caminhos de um futuro melhor, que a partir de agora no que vai dar. Uma coisa é praticamente certo: tem retrocesso a vista.

Um comentário:

João Luiz Pereira Tavares disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.