Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2014

Da série "Diga-me com quem andas e te direi quem és"

A dignidade dos catadores jogada no lixo

O que fizeram com as cooperativas de reciclagem de Maringá que, até 2004 funcionavam muito bem e com total apoio da Prefeitura? A situação dos catadores de recicláveis é no mínimo, desesperadora, de total abandono. Um grupo de 40 estudantes de Direito foi visitar cooperativas que funcionam precariamente na saída para Astorga. Leiam o relato do acadêmico Paulo Vidigal, servidor público da área da saúde, integrante do grupo:
“Antes de falar sobre o que vi é importante lembrar que em 2006, após uma determinação do Ministério Público, a Administração Municipal fechou o antigo lixão e as pessoas que lá colhiam recicláveis passaram a fazê-lo no local hoje visitado, destinado a eles pela Administração. A estrutura física é cedida pelo município de Maringá, assim como os dois caminhões disponíveis para a coleta de recicláveis de toda a cidade. Essas cooperativas visitadas já contaram com mais de 90 cooperados e hoje contam com pouco mais de 20.
As condições do local ao qual essas pessoas são sub…

Richa deixa UEM a mingua

O governo Beto Richa, que não tem repassado verbas de custeio para as universidades estaduais, pode deixar a UEM no escuro. O corte de energia seria um desastre, pois desativaria  laboratórios de análises, certamente afetaria o HU, A comunidade acadêmica está se sentindo humilhada, como nunca havia sido nos 45 anos de existência da instituição. Lembrando que a UEM tem hoje  63 cursos de graduação, 85 cursos de especialização, 30 cursos e mestrado, 17 cursos de doutorado e 2 cursos de pós-doutorado. A energia é apenas um problema. Os cortes orçamentários e a falta de repasse pelo Estado, que é o mantenedor, deixa o campus em estado lastimável, inclusive com banheiros sujos, blocos sendo engolidos pelo mato e iluminação externa precária.  E pensar que durante a campanha pela  reeleição o governador enchia a boca para dizer que nunca um governo estadual investiu tanto no ensino superior do Paraná quanto o seu. Pinóquio deve se sentir diminuído quando seu nariz é confrontado com o do tucano…

Ratinho x "Leitão Vesgo"

"O deputado federal Ricardo Barros (PP), conhecido por motivos óbvios nos meios políticos como “Leitão Vesgo*”, estaria empurrando o deputado estadual eleito Ratinho Júnior (PSC) para a disputa da presidência da Assembleia Legislativa do Paraná, em fevereiro, porque estaria de olho na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU). A pasta já foi ocupada por Ratinho e hoje é feudo do PSC, mas a ideia de Barros seria agasalhar seu irmão, o ex-prefeito de Maringá Silvio Barros II (PHS). Ontem pela manhã, deputados avaliavam que Ratinho Júnior desistirá da corrida pelo comando da Assembleia assim que acerte espaços no governo até o próximo dia 15 de dezembro quando o governador Beto Richa (PSDB) anunciar o novo secretariado (clique aqui). Para os deputados, se Ratinho perder o time o “Leitão Vesgo”, que é marido da vice-governadora eleita Cida Borghetti (PROS), toma-lhe o pouco que tem".
. Blog do Esmael

Justiça condena empresa que obrigou empregado a ficar nu durante exame

Uma empresa de ônibus foi condenada a pagar R$ 8 mil por danos morais por ter obrigado um motorista a ficar nu durante exame médico para detectar a existência de hemorroidas. O fato ocorreu à época da contratação do empregado. A decisão é da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, que atende o estado do Rio de Janeiro, e reforma a sentença que havia negado a indenização. "O constrangimento e a coação impostos ao trabalhador, durante o exame admissional, feito pelo médico da empresa para detectar a existência de hemorroidas, mesmo que individual, são patentes, porquanto a condição de apto no exame admissional é pressuposto para a obtenção do emprego e, no caso, o trabalhador sente-se coagido a permitir o exame, temeroso de não conseguir a vaga”, escreveu o desembargador Mário Sérgio Pinheiro, redator designado do acórdão.  O trabalhador alegou no processo que foi obrigado “a ficar nu e mostrar o ânus” durante o exame admissional e que o fato “lhe causou enorme constr…

Vejam de onde vem o escândalo da Petrobras

Olha só: Joel Mendes Rennó ocupou o cargo de presidente da Petrobras durante os dois anos do governo Itamar Franco e durante o primeiro mandato do governo Fernando Henrique Cardoso. Consta que ele foi  o segundo presidente que mais tempo ficou no cargo, só perdendo para José Sérgio Gabrielli.

Pra quem não se lembra, Renó processou o jornalista Paulo Francis em 1996, pedindo indenização de R$ 100 milhões por danos morais. Francis não resistiu à pressão e morreu de infarto em 1997. Ele acusou Renó, de comandar um esquema de corrupção sem precedentes na estatal. Vale a pena ver o vídeo em que Francis falou da roubalheira e da ação que sofria: 

A questão não é semântica

O presidente da Venezuela Nicolás Maduro decidiu pulverizar as verbas publicitárias do governo, incluindo na partilha que geralmente fica entre as grandes grupos de comunicação,  canais regionais de televisão,  rádios públicas  e pelo menos 500 emissoras comunitárias de rádio e tv.
Para aliados do governo isso  é democratização da informação, mas para  os  donos dos monopólios midiáticos  trata-se de  algemas na liberdade de imprensa. Aliás, essa vitimização da liberdade de imprensa é um clichê meio desgastado por aqui, principalmente depois que o governo Lula,  tentou colocar em discussão um projeto da Lei de Meios, de autoria do jornalista Franklin Martins.

Nilson de fardão

O escritor e jornalista Nilson Monteiro agora senta-se na cadeira 28 da Academia Paranaense de Letras no lugar de Belmiro Valverde Jobim Castor, a mesma cadeira que já pertenceu a Helena Colody.  A posse foi no último dia 17. Parabéns grande Nilson.

Será que o gato subiu no telhado?

O diretor de Óleo e Gás da construtora Galvão Engenharia, Erton Medeiros Fonseca, afirmou à Polícia Federal que aceitou pagar propina ao esquema do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef após ser extorquido pelos dois.
Em depoimento na tarde desta segunda (17) em Curitiba, ele disse que o destino do dinheiro foi o PP, o Partido Progressista ( presidido no Paraná por Ricardo Barros).
De acordo com Fonseca, o pagamento foi realizado após ameaças feitas por Costa e Youssef. Eles teriam afirmado que, se não fossem atendidos, a empresa seria prejudicada pela Petrobras nos contratos em andamento.
Antes disso, Fonseca já havia sido procurado, em meados de 2010, pelo então deputado José Janene (PP-PR), que comandava à época o esquema de propinas destinado ao PP, segundo o depoente.
. Blog do Cícero Catani

Prazo para reclamar FGTS caiu de 30 para 5 anos

O prazo prescricional para ações relativas a valores não depositados no Fundo de Garantia não é mais de 30 anos. O Plenário do Supremo Tribunal Federal declarou a inconstitucionalidade das normas que previam este prazo. O entendimento é de que o FGTS está expressamente definido na Constituição (Artigo 7º. , inciso III)  como direito dos trabalhadores urbanos e rurais, e portanto, deve se sujeitar à prescrição trabalhista de cinco anos. A decisão foi tomada na sessão plenária do STF do último dia 13 e será aplicada em todas as ações que tratam dessa matéria. Vale lembrar que a prescrição de créditos  resultantes das relações do trabalho é quinquenal e na visão do relator ministro Gilmar Mendes, o Decreto 99.684/1990, que regulamenta o FGTS “está em descompasso com a literalidade do texto constitucional e atenta contra a necessidade de certeza e estabilidade nas relações jurídicas.
A notícia surpreendeu os sindicatos de trabalhadores e centrais, que avaliam: "O Supremo deu um golp…

Ontem e hoje. E por que só hoje?

Cadeia,  doa a quem doer. Nesse balaio tem gente graúda de vários partidos. Só lembrando que a Petrobrás é assaltada de longa data, bem antes da era Lula/Dilma.O que impressiona é que no Brasil atual, o último mal feito sempre justifica o mal feito anterior. A corrupção de agora apaga a do passado recente. Parece que o país passou uma borracha sobre escândalos como os da compra de votos para aprovação da emenda da reeleição, o das privatizações, que saquearam os cofres públicos de uma maneira como nunca antes visto na república. E o escândalo recente do metrô de São Paulo? Puna-se os corruptos e corruptores de hoje, mas que não se deixe soltos os de ontem que poderão perfeitamente voltar a corromper e a  corromper-se amanhã.

Por que o governador seria de ferro?

O governador Beto Richa recarrega baterias no  transatlântico Allure Of The Seas, que navega na costa do Caribe. E como se pode ver pela foto, pega onda no próprio navio. É um passeio curto, de pouco mais de uma semana. Afinal, o governador merece descansar. Tudo bem que ele tenha tirado 30 dias de férias em janeiro, mais 10 no carnaval, 30  no começo do segundo semestre , para atuar na campanha e agora mais 10 no início de novembro, perfazendo 80 dias. Afinal, ninguém é de ferro. Fonte: site Notícias Paraná, via BOL.

Um fantasma que não passa dos Andes

Um fantasma que não passa dos Andes                                                                           . Messias Mendes
O termo  bolivarismo é originário  do sobrenome do libertador da América do Sul. Ganhou conotação especial graças aoex-presidente venezuelano Hugo Chávez que, se autodenominando o novo Simón Bolívar , fundou uma espécie de República Bolivariana no Continente.  Por conta das boas relações do chavismo com os governos petistas de Lula e Dilma, a oposição brasileira, sobretudo o PSDB, começou a dizer que o PT está fazendo do Brasil uma Venezuela.  Balivarismo , então, passou  a ser considerado palavra maldita no dicionário da casa grande.
O objetivo dessa onda antipetista é associar o governo Dilma ao chavismo , que virou palavrão desde que Hugo Chaves deixou a modéstia de lado e se comparou a   Simón Bolívar. Fez isso no momento em  que decidiu  bater de frente com a elite empresarial venezuelana , acusada de trabalhar  pela privatização do petróleo nacional, estimu…

Um não rotundo à “campanha pela austeridade sob coação”

A grande mídia tem dado muito destaque ao discurso tucano de que é preciso austeridade fiscal e monetária para  resolver nossos problemas. Seria esta a única saída , segundo o discurso neoliberal, pilotado por economistas afinados com o mercado financeiro. Na contramão desse receituário, que foi imediatamente encampado pela elite branca e por um batalhão enorme de desprovidos do capital, mas que pensam com a cabeça da casa grande, está um grande time de economistas de vários matizes , que se contrapõe ao discurso único do estado mínimo, da desobrigatoriedade do governo manter políticas compensatórias, como forma de distribuir renda e combater a miséria. Dizem os que defendem caminhos menos dolorosos para a pobreza que “o reforço da austeridade fiscal e monetária deprimiria o consumo das famílias e os investimentos privados, levando a um círculo vicioso de desaceleração ou mesmo queda na arrecadação tributária, menor crescimento econômico e maior carga da dívida pública líquida na re…

Aécio toma posse como chefe do governo paralelo