22 de fevereiro de 2019

Cadê a nossa utopia?



Na época da resistência à ditadura havia droga mas não havia drogados porque os jovens eram viciados em utopias. Injetava-se utopia na veia. E quanto menos utopias mais drogas. Quanto mais utopias menos drogas. O que não dá pra esperar é que a juventude viva sem sonhos. Sou de uma geração que a gente não queria mudar só o cabelo, queria mudar o mundo e por isso a gente se arriscou muito. Colocamos nosso pescoço na guilhotina em nome do desejo de mudar o mundo para melhor. Hoje as pessoas prestam atenção no próprio umbigo, perderam a dimensão da solidariedade, da compaixão, da participação. A grande tragédia é que cada um volta-se para o seu pequeno universo e não se estabelece mais laços sociais.
.Frei Beto

21 de fevereiro de 2019

A Ford fordeu o Brasil. Mas o presidente estava ocupado, tuitando



É inacreditável a inércia do governo brasileiro no caso do anunciado fechamento da fábrica da Ford em São Bernardo do Campo.
Para entender a importância disso basta imaginar o inverso: a festa que os governantes estariam fazendo se a montadora, em lugar de fechar, estivesse abrindo uma fábrica.
Mas não temos Ministro do Trabalho  para defender os 3 mil trabalhadores que, de boa-fé, fizeram um acordo em maio do ano passado para ter, entre outras vantagens, estabilidade no emprego.
Também não temos ministro da Indústria e Comércio, que pressione a empresa pelos benefícios tributários que recebeu a fim de funcionar e crescer.
Sequer temos um presidente disponível para falar com a alta direção da empresa, aqui e lá na matriz americana para reverter essa decisão que, noticia-se está ligada à intenção do CEO da empresa,  Jim Hackett  de reduzir ao máximo a empresa, acabando com os prejuízos e investindo onde há perspectiva de lucro.
O presidente está ocupado, tuitando.

. Fernando Brito (Blog Tijolaço)


"Guaidó será nosso amigo, Bolsonaro já é nosso vassalo"


TRUMP QUER REPETIR A SANDICE DE BUSH PAI E BUSH FILHO. E GOVERNO BOLSONARO ESTÁ PRONTO PARA ABRAÇAR O JACARÉ


Em seu novo livro, o ex-diretor do FBI, Andrew McCabe sugere que em 2017 o presidente Donald Trump perguntou numa reunião na Casa Branca: “Por que não estamos em guerra com a Venezuela, se o país tem todo esse petróleo e está bem na nossa porta dos fundos?”.
Sendo assim, como alguém pode acreditar que a preocupação do presidente americano é com a democracia e com o povo venezuelano? Em nome de que vem apertando o torniquete sobre o pescoço de Nicolás Maduro, que pretende liquidar, mas sem medir as consequências trágicas que o país caribenho já está enfrentando por conta do estúpido bloqueio?
Todo mundo sabe que o Jorge W Bush mentiu descaradamente ao mundo sobre existência de armas químicas no Iraque, como pretexto para bombardear o país pela segunda vez (a primeira foi na chamada Guerra do Golfo, provocada pelo seu pai).
Agora, Donald Trump se prepara para jogar seu país numa aventura perigosa, que pode dar merda. Quer invadir a Venezuela para derrubar Nicolás Maduro e em colocando no poder o Juan Guaidó, poderá deitar e rolar em cima dos 500 bilhões de barris de petróleo que estariam embaixo da terra, só no Vale do Orenoco.
O que mais espanta é o fato do Brasil, que pode ser um alvo futuro, estar de braços dados com a Casa Branca, ao tempo em que se indispõe com parceiros comerciais importantes, como é o aso do maior de todos eles no momento, a China de Xi Jinping.

FGV constata que "era Lula" foi o melhor período da economia brasileira em 30 anos



“O período de junho de 2003 a julho de 2008 foi a fase de maior expansão para a economia brasileira das últimas três décadas, indica estudo divulgado nesta quinta-feira  pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV). Nesses cinco anos, a indústria se expandiu, as vendas do comércio registraram alta e a geração de emprego e renda cresceu. A análise foi realizada pelo Comitê de Datação de Ciclos Econômicos, coordenado pelo ex-presidente do Banco Central Affonso Celso Pastore, e teve participação de mais seis economistas”.

. Agência Brasil


18 de fevereiro de 2019

Para Bolsonaro ler na cama


Carlos Lacerda era um adversário encarniçado de Getúlio Vargas. Usava o seu jornal Tribuna da Imprensa para desancar o presidente dia sim e dia também. Vargas tinha um filho que se metia em tudo e este, junto com um tio, partia para o enfrentamento , fazendo ouvidos de mercador às carraspanas corretivas que recebia.

As lideranças políticas mais próximas do presidente o advertiam sempre: "Contenha o Luthero porque senão ele vai lhe dar muita dor de cabeça. Se não for na trela, que seja no relho". Getúlio Vargas não conseguiu conter o filho rebelde. O fim da história todo mundo sabe qual foi.



Problema nas postagens

Estou com problema para postar no meu blog do diario.com. Alteraram o site e a plataforma do blog, alterando too o esquema de postagem. Pelo jeito nçao sou só eu que não estou conseguindo postar, não.
Diante dessa dificuldade, optei por manter este blog mais atualizado.

16 de fevereiro de 2019

Ligações pra lá de perigosas


"Há mais coisas na demissão de Bebianno do que se possa imaginar. Uma: a ligação dos Bolsonaros com as milícias no Rio".

. Docolunista de O Globo Ricardo Noblat

15 de fevereiro de 2019

e AGORA, bEBIANO?


Cai o primeiro ministro do governo Bolsonaro. Um dos coordenadores da campanha do "mito", Gustavo Bebiano , bateu de frente com o 02 , que o presidente Jair chama de "o meu pitbull". Carlos Bolsonaro, que ao lado dos irmãos Eduardo e Flávio, mandam no Brasil até mais do que o pai, ordenou a exoneração, que pode custar muito caro ao presidente. Bebiano prometeu afundar atirando e disse claramente à imprensa na última quinta-feira que se ele cair, Bolsonaro também cai, porque vai abrir a caixa preta da campanha. 
Vai que é tua Bebiano!

10 de fevereiro de 2019

Governo Bolsonaro de olho na CNBB e até no Papa



O governo Bolsonaro deu agora para vigiar os passos de padres e bispos. A Igreja Católica está na mira da Agência Brasileira de Inteligência, que por orientação dos comandos militares, monitora até os encontros dos cardeais brasileiros com o Papa Francisco. Há no Planalto, segundo matéria da Folha de São Paulo, o receio de que O Sínoto sobre a Amazônia programado para o segundo semestre no Vaticano, aprofundará as discussões sobre a situação dos povos indígenas e quilombolas, e isto pode fortalecer a agenda da esquerda brasileira contra o governo. “Temos que neutralizar isso aí”, disse o ministro do Gabinete de Segurança Institucional , general Augusto Heleno.
O Sinodo reunirá bispos de todo o mundo em Roma no mês outubro e a questão social na Amazônia Legal, bem como o desmatamento e a violência no campo estarão na  pauta de discussão, num evento que terá ampla cobertura da mídia internacional. Isso vai incomodar por demais o presidente Bolsonaro e o estamento militar, que passa a ver, já a partir de agora, a CNBB como adversária. Até o Papa Francisco está no radar dos generais Mourão e Heleno e do capitão Jair.


Relações perigosas

O namoro de Bolsonaro com Trump pode ter sérias consequências para o Brasil na suas relações com outros países.


Os Estados Unidos acabam de quebrar a cara na Venezuela. Ao reconhecer o autoproclamado presidente Juan Guaidó, Trump congelou US$ 7 bilhões em ativos  da PDVSA , a estatal de petróleo venezuelana, como forma de fortalecer o provável futuro aliado e enfraquecer o desafeto atual, Nicolás Maduro. E aí o que Maduro fez? Simplesmente mandou todas as  reservas de ouro que lastreiam a  economia do país, para um banco russo. Hoje, a Rússia protege o regime maduro, mantendo no país caribenho jatos armados com ogivas nucleares e monitoramento do espaço aéreo venezuelano.

Mas a derrota norte-americana não está apenas nisso. Está na perspectiva sombria que o presidente Donald Trump criou, de fazer o mesmo com outros países do terceiro mundo  que guardam seus ativos no Federal Reserve (Banco Central dos EUA) e que  não lhe são simpáticos.

E o Brasil pró-Trump da era Bolsonaro? Só o tempo dirá o que este enfrentamento em clima de guerra fria reserva para as nossas relações internacionais. É bom o presidente Jair pensando nas consequências do seu affaire com o doidão da Casa Branca. 



Não mais que dois artigos


CADÊ A CONSTITUIÇÃO DE CAPISTRANO DE ABREU?

O desastre de Mariana era previsível; o de Brumadinho, perfeitamente possível; o do Ninho do Urubu, evitável. Definitivamente, o Brasil é o país das tragédias anunciadas. Dos rompimentos de barragens aos incêndios que o desleixo torna criminosos, chegaremos a outros genocídios não menos graves e igualmente evitáveis. Não cabe na qualificação fatalidade, mortes de pessoas inocentes e de bem, como as dos casos citados e nem as das execuções por milícias, muito menos as que ocorrem nos conflitos no campo e nos assaltos que a crônica policial registra todos os dias nos centros urbanos.

Tudo é uma questão de civilidade e de absoluta falta de preparo e vergonha na cara de gestores públicos, que chegam aos mais altos cargos pelo voto popular e, em estando lá no topo (a escala de poder não vem ao caso), pouco se lixa para os que estão aqui embaixo, na planície. 

Não é o caso de fulanizar responsabilidades e culpas, mas de manifestar angustia e preocupação com a cultura do desleixo e da falta de compromisso público dos políticos, que parece institucionalizada. Se o momento requer uma reflexão na base do antes tarde do que nunca, é hora da sociedade se mobilizar e cobrar respeito de quem elege para representá-la, seja no âmbito municipal, estadual ou federal. Que se aplique aqui e agora, a Constituição de Capistrano de Abreu, aquela de dois artigos:
"Artigo 1º - Todo brasileiro deve ter vergonha na cara”.
"Artigo 2º - Revogam-se as disposições em contrário."

7 de fevereiro de 2019

Depois do triplex, agora o sitio de Atibaia. Lula, já com mais de 70 anos está condenado à prisão perpétua


Chupa essa manga


VOCÊ NÃO ENTENDEU, OU FEZ QUE NÃO ENTENDEU, QUANDO O BOLSONARO DISSE QUE É PREFERÍVEL NÃO TER DIREITOS E TER EMPREGO, DO QUE TER DIREITOS E FICAR DESEMPREGADO.
A TRADUÇÃO DESSE DISCURSO VEM AGORA NAS ARTICULAÇÕES DO SUPER-MINISTRO PAULO GUEDES PARA ACABAR COM AS FÉRIAS E O 13o. SALÁRIO

Não é fake, pois saiu num jornalão de tradição centenária e que por suas responsabilidades, jurídicas inclusive, não publica noticias falsas. Segundo O Globo, o super-ministro da Fazenda, Paulo Guedes, estuda um artefato poderoso para liquidar com as férias e o 13º. salário.
Segundo o portal Forum, “Reportagem de Geralda Doca e Pedro Paulo Pereira, na edição de hoje do jornal O Globo, informa que o governo Jair Bolsonaro estuda incluir na Reforma da Previdência um dispositivo para permitir que trabalhadores abram mão de direitos, inclusive os que estão previstos no artigo sétimo da Constituição Federal, como FGTS, férias e 13º salário, no ato da contratação”.
Aí você diria: mas FGTS, férias e 13º. estão no artigo 7º. da Constituição como causa pétrea, e portanto, não podem ser mexidos. De fato, não pode mesmo. Mas segundo o jornalão, Paulo Guedes já encontrou uma saída, à eureca : a criação de condições para que o próprio empregado faça a opção, abrindo mão de todos os direitos e ficando, dessa forma, fora da CLT. A base legal para esta monstruosidade é a Reforma trabalhista no item do “negociado sobre o legislado”.