5 de julho de 2017

Ministro Ricardo Barros libera dinheiro do SUS para "Hospital das Fraudes"



O ministro da saúde autorizou sexta-feira passada o início do processo de credenciamento pelo SUS do Hospital das Clínicas Mário Ribeiro da Silveira, de Montes Claros (MG). Até aí, nada demais. O problema é que este hospital é o mesmo denunciado por fraudar documentos que facilitassem o seu credenciamento junto ao Sistema Único de Saúde. Queria ingressar no SUS mas sem se submeter a nenhum processo de licitação.
Lembram daquela deputada federal que ao votar pelo impeachment da presidente Dilma Roussef gritou ao microfone: “Meu voto é pra dizer que o Brasil tem jeito, o prefeito de Montes Claros mostra isso para todos nós com sua gestão. Sim, sim, sim, sim!”.
No dia seguinte à aprovação do impeachment na Câmara, o prefeito Ruy Muniz foi preso pela Polícia Federal, na Operação Máscara da Sanidade II – Sabotadores da Saúde.
O prefeito é ninguém menos do que o marido da deputada Raquel Muniz. O ministro Barros foi pessoalmente a Montes Claros para anunciar a boa nova à deputada e ao marido prefeito, donos do hospital, que sob a gestão do prefeito “probo” recebeu em 2015 nada menos que 26 mil consultas especializadas e 11 mil exames, tirados de concorrentes da rede pública, e portanto, credenciados ao SUS.
Segundo o jornalista Luiz Carlos Gusmão, do blog Em Cima da Notícia, “além de favorecer seu hospital, Ruy Muniz denegria a imagem de hospitais públicos e filantrópicos da região. Apesar de todas as denúncias que pesam contra o hospital da deputada e do prefeito, o Ministério da Saúde autorizou R$ 3 milhões para o credenciamento do mesmo. apelidado de “hospital das fraudes”.
Só pra lembrar: a deputada Raquel Muniz vai estar no plenário quando a Câmara Federal for decidir se acolhe ou não a denúncia do Procurador Geral da República contra o presidente Michel Temer, o chefe de Ricardo Barros.

Nenhum comentário: