Pular para o conteúdo principal

Governo Bolsonaro de olho na CNBB e até no Papa



O governo Bolsonaro deu agora para vigiar os passos de padres e bispos. A Igreja Católica está na mira da Agência Brasileira de Inteligência, que por orientação dos comandos militares, monitora até os encontros dos cardeais brasileiros com o Papa Francisco. Há no Planalto, segundo matéria da Folha de São Paulo, o receio de que O Sínoto sobre a Amazônia programado para o segundo semestre no Vaticano, aprofundará as discussões sobre a situação dos povos indígenas e quilombolas, e isto pode fortalecer a agenda da esquerda brasileira contra o governo. “Temos que neutralizar isso aí”, disse o ministro do Gabinete de Segurança Institucional , general Augusto Heleno.
O Sinodo reunirá bispos de todo o mundo em Roma no mês outubro e a questão social na Amazônia Legal, bem como o desmatamento e a violência no campo estarão na  pauta de discussão, num evento que terá ampla cobertura da mídia internacional. Isso vai incomodar por demais o presidente Bolsonaro e o estamento militar, que passa a ver, já a partir de agora, a CNBB como adversária. Até o Papa Francisco está no radar dos generais Mourão e Heleno e do capitão Jair.


Comentários

Thiago disse…
leia: "Comando de agência de mineração tem ex-funcionário da Vale e políticos do setor". ___Continua: "Investigada por crime ambiental também faz parte da cúpula da recém-criada ANM"___Este é o seu ESTADO MÍNIMO! E, certeza absoluta, os demais órgãos devem estar cheios de gente do tipo! Mas crime ambiental não tem problema: BASTA VER a situação do tal Ministreco Ricardo "Flexibilização" Salles, réu em uma ação em São Paulo...por "dano ambiental"! "Brasil acima de tudo e o povo embaixo da lama"!
1) "Planilha investigada por PGR indica mais um repasse via caixa dois para Onyx"___ Aposto com quem quiser: ESSE GOVERNO NÃO VAI DAR CERTO! E alguém acha que essa gente do PFL, vulgo DEM, que sempre ocupou lugar de destaque, no quesito CORRUPÇÃO, iria se salvar, caso, também, do Rodrigo "Botafogo" Maia? Outros caras que logo, logo terão as sujeiradas escancaradas serão esses donos do PSL: o tal BEBODOANO e o tal Bivar! 2) "Presidente do PR se entrega à Polícia Federal em Brasília"__Este não é o PARTIDO, de Magno Malta, o senador, não reeleito, que dispensou Bolsonaro? Na realidade, dispensaram Jair: Magno e o partido! E só quero ver quando começar a pipocar as SUJEIRADAS do PSL, cujo dono é um certo Luciano Bivar! Vendas de horários eleitorais...! Vai ser uma farra! E o PRTB de Levi Fidélix e de Mourão?
Hudson disse…
Acredito que não só papa mas todos os cidadãos de bem quer seja católicos evangélicos espírita ou pertencente a qualquer sociedade não deve apoia este governo corupto que libera armas apoia a matança de trinta mil e diz que pobre do serve para votar,tá na hora do povo se unir contra o mal.
Pau que bate em Chico, bate também em Francisco. Se ele usou os evangélicos para se eleger e que continuam a apoia-lo. Qual o problema que outras religiões e não só a igreja católica de expressar também a sua opinião aos seus seguidores. "Quem quebrou o estado laico da nação que segure o rojão"
Renato disse…
Belo confronto: Milicianos x Igreja Católica, este desgoverno do tal "Mico" não precisa de oposição já se alto explodiu.
Zé Roberto disse…
Vamos entender, os "evangelicos" podem fazer o que quiser e os que não é evangelico tem que engolir. Intrometer em assuntos internos é não permitir que o Brasil seja entregue e que o povo seja prejudicado por uma reforma maligna que um ministro está propondo. Isso é acabar com um povo.
O católico que segue o cristianismo e não a movimentos ultraconservadores como a opusdei, focolares, rcc, etc... defende os pobres e marginalizados, o imigrante, os perseguidos, a natureza; tudo que esse governo subserviente aos EUA não aceita.
E a lavagem cerebral que as igrejas evangélicas promovem em seus "fiéis"? Rebanho de gente sem discernimento, que nega a ciência, aceita sem questionamentos a "teoria" criacionista e elege um governo que, em nome da "família", estimula a violência, a desigualdade, a retirada de direitos. A manipulação é tanta que evangélico endeusa seu próprio algoz.
Lucio disse…
A verdade é que votaram realmente no capitão. Mas ainda não tiveram a oportunidade de saber quem é ele, o capitão. Enquanto estiver doente, o capitão é herói mítico. Governando, será paulatina e irremediavelmente reduzido ao que realmente é, uma mistificação exacerbada do que existe de mais medíocre no país. Quando isso pouco a pouco se for revelando, vai trazendo para a classe média a sensação de que foi enganada mais uma vez, e dessa vez em condições miseravelmente ridículas. E para os fanáticos seguidores e “admiradores” do capitão, causar a mais profunda decepção, a ponto de obrigá-los a sair do transe para um reencontro cruel com a dura realidade.

Mas se a fatalidade colher o capitão antes que seus seguidores tenham clara ciência de quem ele é, há uma remota possibilidade de que venha a ser sebastianizado, transformando-se em mito de verdade para uma pequena legião de bolsonarianos que exigirão do sucessor fidelidade absoluta a seu mito, talvez através de bulas baixadas pelo sumo sacerdote olaviano. Se o vice assumir agora o poder, eles considerarão isso uma usurpação, mesmo que ele seja da linha dura do Exército. Não obstante, boa parte de sua mistificação seria desvendada post mortem, enterrando definitivamente sua figura na lixeira do esquecimento.

A ideologia bolsonariana é uma mistura de surrealismo escatológico (de fim do mundo) com feitorialismo* colonizado. Sua condução do país sob sua nova condição de nação dominada e em parte ocupada (verticalmente, não geograficamente), tende a causar irritação profunda nos novos colonizadores, por constantemente submeter a governança de seu oneroso golpe de estado ao ridículo e ao racionalmente inviável. O golpe de estado no Brasil fazia parte de um plano mais amplo de dominação de todo o continente, e abriu a necessária passagem para que os novos colonizadores se defrontarem cara a cara com o gol, isto é, com a Venezuela, último bastião da resistência latina ao grande plano de dominação neo-colonial do continente sulamericano. Para a dominação, foi necessário aos dominadores usar e abusar da mentira e do absurdo. Mas para governar os dominados, o absurdo não só atrapalha, como é perigoso porque pode fazer o povo acordar com tanto desmazelo. Por isso, os Masters of the Universe talvez tenham de se livrar do absurdo, para que sua nova colônia ganhe condições estáveis e racionais de ser sugada economicamente.

Haverá uma fratura dentro da fratura, e os radicais do radicalismo vão exigir que o novo governante seja contra a Revolução Francesa, contra o ensino público livre e reverenciem a Goiabeira Sagrada, o que vai fazer com que os democratas sensatos venham a apoiar o militarismo, por ser aparentemente o menos danoso, mesmo com sua aceitação insuportável das exigências dos ocupantes. Por incrível que pareça, tudo ainda estaria dentro do marco de uma “democracia” ainda que meia boca, apostando na mídia empresarial que mantém olhos fechados da população que dorme inocente. A doença do mito vai manter o país em banho-maria até que surjam condições de um governança estável, seja ela militar ou bolsonariana. Guedes não conseguirá levar nas costas o peso do aprofundamento de reformas neoliberais sem o amparo presencial do chefão, e elas vão esperar por melhor definição do poder.
Wilson disse…
Se estão no caminho certo não há o que temer. A Igreja vai realizar sua missão , gostem ou não. Onde há um oprimido ali deve está a Igreja , já que em momento algum Jesus sentou na mesa dos poderosos e sim , sempre esteve cercado pelos pobres . Viver pela omissão não é uma vida digna, morrer pela causa do evangelho é a nossa vocação. É graça divina começar bem. Graça maior persistir na caminhada certa. Mas graça das graças é não desistir nunca. (Dom Hélder Câmara)
Andrade disse…
Bolsonaro é o representante dos falsos cristãos, eu fui em lugares que muitos pastores jamais pisarão. E eles apoiam (Bolsonaro) porque não precisam de 13° para viver, de direitos trabalhistas para garantir que o patrão não vai explorar. Eles vivem de dízimos e ofertas. Vivem explorando o povo e apoiam quem vai explorar o povo.
Décio disse…
A milicada só sabe fazer isso: vigiar, perseguir, torturar e depois devolver o país FALIDO E FAVELIZADO. Foi o que eles fizeram em 21 anos de ditadura militar no Brasil.
É o Exército, a maçonaria e os bandidos neopentecostais contra o papa Francisco e os religiosos progressistas.
Edson disse…
To rindo aqui...rapaz não acredito que essa galera sejam normais, quem não pensa como eles é taxado de comunista, petista....ate o papa virou comunista?! Massa e ver os ataques dos evangélicos ao católicos, como se tudo no Jardim deles fossem limpos e floridos. Vivemos um tempo de hipocrisia onde o debate virou apenas ataques e ninguem responde nada...só existe perguntas respondidas com outras perguntas.
E quando é que este governo vai começar a trabalhar de fato? Chega de picuinha com a imprensa, com a igreja com os opositores em geral. Queremos é ver geração de empregos, acabar com todos os privilégios seja na esfera judiciária, legislativa e executiva. Queremos um país mais justo com o uso do dinheiro público. Chega de revanchismo e picuinha. Vamos trabalhar moçada. Já ouvimos muita conversa.

Postagens mais visitadas deste blog

Bolsonaro pisa na bola com o mundo árabe e deixa o agronegócio com a pulga atrás da orelha

O QUE BOLSONARO QUER DE ISRAEL, UMA FÁBRICA DA GLOCK OU OS DRONES ASSASSINOS?

O presidente eleito vive cheio de mesuras para o lado de Israel, mas deixa transparecer um certo ar de provocação ao mundo árabe. O anúncio que fez de levar a embaixada brasileira de Telavive para Jerusalém,  pode criar sérias consequências para o agronegócio brasileiro, que tem nos países árabes seus grandes compradores, principalmente de  frangos e derivados.

Os empresários catarinenses desse setor apoiaram Bolsonaro com todo entusiasmo , mas se a mudança da embaixada se concretizar,  terão muitos contratos cancelados.

Mas afinal, que interesses o Brasil pode ter mais em  Israel do que nos países árabes? E o que o Brasil compra de Israel? Compra quase nada. Talvez Bolsonaro esteja agora interessado nos drones que matam e na vinda pra cá de uma fábrica da Glock. Era dessa marca a pistola que os assaltantes tomaram dele no Rio, onde levaram também a moto e o capacete do  deputado.

Não me recordo de nenhum pr…

Democraticídio

. Tereza Cruvinel (Jornal do Brasil)


As advertências sobre o risco Bolsonaro para a democracia não são choro antecipado de perdedor, artifício de petistas desesperados para virar o jogo. O democraticídio virá, não apenas porque condiz com a natureza autoritária do deputado-capitão, mas porque, se eleito, não será capaz de dar outra resposta aos impasses que enfrentará. Os avisos vêm até dos que ajudaram a semear o antipetismo, um dos mais fortes nutrientes da candidatura favorita.
Outros, que poderiam falar mais alto, justificam a omissão com a bazófia de que, ainda que ele tente, nossas instituições terão força para evitar qualquer ruptura. Em 1964 também tínhamos instituições que pareciam funcionar, mas elas não apenas cederam ao primeiro movimento de tanques.
Elas ajudaram a executar a parte civil do golpe. Bolsonaro e seu entorno, a começar do vice troglodita, nunca esconderam o pendor autoritário e a saudade da ditadura, nos elogios da tortura e nas homenagens…

Deixem Deus fora disso

Seja o que Deus quiser? Não, não podemos invocar o nome de Deus para nos conformar com essa sujeirada toda. Depois de apoiar ostensivamente a campanha "tudo, menos o PT", a Globo chega ao final da campanha vendo o provável eleito de braços dados com sua maior concorrente, a Rede Record do bispo Macedo. E vislumbrando um acordo mais ali na frente, para minimizar o impacto da divisão das verbas publicitárias que sempre concentrou, a Globo minimizou a ausência de Bolsonaro no debate de quinta-feira. O mediador Willian Bonner limitou-se a informar, candidamente, que Bolsonaro não compareceu por ordem médica, sem questionar o circo armado em torno dessa ordem para poupar o mesmo do confronto , tete-a-tete , com seus concorrentes. Enquanto os demais candidatos debatiam, discutiam propostas ou simplesmente colocavam suas ideias e confrontavam suas biografias, Bolsonaro ganhava 27 minutos de propaganda na Rede Record, ferindo de morte a legislação eleitoral que naquele momento já n…