31 de agosto de 2012

O ibope baixo do IBOPE

Impressionante, mas o ibope do IBOPE está com a credibilidade no nível de um roda-pé. Foi questionado em Maringá, por causa da sua metodologia marota e hoje levou invertida em Cascavel e em Foz do Iguaçu, sem contar que já estava com problemas também em Londrina.
Se continuar assim, o IBOPE acaba desacreditando de de vez a instituição pesquisa eleitoral.

Quem irá até Temmer?

O vice-presidente da república e todo poderoso do PMDB, Michel Temmer, se reúne neste sábado com 200 candidatos do partido a prefeito e a vice em todo o Estado. Alguém de Maringá estará lá? Como será que Temer encararia o fato do seu partido na terceira maior cidade do Estado estar a reboque do condomínio barroso?
Quem estará lá, o impugnado vice Cláudio Ferdinandi ou Umberto Crispim, o "probo-coerente"?
Uma coisa é certa: se o senador Requião estiver por lá e cruzar com o "Trio Parada Dura" - Crispim, John e Grillo, por certo ironizará: "E aí, já deram um beijo no Frank Niti de fundo de quintal?".

21 de agosto de 2012

Que os anjos digam, amém!

Um projeto do  deputado estadual Professor Lemos (PT) aponta a metralhadora do Estado para os que se enriqueceram com o erário. Se virar lei, certamente será criado um mecanismo que possibilite a investigação a partir dos sinais exteriores de riqueza. O bom disso tudo, é que pode ser um bom precedente para que outros estados sigam o exemplo e quem sabe, o Congresso Nacional se explique.
Lendo a nota sobre o assunto no blog do Esmael, garrei a pensar: se a coisa for pra valer, já pensou quanta gente não vai cair do cavalo? Aqui em Maringá seria uma festa.

19 de agosto de 2012

Impugnação de Pupin cria um novo cenário em Maringá

"Sem candidato a prefeito em Maringá, parece estar dando tudo certo para Ricardo Barros, finalmente, deixar campo livre para Ênio Verri, do PT. Desde o ano passado que se especula uma aliança do PP com o PT em Maringá, sob as bênção de Paulo Bernardo. Barros chegou perto de um acordo, recebendo em troca um emprego no alto escalão da república. O escândalo do Contorno Norte acabou com o acerto. Barros que chegara a anunciar sua ida para Brasília, tratou de se recompor com o governador Beto Richa. Consta que tentou emplacar o irmão, o atual prefeito Silvio Barros, no secretariado. Outro escândalo, porém, abalou a pretensão: Barros foi flagrado em uma escuta telefônica. Restou a ele se licenciar da secretaria da Industria, Comércio e Mercosul, à qual não deve retornar. Negando registro de Pupin, O TRE pode levar Richa a apoiar Wilson Quinteiro e se livrar de vez do indesejado “companheiro”

. Blog do Cícero Catani

A vaca está indo pro brejo

Foi um placar elástico - 6 a 0. Difícil de reverter no TSE a decisão do TRE, de cassar a candidatura Pupin a prefeito de Maringá. A cassação foi neste domingo, quando os desembargadores fizeram plantão para limpar a pauta de julgamento. Na última quinta-feira , o primeiro grande baque da coligação "A mudança continua" : a impugnação do vice Cláudio Ferdinandi.


Claro,Pupin e Ferdinandi continuarão em campanha, garantidos pelo direito a recursos ao Superior Tribunal Eleitoral, já que nenhuma das duas condenações tem efeito suspensivo. Mas o estrago já está feito. Sucumbindo na justiça, a candidatura chapa branca deverá sucumbir também nas urnas. É possível que haja substituição dos candidatos, Mas de que nomes de peso o condomínio barroso dispõe? Tem a deputada Cida Borgheti, mulher de Ricardo, sem dúvida boa de voto. Mas como imaginar que ela escaparia do desgaste, por maior que fosse o esforço do marido em blindá-la? Vale a lembrança de que o próprio Ricardo está em maus lençóis, com uma condenação de terceiro grau por improbidade e uma notícia crime , inclusive com pedido de prisão cautelar, na Tribunal de Justiça do Paraná.

A vaca está indo, a passos largos, para o brejo. Ou como diria um grande amigo meu: "O gado vacum se encaminha para o alagadiço".

15 de agosto de 2012

Mantida a condenação de Ricardo Barros pelo STJ





A decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) foi publicada ontem e nela o ministro Francisco Falcão negou recurso do ex-secretário (licenciado) Ricardo José Magalhães Barros. A condenação é relativa a ação do Ministério Público, ainda quando Barros era prefeito de Maringá e vendeu, sem licitação, maquinários públicos à Prefeitura de Luiziana , região centro-oeste do Paraná.

Na época (1991) Ricardo Barros alegou que os equipamentos (dois coletores de lixo) estavam inservíveis, mas funcionários do SAOP relataram ao Ministério Público que os equipamentos estavam em perfeitas condições de uso.

Disse na época, em nota, o Ministério Público: “ Além de não ter exigido a licitação, Barros deixou que os cofres públicos tivessem prejuízo, pois permitiu que bens públicos fossem subavaliados por pessoa que na verdade tinha interesse em obter vantagem, em detrimento do erário”.

Fonte: Gazeta do Povo



14 de agosto de 2012

Ricardo critica até decisão do STJ

"O secretário licenciado da Indústria e Comércio, Ricardo Barros, coordenador político das campanhas do PP em Londrina e Maringá, criticou por meio de nota de esclarecimento a publicação, pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), sua condenação unânime por improbidade.  Na mesma nota, Barros adianta que vai recorrer da decião".

. Blog do Esmael

PS: depois de partir pra cima do Ministério Público, Ricardo Barros resolveu agora criticar uma decisão do Superior Tribunal de Justiça. Perdeu o juízo ou a arrogância embotou suas idéias?

O falso discurso da proposta banaliza o debate

A Associação Comercial de Maringá lança nessa sexta-feira ao meio dia a campanha “Voto Consciente”. O objetivo, pelo que parece, é chamar a atenção para o abuso do poder econômico na campanha. Tomara que isso tome corpo e a repulsa à ostentação contamine a cidade. Não é possível que o eleitorado vá se deixar levar novamente pelo excesso de exposição e pelo show de computação gráfica que verá nos programas de TV.

Por falar nisso, a expressão PROPOSTA será pronunciada à exaustão. Vai ter candidato enchendo a boca para falar “propoooooosta”. Penso que programa de governo qualquer um pode ter, e bom programa, elaborado invariavelmente por equipe de técnicos altamente qualificados. Mas o discurso da PROPOOOOOOSTA não pode inibir o debate político, da confrontação de idéias e de biografias. A campanha é o espaço da apresentação de proposta de governo, mas é também o espaço da denúncia. Pela simples e boa razão de que o engessamento do debate eleitoral com a banalização da palavra PROPOSTA, é antes de tudo, desrespeitoso ao eleitor.


Então é assim: quem não tem passado limpo que não se exponha aos holofotes da democracia.

12 de agosto de 2012

O abuso do poder econômico foi explícito

O comício do candidato Pupin a prefeito de Maringá realizado ontem à noite na Praça São Vicente (Jardim Alvorada) mobilizou uma estrutura portentosa. Cerca de 10 ônibus da TCCC puxaram eleitores para o local, embora o público tenha sido bem menor do que esperavam os organizadores.


Basta que um promotor eleitoral  tenha passado por lá ou tenha acesso a imagens que alguém há de ter gravado lá, para se convencer do abuso explícito do poder econômico na campanha.

10 de agosto de 2012

Sanepar pode enfrentar greve de empregados

Enpregados da Sanepar aprovaram indicativo de greve para o dia 14. Se a empresa continuar se recusando a negociar o PPR (Programa de Participação nos Rendimentos) no percentual desejado (25% sobre os lucros do último ano), a greve será deflagrada em todo o Estado. Dá pra imaginar o tamanho do caos que isso provocaria.

9 de agosto de 2012

Quinteiro critica destruição de livros



Na Alemanha nazista Hitler destruía todos os livros que contrariavam os princípios alimentados por sua mente doentia. Assim, acabaram na fogueira verdadeiras obras primas, de autores universalmente consagrados, como Einstein, Thomas Mann e Sigmund Freud.
Qualquer que seja o argumento, qualquer que seja a desculpa, nada justifica a atitude flagrada por uma câmera de TV em Maringá.
Não sabemos quais livros foram destruídos, mas a julgar pelas imagens, muitas obras em perfeito estado de conservação acabaram no triturador de papéis da Prefeitura.
É preciso separar o precioso do vil. Livro não é lixo, deve ser preservado para o bem da educação e do futuro das nossas crianças e jovens,
Lamento essa atitude de destruir parte do acervo cultural da nossa Biblioteca Pública.

              Wilson Quinteiro
                                                                                     9/08/2012

7 de agosto de 2012

Adeus, grande Jesus!

foto: Blog do Rigon
Eu não tinha nenhuma relação de amizade próxima com Antônio Luiz de Jesus, mas conhecia seu trabalho de advogado, sua atuação no sindicalismo e seu apreço pela ética. Tomamos cofé numa padaria do centro de Maringá há cerca de três meses e pela maneira tranquila de se comportar e sobretudo pelo bom humor, jamais deixou transparecer que tinha câncer. Só fiquei sabendo disso quando ele já estava na UTI do Hospital Paraná, através de amigos comuns, que também se surpreenderam com o estado de saúde dele.
Para homenageá-lo, conto aqui uma história real que aconteceu conosco em 1996, durante a campanha eleitoral. Nós dois trabalhávamos pela candidatura Joel Coimbra e, sem espaço no comitê central para eu desenvolver meu trabalho de assessoria de imprensa, ocupei uma sala do escritório profissional de Jesus, no Edifício Hermann Ludgren. Numa tarde, ele foi ao Fórum e pediu que eu cuidasse do "barraco", como carinhosamente se referia ao seu local de trabalho. Num dado momento, toca o telefone e fui atender. Do outro lado da linha, uma pessoa pergunta:
- De onde fala?
Respondo: do escritório do Jesus.
Quem está no aparelho?
- Messias.
Meio irritado, o cidadão  esbraveja:
- Está com gozação pra cima de mim?

6 de agosto de 2012

Se segurando como pode

Sabe porque a insistência  de  Ricardo Barros em dizer que não está exonerado, mas de licença na Secretaria Estadual da Indústria e Comércio? A partir do momento em que se tornar um cidadão comum, sem cargo público de relevância, ele  perde o forum privilegiado.  Isso explica, em parte, o apego exagerado a um cargo que não lhe pertence mais.

5 de agosto de 2012

É mais batom na cueca

"Tiro meu chapéu para Adalberto Diniz, prá nós, o Beto da Trade. esse cara literalmente vestiu a camisa da campanha de Ricardo Barros ao senado. Um grande parceiro que conheci em 2009 na cidade de Londrina durante a campanha do Barbosa Neto à prefeitura. Em Curitiba é dono da TRADE, uma das maiores agências de propaganda do país onde sua especialidade são as contas públicas. Durante a caminhada na XV ele não quis nem saber, arranjou uma bandeira e partiu cantando: um, um, um! pro senado só tem um!!!"

Blog do Jota Erre

A Trade vem a ser a agência que perdeu a "concorrência" pública de uma verba publicitária de R$ 7,5 milhões para a Meta Propaganda , cuja licitação gerou a investigação do Gaeco e uma ação do Ministério Público, que culminou com um pedido de prisão cautelar de Ricardo Barros junto ao Tribunal de Justiça do Estado.
No diálogo de Barros com o super secretário muncipal Leopoldo, há a frase "decisão salomônica", que seria a solução para evitar o impasse entre as duas agências, uma que faz todas as campanhas de Barros em Maringá e a outra que esteve com Barros na disputa pelo Senado e que é a agência da preferência dele nas campanhas do PP em Londrina.

Fonte: Blog do Rigon

4 de agosto de 2012

Recordar é viver

Está no YouTube esta edição do Jornal das Sete, que este modesto blogueoro editava nos anos 80, com apresentação do Vidal Balielo. Alguns dos personagens que você vai ver aqui, já se foram, como o prefeito João Paulino, que fala da compra do Cine Plazza pelo município e o repórter Donizete Adalto, assassinado no Piauí, durante uma campanha eleitoral, quan ele estava praticamente eleito para deputado federal.

3 de agosto de 2012

Um fato, duas versões

"Diante do bom desempenho dos candidatos do Partido Progressista Roberto Pupin (Maringá) e Marcelo Belinati (Londrina) nos debates da televisão Bandeirantes, o que aumentou as possibilidades de vitórias no 1º turno, Ricardo Barros vai adiantar o início da licença do cargo de secretário da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul. A licença, sem remuneração, já havia sido anunciada por Barros no início do ano e foi confirmada em coletiva na semana passada em Curitiba. O período vai de 10 de Agosto até o fim das eleições. Barros comunicou sua decisão nesta sexta-feira (3) ao governador Beto Richa".

. Fábio Canpana, porta-voz de Barros na capital

"Ricardo Barros (PP) mudou de estratégia: não vai mais entrar em férias. Optou por um pedido de licença não remunerada para poder “se lançar de cabeça nas campanha de Maringá e Londrina”. Ele vai deixar a secretaria de Indústra e Comércio na próxima sexta, dia dez. A aposta é que ele não volte mais ao cargo, dado ao desgaste da notícia-crime com pedido de prisão cautelar do Ministério Público ao Tribunal de Justiça, a qual aguarda despacho do desembargador Rotoli de Macedo. O pedido de licença teria sido acertado com o governador Beto Richa".

. Cicero Catani , blogueiro independente, que deu em primeira mão a notícia do  pedido de prisão cautelar de Barros.