30 de janeiro de 2017

Beto Richa procura chifre na cabeça de cavalo




O governo  altera unilateralmente a data-base da categoria, reduz a hora-atividade e ameaça punir o professor que ousou ficar doente em 2016, a partir do tempo em que ficou afastado da sala de aula. A entidade que legalmente representa os professores diz que suspendeu a última greve por conta de acordo fechado com o governador. Mas o acordo não está sendo cumprido e é isso que  pode provocar nova paralisação já no início do período letivo. Em reunião realizada na última sexta-feira com a diretoria da APP Sindicato, o chefe da Casa Civil Valdir Rossoni, fez várias ameaças ao magistério, em caso de greve no início do ano letivo de 2017.

Claro, nova greve será uma tragédia para a Educação do Estado, mas é criminosa a forma como o governador Beto Richa trata a questão, pagando institucionais na TV para jogar a população contra os professores. O fato concreto é que o Paraná está na iminência de conviver com mais um longo período de escolas fechadas e de manifestações nada pacíficas pelas bandas do Centro Cívico. Será que o governador quer um novo “29 de abril” no Paraná?

Nenhum comentário: