Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2017

Retomada do emprego? Aonde?

FERNANDO BRITO (Blog Tijolaço)
No duro caminho para a formalização das relações de trabalho estamos andando para trás.
A “recuperação do emprego” que os jornais anunciam hoje é uma expressão absolutamente imprópria. O emprego não aumentou. O que aumentou foi o “bico”, a “viração”, o “biscate”, o “por conta própria”, segundo análise do próprio IBGE:
"O número de empregados com carteira de trabalho assinada (33,3 milhões) ficou estável frente ao trimestre anterior (abril-maio-junho de 2017). No confronto com o trimestre de julho-agosto-setembro 2016, houve queda de -2,4% (menos 810 mil). A categoria dos trabalhadores por conta própria (22,9 milhões de pessoas) cresceu 1,8% em relação ao trimestre abril-maio-junho (mais 402 mil pessoas). Em relação ao mesmo período de 2016, houve alta de 4,8% (mais 1,1 milhão de pessoas)".
Ideal para o momento que vai se abrir, com a nova (anti)lei trabalhista, que vai liberar o trabalho “de banco”. Não, não o de bancário, esta categoria cada vez men…

Torpor e torpeza

. Por Fernando Brito

“O primeiro significa perder a sensibilidade, a percepção, a falta de vontade para agir e deriva do latim torpere, é quase um estado de transe. Torpeza, tão parecida, vem de outro latinismo, bem diferente, turpis: desonesto, vil,infame, nojento,  indecente. O par de palavras talvez baste para definir o que se passa com o povo e as instituições brasileiras e a falta de surpresa com o desfecho previsível da votação da admissibilidade da segunda denúncia contra Michel Temer. O resultado é o que todos sabiam, com os votos que todos sabiam e a desfaçatez que todos esperavam. O governo de canalhas, elevado ao poder por um congresso de canalhas, julgando as denúncias produzidas por um bando de canalhas foi preservado, claro, em nome da canalhice geral. O anormal virou o cotidiano.
Nada mais espanta, nada mais assusta”.

Governo e mídia mentem sobre crescimento

A mídia vem usando indicadores irrelevantes para dizer que a economia brasileira está dando sinais de recuperação. Para os professores Leda Paulani (USP) e Márcio Pochmann (Unicamp) houve sim um minúsculo crescimento este ano, mas fruto das boas safras agrícolas e da liberação do FGTS dos inativos, que incrementou o consumo. Mas este é o tipo crescimento voo de galinha. Mesmo assim, o ministro Meireles falou em retomada do crescimento e a imprensa bateu bumbo nessa direção. ”É preciso considerar que diante da maior recessão da História do Brasil, qualquer índice positivo agora é sobre uma base bastante deprimida”.
Não há por parte dos jornalistas econômicos qualquer compromisso ético com a verdade dos números. Eles não falam na  queda da taxa de investimento, no desmonte do parque industrial brasileiro, no crescimento irresponsável dos gastos do governo, que só tem contingenciados as verbas de programas sociais e dos investimentos no futuro do país (caso da ciência e tecnologia) .A pr…

"Não sabe o imbecil, que da sua ignorância..."!

Sei que muita gente torce o nariz quando o assunto é  Roberto Requião.  Compreensível , pois afinal de contas,  o seu comportamento agressivo e sempre descortês com aqueles que o contrariam causa antipatia e às vezes repulsas. Esse lado  do senador também confesso que não gosto e até lamento, porque não fosse isso ele já teria sido candidato viável a presidente da república. Porém, uma coisa não tem como negar: Requião é de uma consistência ideológica e intelectual impressionante. Sem falar na coragem que ele adiciona à sua condição de um dos grandes oradores do parlamento brasileiro. Esta semana Requião subiu à tribuna do Senado e fez um discurso que só não teve grande repercussão  porque ele é uma espécie de persona non grata da mídia comercial, a qual não poupa em seus ácidos pronunciamentos.
Pegando como gancho o texto  O Analfabeto Político de Bertolt Brecht , Requião detonou ocupantes das cadeiras no Congresso Nacional, o atual governo , o poder judiciário e setores da sociedad…

Reflexos da reforma trabalhista

Tá russo

O fim das coligações nas proporcionais só  deverá ocorrer a partir de 2020. Para o ano que vem os partidos ainda deverão se coligar, atrelando a disputa por cadeiras nas assembleias legislativas e  Câmara Federal às candidaturas de governador. No Paraná, segundo análise do blogueiro Esmael Morais , um dos partidos que mais deverá ter problemas para manter sua bancada em Brasília é o PT, que  mantém hoje  na Câmara Federal os deputados Ênio Verri e Zéca Dirceu.
As perspectivas não são boas, porque além da possibilidade de conquistar apenas uma vaga, Ênio e Zeca ainda deverão ter a concorrência da atual senadora Gleisi Hofmann, com chances reduzidíssimas de voltar ao Senado.
Dentro do próprio Partido dos Trabalhadores, segundo Esmael, já se convencionou chamar o trio de “Grupo da Morte”. Dois deles poderão dançar. Mas há uma saída: seria o PT fazer uma aliança com Requião (PMDB) , que deve disputar  novamente a sucessão estadual. Tendo um bom puxador de votos na majoritária, o PT pode…

Brasil em tempo de servidão

O ministro do TST, Maurício Godinho Delgado compara a jornada intermitente, contida na reforma trabalhista, como uma espécie de servidão voluntária.   “Com todo respeito, a reforma retira muitos direitos, mas com uma inteligência, com uma sagacidade sem par. Os direitos serão retirados no dia a dia da relação de emprego. Um exemplo claro é  trecho da  lei que estabelece que benefícios como ajuda de custo, auxílio alimentação, abonos e diárias para viagens não são parte do salário. Ao fazer isso, tecnicamente, a reforma já está rebaixando o ganho econômico do trabalhador, sem contar que está rebaixando também a arrecadação do Estado”, enfatizou o ministro do Tribunal Superior do Trabalho. O contrato de servidão a que se refere o magistrado  não possibilitará que o trabalhador possa ter crédito bancário. “Isso porque o salário dele é absolutamente desconhecido, nem o empregador sabe, nem ele saberá”.  Delgado critica duramente  a regra que prevê que os custos de um processo trabalhista se…

Que justiça é essa?

Seu Divino sofreu um AVC, está em cadeira de rodas , tomando medicação controlada e usando frauda geriátrica. Levado pelo filho a uma repartição pública de São Paulo para tirar segunda via da carteira de identidade, seu Divino foi preso, porque a servidora que o atendeu, levantou que ele tinha uma condenação por pensão alimentícia não paga. A sentença é de 10 anos atras e foi cumprida agora, inclusive quando os filhos do segundo casamento do réu já são todos maiores de idade. Não é possível que ao prender um homem nessas condições, o delegado não tenha se sensibilizado e tentado junto à Justiça, uma análise das condições físicas do réu. Ele simplesmente foi colocado numa cela comum, junto com marginais perigosos e lá estava até hoje, contemplando a grade sem sequer entender o que está acontecendo, pois nem fala mais e até tem dificuldade de reconhecer as pessoas. Inevitável a pergunta: que Justiça é essa?

O fato foi noticiado pelo blogueiro Eduardo Guimarães, de São Paulo, que não só d…