8 de março de 2013

Chaves não é Lênin e maduro, muito verde para querer ser Stálin

Por mais que seja Maduro, Nicolás está verde para o cargo que ocupa interinamente e que vai tentar continuar ocupando por meio de eleições diretas. Embalsamar o corpo do líder bolivariano para ficar exposto ao público até que a dita revolução chavista se esgote, pode ser explicado a partir do seguinte ponto de vista: Maduro encontra forças no fortalecimento do mito em que está se tornando Hugo Chaves na Venezuela. Manter fora da tumba o cadáver de Chaves ajudaria a reforçar o mito que alimenta o candidato a sucessor.
Como se chamaria essa preservação do cadáver de Chaves: incorrupção ou mumificação? Seja lá o que for, este tipo de idolatria não aborreceria Chaves como aborreceu a memória de Lênin, que só não se virou no túmulo porque seu corpo continua insepulto.
Mas Chaves não é Lênin e nem maduro é Stálin. Muito menos a Venezuela passou por uma revolução socialista.
De certa forma, o comandante Hugo merece respeito, é digno das homenagens póstumas que recebe do seu povo, mas daí até ser embalsamado para a posteridade, é demais. Maduro está fazendo tudo para virar motivo de piada. Que as lideranças políticas latino-americanas não coloquem pilha nessa sandice.

Nenhum comentário: