15 de junho de 2016

Por mais resíduos e menos rejeitos



Claro que Donald Trump não é Hitler e nem estamos nos anos 30. Até porque, a   estupidez do candidato republicano a presidente dos Estados Unidos está  mais para o bizarro do que para o carniceiro. Mas a chegada dele à condição de concorrente direto à Casa Branca é uma temeridade e uma prova, afinal, de que a democracia, por mais que seja o melhor regime da face da terra, precisa rever alguns de seus conceitos. Principalmente o presidencialismo deve ser revisto, por mais sólido que seja o regime democrático, como é o caso da democracia norte-americana. No Brasil não temos uma democracia ainda consolidada, mas o nosso sistema político precisa ser reciclado. Você diria, o que se recicla é lixo. Mas convenhamos: é passada a hora da sociedade brasileira começar a se valer das urnas para a separar resíduos sólidos de rejeitos.  Na política brasileira hoje, temos mais rejeitos do que resíduos.

Nenhum comentário: