22 de julho de 2015

Sindicato dos Jornalistas divulga nota de repúdio a assédio moral


O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná divulgou hoje uma nota de repúdio aos atos de assédio moral denunciados por jornalistas, técnicos radialistas e estagiários, ocorridos na Fundação Cesumar, do Unicesumar. A fundação foi criada em 99 para operar a TV Cesumar/Canal Futura e a Rádio Universitária Cesumar, ambos de caráter educativo e sem finalidade comercial, destinados ao estágio e aperfeiçoamento dos acadêmicos dos cursos de Comunicação Social (Jornalismo e Publicidade e Propaganda) da Unicesumar. O assédio foi denunciado pelo sindicato àquele centro universitário como responsável pela demissão de 15 pessoas no período de um ano; o centro universitário nega a ocorrência dos abusos. Além de manifestar solidariedade, o sindicato diz que estará ao lado dos denunciantes “na busca de melhores condições de trabalho e de aprendizado dos alunos”.
Confira a íntegra da nota: 
“O Sindicato dos Jornalistas do Norte do Paraná vem, por meio desta, repudiar os atos de assédio moral denunciados por jornalistas e também por técnicos radialistas e estagiários que trabalham ou que já trabalharam na Fundação Unicesumar especificamente Rádio e TV UniCesumar. Reiteramos, como uma pauta já expressa pela entidade, que todo e qualquer tipo de abuso, agravado pela manipulação através das relações de poder instituídas pela hierarquia da empresa, são absolutamente inaceitáveis. Tais práticas ferem não apenas a ética das relações trabalhistas, mas o próprio processo de construção do conteúdo jornalístico e a responsabilidade das instituições na disseminação da notícia. O sindicato também repudia a utilização de técnicos radialistas e de estagiários em funções jornalísticas sem a devida orientação, tampouco sem a devida remuneração estabelecida pela convenção trabalhista em negociação realizada entre o sindicato dos jornalistas e o sindicato patronal. Torna-se um agravante o fato da Rádio e TV UniCesumar funcionar dentro das instalações da instituição de ensino homônima, a UniCesumar, e à qual está diretamente vinculada, já que, por possuir uma natureza focada na educação, deveria primar pelo desenvolvimento da ciência, da tecnologia e da inovação a serviço de seu povo e na diminuição das desigualdades e injustiças. A UniCesumar jamais poderia admitir que seus jovens cientistas que estagiam na Rádio e TV UniCesumar construam suas pesquisas e suas carreiras vivenciando exemplos de coação e opressão. O assédio é prática recorrente na sociedade e, infelizmente, foi reproduzido na academia e em uma Rádio e em uma TV de concessão pública que deveriam primar pela ética e pela qualidade de seu conteúdo jornalístico. Relembramos que muitas vezes o assédio é estimulado, e repetidamente praticado, ancorando-se na perspectiva de impunidade e permissibilidade corporativista. Discordamos da posição da procuradoria jurídica da UniCesumar que refutou que os atos de assédio estivessem acontecendo, mesmo diante de 15 demissões registradas em um período de um ano. Acreditamos que essas práticas não são novidade na empresa, já que as poucas vozes que ousaram denunciar e tornar públicos os assédios sofridos sofreram represálias. Entendemos que na universidade deve prevalecer a democracia com senso de justiça, talvez de maneira ainda mais especial, pois é o espaço de construção e autorreflexão da sociedade, portanto esse tipo de abuso é inaceitável. Além disso, o Sindicato dos Jornalistas do Norte do Paraná relembra o aspecto o humano da questão, cuja relevância jamais está inferiorizada por qualquer hierarquia acadêmica. Vale lembrar que um dos ex-funcionários ainda está sob tratamento psiquiátrico diante da pressão à qual era submetida, inclusive com desrespeito à sua religião. Portanto, o Sindicato dos Jornalistas do Norte do Paraná solidariza-se com os profissionais e com os estudantes que denunciaram os atos de assédio moral ocorridos na Fundação UniCesumar e reafirma o compromisso de combater o assédio na sociedade e estar ao lado dos denunciantes, fazendo valer essa representação, na busca de melhores condições de trabalho e de aprendizado dos alunos.”
Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná“.

Nenhum comentário: