23 de julho de 2013

Há um cheiro de nazifascismo no ar

Foi constrangedora a cena do presidente do STF cumprimentando o Papa Francisco e ignorando a presidente Dilma Rousseff. Claro que teve muita gente que vibrou, mas fosse quem fosse o presidente da república, seria inaceitável o que fez o chefe da suprema corte. Aliás, desrespeitar a presidente como vem fazendo parte da mídia e setores organizados da sociedade civil, não significa desrespeitar a cidadã Dilma, mas atentar contra a instituição. Sem fazer nenhuma diferença entre uma coisa e outra, os babacas de plantão estão, consciente ou inconscientemente, atentando contra a democracia.
Há uma onda perigosa de absoluta intolerância com a chefe da nação, que gostemos ou não, foi levada ao Palácio do Planalto pelo voto popular.O ódio , e até uma certa carga de preconceito, contra o PT, não é justificativa para ninguém desqualificar, e até ridicularizar, a presidente da república. Tudo isso é saudade do militarismo? Ou simpatia (recorrente) pelo nazifascismo?  Eu ehim!

Nenhum comentário: