Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2017

Governo escancara. O Brasil está a venda

Entenda porque a pressa do governo Temer em abrir a porteira para o capital estrangeiro se apossar de terras brasileiras
Por Sérgio Palhano (blog do Luis Nassif)

Lavagem está sendo institucionalizada, com manobra de fundos e pressa de oficializar compra e venda de ativos em 30 dias

Sensacional! Agora teremos a lavagem de dinheiro institucionalizada pelo governo com a abertura para compra de terras por estrangeiros. Está explicada a pressa de Meireles em oficializar mecanismos de vendas de ativos em 30 dias, conforme anunciado recentemente.

Fundos de investimento espalhados pelo mundo controlando Offshore em paraíso fiscal que detém o controle de empresa nacional, cujo objetivo é comprar e vender ativos imobiliários e exploração de atividade agrícola ou extrativista.

Trocando em miúdos pega-se o caixa 2, o dinheiro de drogas, trafico de armas etc, converte-se em dólares através de doleiro, compra-se cotas de investimentos em fundos nos paraísos fiscais e no dia seguinte você recebe em casa …

Requião desanca a política de ajuste fiscal adotada no Brasil

Privatizar para melhorar a eficiência é pura falácia

“Privatizar é um dos caminhos para a eficiência de serviços que devem ser públicos mas o estado não dá conta”. Esse é um dos argumentos dos privatistas, daqueles que se puderem privatizam tudo – da coleta de lixo à saúde; da cobrança de tributos à educação. O colunista da BBC Brasil Tim Vickery desmistifica esse discurso chinfrim (e desonesto) , pegando como exemplo a saúde:
“Na Grã-Bretanha, gasta-se 9,1% do PIB com saúde. Nos Estados Unidos, são 17,1% e subindo. Mesmo assim, na semana passada, quando a minha mãe sofreu um pequeno derrame, fiquei bem feliz que ela é inglesa e não americana. Ela foi bem e rapidamente tratada no hospital, e a recuperação está sendo acompanhada por uma equipe de especialistas que visitam a sua casa - sem que ela desembolse um centavo por tudo isso. Claro que nada vem de graça. Alguém tem que pagar. Mas, por enquanto (já que isso é uma outra história), o país goza de um sistema socializado, financiado principalmente mediante impostos e sem cobranças, ou …

Terrorismo midiático para oxigenar a PTfobia

É muito interessante a análise que faz em vídeo divulgado no Youtube, o  engenheiro eletricista  Leonardo Stoppa, pós-graduado em geração e transmissão de energia. Segundo ele, o  governo Dilma construiu um sistema de interligação nacional na transmissão de energia. Para isso, buscou a parceria das companhias distribuidoras, entre elas a nossa Copel. Como o governo federal teve que recorrer às termoelétricas, que produz um megawatt muito, mas muito mais caro do que o da hidrelétrica, a presidente decidiu subsidiar a tarifa, para o consumo domiciliar e também para as empresas. O que houve foi que em virtude da crise o consumo caiu e as companhias, que tinham entrado como parceiras no ousado projeto, resolveram agora, buscar na justiça uma indenização pelos prejuízos que alegam terem sofrido. O governo Temer, claro, defende (e incentiva) o pagamento, porque isso satisfaz uma estratégia do seu governo,  de jogar a sociedade contra a ex-presidente, a partir do momento em que colocar a inde…

Qualquer semelhança com o governo Temer é mera coincidência

Uma aula de brasilidade

Muita gente não gosta do Requião e deve ter suas razões pra isso. Muitos odeiam o senador paranaense pela sua verborragia  e volta e meia, pela sua agressividade verbal, geralmente contra pessoas fragilizadas diante da autoridade que ele representa nos momentos de fúria.  Concordo com os que pensam assim, mas não posso fazer coro aos que, como Luiz Nora, chegam a dizer que Requião não é um ser humano.  Mas não tem como deixar de reconhecer que nas três vezes em que foi governador do Paraná tratou a educação com sensibilidade e respeito, cuidou bem das finanças do estado e no último mandato, diante da crise das pequenas e médias empresas, as isentou de 90 mil itens do ICMS e impediu aumentos abusivos das tarifas de água e  luz. A Sanepar, por exemplo, ficou quase quatro anos sem subir o preço da água, porque antes  de autorizar qualquer majoração, ele exigiu do presidente Stênio Jacó redução das perdas antes de qualquer coisa. No Senado, Requião é um dos melhores oradores da atualidade…

Hélio Fernandes (Tribuna da Imprensa) sobre Alexandre Moraes:

“Alexandre não tem perfil de Ministro, seriedade de Ministro, competência de Ministro. Tenho que confessar com imensa tristeza: Renan Calheiros estava coberto de razão, quando comparou Moraes, então ministro da Justiça, a um "chefete de policia". Foi falando por falar, desperdiçou o tempo geral, fingindo que "reforçaria o Supremo", que era o homem certo para o cargo certo
As 16,20 comentou: "Havendo solução de confronto, deve se dar prioridade e preservar a harmonia do poderes". Logo depois tratou do "perigo de uma crise institucional, que pode ser provocada pela falta de serenidade". Não localizou o Poder onde estariam os mais exaltados.
Mas deixou entrever que ele é sempre um homem calmo, aberto ao dialogo e ao entendimento. "Esqueceu" da violência que a policia de São Paulo praticava contra estudantes que ocupavam escolas. Ou das arbitrariedades da "Força Tarefa", no estranho "caso do hacker".
 Nos dois episódios, e…

Sobra questionamento ao curriculum do indicado de Temer ao STF

Do insuspeito Estadão sobre o Ministro da Justiça:

“O ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, não tem mais condições de permanecer no cargo, se é que algum dia as teve. Seu despreparo para tão importante função já estava claro havia algum tempo, mas o episódio em que ele antecipou a realização de operações da Polícia Federal (PF) no âmbito da Lava Jato, justamente na véspera da prisão do ex-ministro petista Antonio Palocci, teria de servir como gota d’água para sua dispensa, em razão de tão gritante imprudência. Infelizmente, porém, o presidente Michel Temer, sabe-se lá por que razões, preferiu contemporizar, correndo o risco de ter de enfrentar novas crises em razão do comportamento irresponsável de Moraes. (…). “Só velhas relações de compadrio podem explicar como o dono desse desastroso currículo virou ministro da Justiça”.
Pois é, se o Estadão achava isso de Alexandre Ministro da Justiça imagine como ministro do Supremo.

Sabatina ou baralho marcado?

. DeJosias de Souza em seu blog (UOL)

O que assusta na marcha da política rumo à desfaçatez é a sua crueza. Nesta terça-feira, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado realiza uma suposta sabatina com Alexandre de Moraes. Trata-se de um encontro aviltante, constrangedor e desnecessário. É aviltante porque a bancada de interrogadores inclui senadores que merecem interrogatório. É constrangedor porque as perguntas que o interrogado merece escutar são mais embaraçosas do que as respostas que ele não terá condições de dar. É desnecessário porque o jogo já está jogado.
Nesse tipo de sessão, o cinismo é o mais próximo que os participantes chegam das suas melhores virtudes. Todos sabem que o indicado de Michel Temer à vaga do Supremo Tribunal Federal será aprovado. Mas o sucesso da pantomima está justamente na compenetração com que os atores exibem suas virtudes fingidas.

Bird critica desmonte do estado social brasileiro

. Do portal 247


O presidente do Banco Mundial (Bird), Jim Yong Kim, criticou o governo de Michel Temer no programa 'Noite Total', da rádio Globo & CBN; ele disse que nunca viu um governo desmontar políticas populares em benefício do povo; "É a primeira vez que vejo um governo destruir o que está dando certo. Nós do Banco Mundial, o G8 e a ONU recomendamos os Programas sociais brasileiros para dezenas de países, tendo em vista os milhões de pobres brasileiros que saíram da extrema pobreza nos governos anteriores a esse", lamentou Jim Yong Kim

O Brasil sucumbe em TEMERbrosas transações

Os governos Lula e Dilma ainda são acusados de quebrar a Petrobras. Dizem que o problema é a corrupção, mas a corrupção na estatal vem de longe. Não esqueçamos a denúncia feita em 1996 por Paulo Francis  no  programa  Manhattan Connection , da Globo News. A denúncia gerou uma ação indenizatória contra o jornalista que, pressionado pela condenação,  acabou sofrendo um infarto e morrendo. Por conta do chamado “Petrolão”, uma campanha de desmoralização de uma das maiores empresas mundiais no campo da pesquisa e da extração de petróleo , foi colocada em marcha. Isso pra que? Naturalmente para facilitar o seu desmonte e, pelo fatiamento, sua desnacionalização. “O petróleo é nosso” , dizia-se por ocasião da descoberta de reservas de petróleo na Bahia pelo presidente Getúlio Vargas. “O petróleo é deles”, diz-se agora na era Temer, apesar de todos os investimentos (exitosos, diga-se de passagem) feitos por Lula na pesquisa e depois na exploração do fóssil em águas profundas – o Pre-Sal. Faço…

Se...

O presidente Michel Temer anunciou que afastará todo e qualquer ministro denunciado  ou tornado réu na Lava-Jato. Na fala e na expressão facial de Sua Excelência, ficou muito claro a intenção de aparentar decência e moralidade . Mais ou menos na linha da mulher de Cesar, que  “ tem que parecer honesta”. Mas o discurso não engana, até porque veio recheado de condicionais, tipo ; “se comprovada a denúncia”, “se o ministro for denunciado”. Enfim, “se” pra lá, “se” pra cá.  Temer fala   com a certeza de que ninguém do seu primeiro escalão será denunciado e muito menos tornado réu. O único do núcleo duro que talvez pudesse ser denunciado acaba de ganhar a prerrogativa do fórum privilegiado, inclusive com a confirmação de um ministro do STF. Tá tudo dominado.
Como a coisa aqui tá feia decidi ir embora. Vou me embora...pro passado:

Não há panelaços e bonecos infláveis para os acusados do governo Temer

. por Janio de Freitas (Folha de S.Paulo em 12.02.2017)
Agora ficou mais fácil compreender o que se tem passado no Brasil. O poder pós-impeachment compôs-se de sócios-atletas da Lava Jato e, no entanto, não há panelaço para o despejo de Moreira Franco, ou de qualquer outro da facção, como nem sequer houve para Geddel Vieira Lima. Não há panelaços nem bonecos inflados com roupa de presidiário. Logo, onde não há trabalhador, desempregado, perdedor da moradia adquirida na anulada ascensão, também não há motivo para insatisfações com a natureza imoral do governo. Os que bancaram o impeachment desfrutam a devolução do poder aos seus servidores. Os operadores políticos do impeachment desfrutam do poder, sem se importar com o rodízio forçado, que não afeta a natureza do governo. Derrubar uma Presidência legítima e uma presidente honesta, para retirar do poder toda aspiração de menor injustiça social e de soberania nacional, tinha como corolário pretendido a entrega do Poder aos que…

Jornalismo de esgoto

Pode estar vindo aí uma nova onda de desmoralização de Lula e Dilma

Segundo denuncia o jornalista Eduardo Guimarães em seu blog, a diretora de jornalismo da  Globo News, Eugênia Moreyra,  deu ordem expressa na redação para a produtora que irá com ela a Brasília na semana que vem cobrir a divulgação das  delações autorizadas pelo ministro Fachin: “— (…) Fachin vai liberar todos os vídeos das delações [da Odebrecht] de uma só vez. Não dará tempo de decupar [analisar e editar] as imagens… Você vai liderar uma força-tarefa em Brasília. Sua equipe vai assistir a todos os vídeos das delações. Assim que ouvirem “Lula” ou “Dilma”, coloquem no ar, na hora, ao vivo, interrompendo qualquer programa, no Plantão. Depois a gente assiste o resto. Dilma e Lula têm que ser denunciados na frente de qualquer outro delatado”. Guimarães diz que recebeu a informação de  uma jornalista de prestígio da Globo que, por razões óbvias ele não identifica. No contato feito com o blogueiro ela “ relatou o que chama de “estratégia cruel e desonesta” que diz que será usada pela emiss…

A caminho de formação de uma geração que não pensa

O QUE TEM A VER A REFORMA DO ENSINO MÉDIO COM O MERCADO DE TRABALHO? TUDO E MAIS UM POUCO
A reforma do ensino médio, que teve como grande inspirador o ator de filmes pornográficos Alexandre Frota, foi aprovada nesta quarta-feira pelo Senado, sem maiores discussões. Privilegia basicamente a formação técnica profissional, ainda que o sistema educacional brasileiro não disponha de estrutura para colocar os jovens acima de 15 anos no caminho da profissionalização. Mas o que realmente preocupa nisso tudo, é a desobrigação de disciplinas indispensáveis à formação humanística e intelectual dos alunos, que certamente serão privados de disciplinas como sociologia e filosofia, totalmente desinteressantes para um sistema pré-determinado a formar exército industrial de reserva. Claro que os liberais consideram a expressão marxista uma tolice, achando que a economia de mercado não gera excesso de demanda de mão-de-obra e que a culpa do desemprego é da luta dos trabalhadores contra a exploração ca…

O estado é o réu

A violência surfa na onda da insensatez
O que está acontecendo no Espírito Santo não é novidade. Onde há ausência do Estado, por meio das forças policiais, responsáveis diretas pela segurança da população, o caos se estabelece, a violência cresce, o medo se amplifica, o reino da barbárie se instala. Não faz muito tempo problemas idênticos em Salvador e em Porto Alegre tomaram conta do noticiário nacional. São Paulo está de vez enquando às voltas com incêndios de ônibus , ondas de assaltos, homicídios. O Rio, então, nem se fala. Vamos lembrar também que faz pouco tempo houve uma explosão da criminalidade em Londrina e também em vários bairros de Curitiba, onde PMs apareceram empurrando viaturas com falta de combustível.
Situações como estas são decorrentes, naturalmente, da ausência da polícia nas ruas e da absoluta falta de políticas públicas de segurança, que possam garantir um mínimo de tranqüilidade para as populações dos grandes e médios centros urbanos. Pior: a ação de quadrilhas d…

Quem mais barraria o desmonte?

A senadora Gleisi Hoffmann escreve a Lula:
"Precisamos de sua forte liderança porque não podemos aceitar o fim do direito à aposentadoria, o corte brutal nos valores dos benefícios concedidos aos extremamente pobres e a imposição de sacrifícios ainda maiores às mulheres que exercem dupla jornada de trabalho. Da mesma forma, Lula, só com a mobilização popular seremos capazes de barrar as questionáveis mudanças nas leis trabalhistas, a entrega do nosso petróleo aos estrangeiros e, se não bastasse, a criminosa doação do patrimônio público a empresas de telecomunicações. Como é fácil perceber, ainda precisamos muito de seu carisma, de sua história e de sua disposição para a briga. Muitas pessoas se comoveram com o seu drama. Foi uma lição de vida. Mas, querido presidente, pode ter certeza de uma coisa: o seu choro também simbolizou um profundo gesto de esperança. Precisamos de você!"

Para os urubus lerem na cama

. do historiador e filósofo  Leandro Karnal


"Estive em são Bernardo do Campo para uma palestra no Instituto Mauá. A cidade já tinha alguma movimentação em função do velório de dona Marisa. A divergência política e o contraditório são excelentes para a democracia. Todo choque tem algumas barreiras. Uma é a ética: divergir não implica atacar. Outra, muito importante, é a morte. Nada existe além dela. Extinguem-se asanimosidades. Termina o ódio no túmulo. Atacar ou ter felicidade pela morte de um ser humano é uma prova absoluta de que a dor e o ressentimento podem enlouquecer alguém. Se você sente felicidade pela morte de um inimigo, guarde para si. Trazer à tona torna pública sua fraqueza, sua desumanidade. Acima de tudo, mostra que este inimigo tinha razão ao dizer que você era desequilibrado. Contestem, debatam, critiquem: mas enderecem tudo isto a quem possa revidar. Por enquanto temos apenas um homem que perdeu sua companheira, filhos órfãos e netos sem a avó. Entre os vivos, su…

Ciro vem aí

O PDT vai ter espaços na televisão em março conforme  aLei nº 9.096/95. E quem vão monopolizar a propaganda partidária é Ciro Gomes, provável candidato a presidente em 2018. Ciro fará duras críticas à política econômica do governo Temer e, claro, indicará soluções que consideram viáveis para tirar o Brasil do buraco. Sai de baixo.

NÃO HÁ DE SER INUTILMENTE

                 .  Por Leandro Fortes A morte de Dona Marisa Letícia é o triunfo físico da narrativa de ódio reinaugurada pela direita brasileira, a partir da vitória eleitoral de Dilma Rousseff, em 2014, contra as forças reacionárias capitaneadas pela candidatura de Aécio Neves, do PSDB. Em sua insana odisseia pela retomada do poder, ainda quando o TSE contabilizava os últimos votos das eleições presidenciais, Aécio e sua turma de mascarados se agregaram, não sem uma sinalização evidente, aos primeiros movimentos da Operação Lava Jato e com ela partiram, sob os auspícios do juiz Sergio Moro, para a guerra de tudo ou nada que se seguiu. Foi esse conjunto de circunstâncias, tocado pela moenda de antipetismo e ódio de classe azeitada diuturnamente pela mídia, que minou a saúde de Dona Marisa, não sem antes submetê-la ao tormento da perseguição, do constrangimento, da humilhação pública, da invasão cruel e desumana de sua privacidade.
A perseguição ignóbil ao marido, Luiz Inácio Lula da Sil…

Fantasmas que atormentam

Operação Quadro Negro e Operação Publicano, dois fantasmas, que não são do tipo gasparzinho, ainda sobrevoam o Palácio Iguaçu. Na primeira, o governador Beto Richa é acusado de ter recebido via caixa 2 (leia-se propina)  R$ 3,4 milhões para sua campanha de reeleição. Na segunda, acusação também de recebimento de propina, dinheiro de superfaturamento na construção de escolas, algumas inclusive que nem chegaram a ser construídas mas foram pagas. O Ministério Público acelera as investigações, que pode inviabilizar qualquer tentativa de Beto Richa concorrer a uma cadeira no Senado. Não é de se descartar o “ efeito Sérgio Cabral” no Paraná.